PRESSÃO ARTERIAL
15 pág.

PRESSÃO ARTERIAL


DisciplinaAvaliação Morfofuncional760 materiais3.405 seguidores
Pré-visualização1 página
1
\u2022A determinação da PA em repouso fornece um 
dado importante para a avaliação pré teste. 
\u2022 PA representa a pressão exercida pelo sangue 
sobre a parede das artérias. 
\u2022 PAS \u2013 Pressão Arterial Sistólica \u2013 pressão 
exercida sobre a parede dos vasos durante a 
contração ventricular, medida em milímetros de 
mercúrio (mmHg).
\u2022 PAD \u2013 Pressão Arterial Diastólica \u2013 pressão 
exercida pelo sangue sobre a parede dos vasos 
durante o repouso do ciclo cardíaco (mmHg). 
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
2
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
1
2
3 4
5
6
Esfigmomanômetro do tipo Aneróide
Esfigmamometria é a medida da PA
realizada por meio de um 
esfimomanômetro, usando o método 
auscultatório. 
Esfigmomanômetro: sistema de 
compressão arterial composto por uma 
bolsa inflável de borracha com formato 
laminar chamada manguito (2), a qual é
envolvida por uma capa de tecido 
inelástico (6) e conectada por um tubo de 
borracha (3) a um manômetro (1) e por 
outro tubo (4), a uma pêra (5), que tem a 
finalidade de insuflar a bolsa. 
O manômetro é graduado de 0 a 300 
mmHg.
INSTRUMENTOS 
3
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
Aparelho de PA de pulso
Esfigmomanômetro de mercúrio:
equipamento mais adequado, 
apesar das restrições quanto ao 
risco de toxidade e contaminação 
ambiental do mercúrio. 
Aparelho de PA digital 
INSTRUMENTOS continuação 
Aparelhos digitais - menor erro do avaliador; indicados quando validados 
e testados periodicamente, pois perdem frequentemente a calibração. 
4
Portaria n°24, de 22/02/96 - Instituto Nacional 
de Metrologia, Normalização e Qualidade 
Industrial - INMETRO Publicada no D. O . 
Seção I , n°39,p. 3207 , 27/02/96:Art. 5° -
Todos os esfigmomanômetros mecânicos do 
tipo aneróide, fabricados ou importados a 
partir de 01/07/96, deverão estar de acordo 
com o Regulamento Técnico Metrológico 
INMETRO. A calibração deve ser semestral 
(Mion et al.1998)
Calibração do manômetro aneróide com a coluna 
de mercúrio: diferenças maior ou igual a 4mmHg 
aparelho considerado descalibrado. 
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
INMETRO - Calibração 
5
Estetoscópio: instrumento utilizado para 
ausculta da PAS e PAD, respiratória e outros de 
outra natureza em qualquer região do corpo.
Possui 3 componentes básicos: 
1a \u2013 peça auricular, adaptada no canal auditivo. 
Olivas (1b) colocadas para frente.
2 \u2013 tubo condutor das ondas sonoras
Receptores: 3) campânula; 4) diafragma.
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
INSTRUMENTOS continuação / Rotina diagnóstica
1a
2
34
1b
Recomendações para rotina diagnóstica: 
\ufffd Para cada consulta fazer 2 leituras com intervalo de 1 a 2 min.
\ufffd Sugerem-se novas verificações para diferenças superior a 5 mmHg na PAS. 
\ufffd Na primeira avaliação a medida deve ser feita em ambos os MMSS, caso haja 
diferença utilizar o braço de maior pressão.
6
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
COMO FAZER A MEDIÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL (ACSM, 2006)
\ufffdO indivíduo deve estar sentado com as costas apoiadas, pés no solo, e 
sem falar a pelo menos 5 minutos em ambiente tranquilo. Promover 
relaxamento, para minimizar o efeito avental branco. 
\ufffd Certificar-se de que o cliente não praticou exercícios físicos há 60-90 
minutos; não ingeriu bebidas alcoólicas, café, alimentos, ou fumou até
30 minutos antes. Evitar a bexiga cheia. 
\u2022 Utilizar o manguito de tamanho adequado ao braço, colocá-lo 2 cm 
acima da fossa antecubital, centralizando a bolsa de borracha sobre a 
artéria braquial. 
\u2022 Manter o braço na altura do coração (4°espaço inte rcostal), descoberto, 
com a palma da mão voltada para cima e o cotovelo ligeiramente fletido. 
\u2022 Posicionar os olhos no mesmo nível do mostrador do manômetro para 
facilitar a leitura. 
Procedimentos 
7
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
Medir a circunferência do braço (CB) no ponto 
médio entre o acrômio e o olecrano.
Largura da bolsa (cm) = 40% CB
Comprimento da bolsa = 80% CB
Diferentes tamanhos de manguito (bolsa de borracha) 
8
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
4220Coxa 42 \u2013 50 
3217Adulto grande 32 \u2013 42 
2413Adulto24 \u2013 32
138Criança 13 \u2013 20
85Bebê7,5 \u2013 13
53Recém- nascido 5 \u2013 5,7
Comprimento da 
bolsa (cm)
Largura da bolsa 
(cm)
Nome do 
Manguito
CB no ponto médio 
Tabela de dimensões aceitáveis da bolsa de borracha para diferentes CB. 
Fonte: Porto, 2005. 
Tabela 1
9
\u2022 Palpar o pulso radial 
\u2022 Inflar o manguito até seu desaparecimento. 
\u2022 Desinsuflar lentamente até reaparecer o pulso; estimativa da PAS.
\u2022 Este é o parâmetro para estabelecer o máximo que irá inflar na 
próxima medida. Esperar 15 a 30\u201d para iniciar.
\u2022 Colocar a campânula do estetoscópio suavemente acima do espaço 
antecubital sobre a artéria braquial. 
\u2022 Insuflar rapidamente, de 10 em 10 mmHg, até ultrapassar 30 mmHg
da PA sistólica estimada. 
\u2022 Proceder a deflação, com velocidade constante de 2 a 4 mmHg por 
segundo. 
\u2022 Determinar a PAS no primeiro som (K1 ou fase I dos sons de 
Korotkoff), 
\u2022 Observar quando o som desaparece (PAD - K5 ou fase V dos sons de 
Korotkoff) 
\u2022 Desinsuflar o aparelho rapidamente.
Fonte: Porto, 2005 (pág. 435)
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
Testagem
10
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
Sons de Korotkoff
\ufffdEm 1905, o médico russo Nicolai Sergei Korotkoff propôs o método auscultatório 
para a medida indireta da pressão arterial. 
\ufffd Quando a bolsa é inflada rapidamente acima da PAS, o fluxo sangüíneo arterial é
interrompido. À medida que a pressão da bolsa diminui lentamente, pode-se 
através do estetoscópio auscultar uma seqüência de sons, os quais aparecem 
subitamente, mudam suas características e desaparecem gradualmente. Esta 
seqüência de sons que pode ser ouvida durante a medida indireta da PA é
chamada de sons de Korotkoff. 
\ufffd Fase I ou K1 \u2013 som forte, medida da PAS
\ufffd Fase II ou K2 \u2013 sucessão de sons, mais suaves e prolongados. 
\ufffd Fase III ou K3 \u2013 desaparecimento dos sons e surgimento de sons mais 
nítidos e intensos.
\ufffd Fase IV ou K4 \u2013 sons mais suaves e abafados
\ufffd Fase V ou K5 \u2013 desaparecimento completo dos sons, medida da PAD. 
11
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
Hipertensão no estágio 2ou \u2265 100\u2265 160
Hipertensão no estágio 1ou 90-99140-159
Pré hipertensão ou 80-89120-139
Normal e <80< 120
CategoriaDiastólica (mmHg)Sistólica (mmHg)
Adultos (> 18 anos)
Fonte: ACSM, 2006. 
Hipertensão estágio 190-99140-159
Hipertensão estágio 2100-109160-179
Hipertensão estágio 3\u2265 110\u2265 180
Limítrofe85-89130-139
Normal< 85< 130
Ótima< 80< 120
Fonte: V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006
12
PRESSÃO ARTERIAL (PA)
Os valores dos percentis 90° e 95° da PA para cada f aixa 
etária são normalizados para o percentil da estatura da criança 
e adolescente, com base no gráfico de desenvolvimento de 
meninos/meninos. 
Limítrofe
(pré- hipertensão)
\u226590°e <95°
Hipertensão Arterial\u2265 que o percentil 95°
Normal< percentil 90°
ClassificaçãoValores da PA Sistólica e 
Diastólica
Crianças/Adolescente (1 a 17 anos)
13
Exemplo: Menino
Estatura = 140cm
Idade = 11anos
PAS = 120 mmHg
PAS = 085 mmHg
14
Tabela: Menino - 1 a 17 anos \u2013 valores de PA referentes aos percentis 90 e 95 de acordo com o percentil de estatura
15
Bibliografia
\u2022 Porto. Semiologia Médica.Guanabara Koogan, 
2005.
\u2022 Diretrizes do ACSM para os testes de esforço e 
sua prescrição, 2007. 
\u2022 V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial \u2013
Sociedade Brasileira de Cardiologia, 2006.
\u2022 PIERIN. Hipertensão Arterial: uma proposta 
para o cuidar. Manole, 2004.