A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Resumo Anestesiologia animal

Pré-visualização | Página 1 de 2

Resumo Anestesiologia Animal 
 
Risco Anestésico (American Society of Anesthesiology) 
 
• ASA I – animais sadios sem doença detectável (cirurgia eletiva). 
• ASA II – doença sistêmica leve a moderada completamente controlada (anemia 
discreta, diabético controlado) 
• ASA III – doença sistêmica moderada a grave, porém não incapacitante (hipertenso, 
doente renal não insuficiente) 
• ASA IV – doença incapacitante que oferece risco constante a vida (insuficiência renal) 
• ASA V – associação de doenças incapacitantes, onde está certo o óbito sem cirurgia e 
tem pequenas chances com a cirurgia (piometra com choque séptico) 
• E – emergência, onde não é possível avaliar adequadamente o paciente, pois está 
correndo o risco eminente de vida (atropelado sangrando muito). Não é urgência 
 
Medicação Pré-Anestésica (MPA) 
 
Finalidades: facilita a contenção do animal; potencializa fármacos anestésicos; 
possibilita tranquilidade e segurança durante a indução, manutenção e recuperação 
anestésica (pula a fase excitatória dos anestésicos), minimiza efeitos indesejados de 
outros fármacos e, por fim, modula efeitos do sistema neurovegetativo (SN 
Autônomo) 
 
Grupos de fármacos (MPA): 
ü Opioides 
ü Tranquilizantes 
ü Benzodiazepínicos 
ü α2 agonistas 
ü anticolinérgicos 
ü miorrelaxante de ação central 
OPIÓIDES 
 
ü A grande utilização é para diminuir dor; 
ü É importante na anestesia porque determina quanto de anestésico será utilizado; 
ü Classificado em Agonista, Agonista-Antagonista e Antagonista; 
Agonista: estimula os dois receptores. 
Agonista-Antagonista: estimula um e inibe o outro. 
Antagonista: inibe os dois receptores. 
 
Efeitos Desejáveis e Indesejáveis: 
 
 
 
Principais Opioides Utilizados: 
 
Fármaco P. hábil Potência Importante 
Butorfanol 2 a 3 horas 0,05 Agonista-Antagonista 
Opioide fraco só utilizado para procedimentos 
ambulatoriais 
Petidina 2 horas 0,1 Agonista. Não pode ser reaplicado devido 
metabólito tóxico. Utilizado em procedimentos 
pouco dolorosos, não pode utilizar em Atópico, 
animais com Mastocitoma e Brônquite 
Tramadol 8 a 12 horas 0,2 a 1,0 Agonista. Não funciona se aplicado por via SC, 
excelente para pós-operatório 
Morfina 4 horas 1,0 Agonista. Libera histamina, causa hipotensão e 
muito vômito, utilizado quando a metadona não está 
disponível. Não usar em casos de mastocitoma. 
Metadona 8 horas 2,0 Agonista. Extremamente potente e excelente para 
dor crônica ou oncológica 
Fentanil 30 a 40 minutos 80 a 100 Agonista. É o mais potente. Provoca bradicardia 
importante, usado normalmente no transcirúrgico 
Naloxona - Dose Dependente Antagonista. É o antídoto, corta todos os efeitos 
colaterais mas também corta os efeitos analgésicos. 
Utilizado em caso de intoxicação por opioide. 
 
 
TRANQUILIZANTES 
 
ü Também conhecidos como neuropilépticos; 
ü É o segundo grupo mais usado; 
ü Depressor inespecífico da atividade cerebral; 
ü Absorvível por várias vias, até oral; 
ü Metabolização hepática; 
ü Excreção renal e hepática; 
ü Não podem: cardiopata, hepatopata, epiléticos, neuropata, garanhão, neonato e 
traumatismo craniano 
Efeitos Desejáveis e Indesejáveis 
 
Desejados Indesejados 
- Tranquilização; 
- Antiemético; 
- Antialérgico; 
 
- Hipotensão; 
- Hipotermia; 
- Diminuição limiar convulsivo; 
- Diminui hematócrito; 
- Esplenomegalia; 
- Priaprismo; 
 
 
 
Como escolher o tranquilizante? 
Pelo critério dos itens desejados. 
 
Ø Se eu quiser tranquilizar: acepromazina – melhor tranquilizante; 
Ø Se eu quiser antiemético: clorpromazina; 
Ø Se eu quiser antialérgico - animal atópico: levomepromazina; 
 
ANTICOLINÉRGICOS 
 
ü Desativam o Parassimpático, é um antagonista competitivo muscarínico; 
ü Aplicação intravenosa deve ser LENTA; 
ü Não é fácil definir efeitos desejáveis e indesejáveis; 
ü Efeitos sistêmicos: 
- SNC: Sedação muito discreta (atropina), perturbação, delírio e desorientação 
em administrações intravenosa rápida 
- Cardio: taquicardia e aumento do débito cardíaco 
- Resp: broncodilatação, diminuir secreções, porém aumenta viscosidade 
- Gastro: redução da motilidade gastrintestinal e redução da secreção gl. 
Salivares 
Quando usar ou não usar? 
 
Usar Não Usar 
Bradarritmia; 
Hipermotilidade; 
Reduzidr secreção (salivação/secreção 
respiratória) 
Taquiarritmia; 
Atonia/hipomotilidade; 
Secreções viscosas; 
Infecções respiratórias; 
 
• ATROPINA 
o Evitar em equinos e ruminantes 
o Alta biodisponibilidade 
o 50% de metabolização hepática 
o Excreção renal 
• ESCOPOLAMINA 
o Alta biodisponibilidade 
o Não atravessa a barreira hematoencefálica 
o Excreção renal 
o Só utilizado como MPA em equinos 
• USO: 
Pequenos animais: 
§ “dentro da barriga”: escopolamina 
§ “fora da barriga”: atropina 
Grandes animais: 
§ Escopolamina 
BENZODIAZEPÍNICOS 
 
ü Não é utilizado isolado em cirurgias; 
ü Normalmente associado na mesma seringa com outros anestésicos; 
ü É rapidamente absorvido; 
ü Um dos melhores para relaxamento muscular; 
ü Alta biodisponibilidade por diversas vias de administração; 
ü Agonista de receptores gabaérgicos; 
ü Em doses altas tem efeito sedativo; 
Efeitos Desejáveis e Indesejáveis: 
 
Desejados Indesejados 
Miorrelaxante (um dos melhores) Efeito Paradoxal 
Anticonvulsivante Depressão Respiratória* 
Ausência Metabólitos Ativos 
(midazolam) 
Metabólitos Ativos (Diazepam, 
Zelazepam 
 
Pode usar como sedativo mas é pouquíssimo utilizado. 
O efeito paradoxal é bem intenso, em gatos isso pode ser um problema. 
 
*Depressão Respiratória (dose e idade dependente) 
Em dose baixa não preciso me preocupar, em dose alta pode deprimir muito. 
Em filhotes deprime MUITO mais. 
 
Quando for usar benzodiazepínico perguntar: preciso de um miorrelaxante e um 
anticonvulsivante? Se a resposta for sim escolhe entre diazepam e midazolam. 
 
 
• MIDAZOLAM 
o Não possui metabólito ativo 
o Efeito passa muito rápido (15-20 minutos) 
o Mais potente e seguro que o diazepam 
o Mais frequente surgir efeito paradoxal 
o Usado em caso de doenças concomitantes 
• DIAZEPAM 
o Possui metabólito ativo 
o Dura aproximadamente 1 hora 
o Para ser excretado tem que passar várias vezes pelo fígado 
o Melhor anticonvulsivante 
o Não deve ser usado em hepatopata 
o É o mais utilizado 
• ZOLAZEPAM 
o Só está disponível para compra junto com o anestésico Tiletamina 
o É o mais potente 
 
• FLUMAZENIL 
o É um antagonista (animal acorda na hora) 
o Utilizado apenas quando ocorre a overdose (animal deprimiu demais) 
o Não funciona quando animal já tomou algum anestésico 
o Normalmente utilizado em caso de acidentes ou erros de dose 
 
 
α2 AGONISTAS 
ü Grupo mais parecido com anestésico geral 
ü De rápida absorção 
ü Metabolização hepática 
ü Excreção renal 
ü Grande utilização é em anestesia injetável (obrigatório) 
ü Efeito Parassintomimétio 
Efeitos Desejáveis e Indesejáveis: 
 
Desejados Indesejados 
Melhor sedativo; Bradicardia, Inotropismo negativo, 
Melhor relaxante muscular (fora EGG) 
Analgesia Visceral Discreta 
Hipotensão, inibe ADH levando a PU, 
reduz insulina 
 Broncoconstrição, depressão respiratória 
 
• XILAZINA 
o Aumenta a taxa de mortalidade 
o Utilizado em grandes e pequenos animais 
o Proibida na Inglaterra 
o Obrigatória quando se utiliza anestesia injetável em pequenos animais 
o Nunca usar antes de anestesia inalatória 
o Sempre usada em grandes animais 
o Deprime o organismo como um todo 
o Efeito sedativo mais prolongado que o analgésico (animal sente dor depois de 
um tempo) 
• DETOMIDINA 
o Só usada em grandes animais 
o Mais potente sedativo e analgésico 
o Menor ataxia 
• DEXMEDETOMIDINA 
o Maior potência 
o Mais seguro 
o Usado em pequenos animais 
o Muito caro (aproximadamente