A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
52 pág.
Fase pré operatória e Transoperat

Pré-visualização | Página 1 de 2

PRÉ-OPERATÓRIO E
TRANSOPERATÓRIO
Prof. Cristiano 
Saldanha
Internação – pré-
operatório
Ambulatório
Marcação da cirurgia
 FASE PRÉ OPERATÓRIA

 Tem início no momento em que se identifica a necessidade de 
uma intervenção cirúrgica e termina com a transferência do 
cliente à mesa cirúrgica. É dividido em:
 mediato – do momento que se decide pela cirurgia até 01 dia 
antes da cirurgia;
 imediato – 24 hs antes da cirurgia.

 PRÉ OPERATÓRIO MEDIATO
 Tem por objetivo principal disponibilizar fatores positivos para o 
ato cirúrgico e estabilizar condições que podem interferir na 
recuperação. É a hora de a enfermagem rever todas as dúvidas 
do paciente. 

 PRÉ OPERATÓRIO IMEDIATO
 Consiste na assistência prestada ao cliente 
imediatamente antes da cirurgia, geralmente 24 hs
antes, e termina na hora da cirurgia.
 Objetivos do Pré Operatório
 proporcionar melhores condições físicas e emocionais 
ao sujeito;
 minimizar os aspectos negativos sentidos pelo cliente, 
como ansiedade e medo;
 promover orientações ao cliente acerca de todo o período 
perioperatório.
 Faz parte da avaliação do cliente no pré operatório a entrevista 
pré operatória e a visita pré operatória de enfermagem.
 •Identificar “novas” doenças 
 •Avaliar doenças “ já conhecidas” 
 •Determinar se o paciente pode se submeter 
a operação proposta 
 •Traçar condutas que reduzam a 
morbiletalidade intra e pós-operatória 
 História da Doença Atual (o que levou o 
paciente a internação)
 História da doença pregressa (se o mesmo é 
diabético, hipertenso, tabagista, etilista, 
doenças anteriores, DST, cirurgias realizadas 
 História Social – sua profissão
 História Familia - estado civil, quantos filhos 
 •Anamnese objetiva cuidadosa 
 Detecção doenças: Cardiovasculares, pulmonares, 
renais, hepáticas, endócrinas e hematológicas 
 Antecedentes patológicos: cirurgia(s) previa(s), 
alergias, tabagismo, alcoolismo, uso de 
medicamentos : AAS, AINES, IMAO, anticoagulantes, 
etc. 
 •Exame físico minucioso 
 •Exames pré-operatórios “seletivos” 
 •Exames “de rotina” em situações especiais 
 •Operações de grande porte UTI (creatinina, glicose, 
ECG, RX tórax) 
 Avaliação pré operatória que verifica o estado 
clínico do paciente, gerando recomendações 
sobre a avaliação, manuseio e risco de 
problemas em todo o período perioperatório 
(pré-operatório) 
 e define o risco cirúrgico que o paciente, o 
anestesista, o assistente e o cirurgião podem 
usar para tomar decisões que beneficiem o 
paciente a curto e longo prazo. 
 exame físico;
 avaliação emocional;
 história anestésica prévia;
 identificação de alergias, problemas 
genéticos;
 avaliação de exames;
 educação operatória;
 consentimento informado.
 O enfermeiro do CC deve realizar a visita pré 
operatória ao cliente internado na unidade de 
internação em pré operatório imediato.
 Deve-se orientar o cliente acerca das fases pré 
operatória imediata, intra operatória e pós 
operatória, prestando esclarecimentos e retirando 
todas as dúvidas quanto ao procedimento 
cirúrgico, o ambiente físico e pessoal (equipes 
multiprofissionais) da unidade de CC.
Visita pré operatória ao cliente internado
 FINALIDADES DA VISITA 
 PRÉ OPERATÓRIA
 diminuir a ansiedade do cliente;
 assistência individualizada;
 proporcionar maior segurança;
 reduzir riscos de infecção pós operatória;
 facilitar a integração cliente X equipe do CC;
 visar a continuidade da assistência prestada;
 orientar o cliente e a família quanto a recuperação anestésica 
e os cuidados pós operatórios;
 aumentar a confiança;
 facilitar o autocuidado.
 Jejum devido ao uso de drogas anestésicas que atingem a área 
gastrointestinal. O jejum pode ser de 6, 8 ou 12 hs dependendo da 
anestesia a ser usada;
 Tricotomia da área a ser operada com o uso de bacteriostáticos 
como o povidine e a clorexidine para antissepsia da pele;
 Encaminhar o paciente para o banho pré operatório com substâncias 
com pH neutro para evitar irritação da pele. Os cabelos podem ser 
lavados, desde que sejam encaminhados secos ao CC;
 Retirar próteses e adornos do cliente;
 O cliente deve manter as unhas curtas e sem esmaltes para que seja 
verificada a perfusão periférica;
 Exercícios respiratórios;
 Estimular deambulação para evitar estagnação de secreções 
traqueobrônquicas e melhor circulação.
 Administrar medicação pré anestésica.
1 - Assegurar-se da existência de toda documentação do 
cliente, tais como:
 consentimento para a cirurgia;
 Histórico de enfermagem (entrevista);
 História médica;
 Resultados de exames complementares;
 Avaliação pré-operatória - risco cirúrgico ;
 Prescrição médica;
 Prescrição de enfermagem;
CERTIFICAR QUE É O PACIENTE CORRETO E O MEMBRO A SER 
OPERADO, por exemplo MIE 
2 - Analisar o resultado do preparo pré-operatório e das 
prescrições de enfermagem ;
3 - Observar os efeitos da indicação pré-anestésica ( ou sua não 
administração);
4 - Averiguar como o cliente passou a noite ( ou dia caso a 
cirurgia seja tarde ou noite);
5 - Checar remoção de prótese , grampos de cabelo, adornos, lentes 
de contato, bolas de chicletes, esmaltes, roupas de fácil 
combustão, etc.;
6 - Observar o preparo da área cirúrgica ;
7 - Aferir a existência e a funcionalidade dos sistemas de infusão 
endovenosa e drenagem, o horário da última micção e da última 
ingestão de alimentos líquidos.
 Raio x de tórax 
 Eletrocardiograma 
 Recomendado para pacientes acima de 40 
anos)
 (homens) e 50 (mulheres) ou com história 
 pregressa de doenças cardiovasculares 
 Exame de sangue – hemácias, plaquetas e 
leucócitos
Valores normais para eritrócitos, hemoglobina, hematócrito[2]
Tipo de indivíduo Eritrócitos (x 106/mm3) Hemoglobina (g/100dl) Hematócrito (%)
Recém nascidos (a 
termo)
4 - 5,6 13,5 - 19,6 44 - 62
Crianças (3 meses) 4,5 - 4,7 9,5 - 12,5 32 - 44
Crianças (1 ano) 4,0 - 4,7 11,0 - 13 36 - 44
Crianças (10 a 12 anos) 4,5 - 4,7 11,5 - 14,8 37 - 44
Mulheres (em situação 
de gravidez)
3,9 - 5,6 11,5 - 16,0 34 - 47
Mulheres (normais) 4,0 - 5,6 12 - 16,5 35 - 47
Homens 4,5 - 6,5 13,5 - 18 40 - 54
Valores normais para eritrócitos, hemoglobina, hematócrito 
Linfócito
Linfócito 
Monócit
o
Neutrófilo
Acidófilo
Basófil
o
A contagem leucocitária total 
normalmente varia de 4 mil a 10 mil 
células por mililitro. 
Uma quantidade muito pequena ou 
muito grande de leucócitos indica um 
distúrbio.
 A leucometriavaria de:
 5.000 a 10.000 leucocitos/mm³. 
 Diferencial: 100% divididos em:
 •Eosinófilos–2% a 4 % (60 -320 L/mm³)
 •Linfócitos –21% a 35%( 1.200 –2.400 L/mm³)
 •Monócitos –4% a 8% ( 240 –640 L/mm³)
 •Neutrófilos–Bastões: 3% a 5% (120 –320 L/mm³)
 Segmentados: 58% a 66% (3.300 –5.200 L/mm³)
 •Basófilos: 0% a 1% ( 0 –80 L/mm³)
 A leucopenia, uma diminuição na quantidade de 
leucócitos para menos de 4.000 células por mililitro, 
torna uma pessoa mais suscetível a infecções.
 A leucocitose, um aumento na quantidade de 
leucócitos, pode ser uma resposta a infecções ou 
substâncias estranhas, ou ser resultante de um 
câncer, de um traumatismo, do estresse ou de 
determinadas drogas.
Uma pessoa normal tem entre 150.000 e 400.000 
plaquetas por mm³ de sangue. Sua diminuição ou 
disfunção pode levar a sangramentos, assim como seu 
aumento pode aumentar o risco de trombose.
Trombocitopenia (ou plaquetopenia) é a diminuição do 
número de plaquetas no sangue. 
Trombocitose (ou plaquetose) é o aumento do número 
de plaquetas no sangue. 
 TAP:
