Avaliação Postural
30 pág.

Avaliação Postural


DisciplinaCinesioterapia4.945 materiais132.916 seguidores
Pré-visualização1 página
Avaliação Postural
Profa. Helen Soares
Avaliação Cinético-Funcional, 2014
Conceitos fundamentais
Centro de gravidade: localizado ao nível da segunda vértebra sacral (S2).
Linha de gravidade: é representada por uma linha vertical que passa através do centro de gravidade do corpo.
Conceito de Postura correta
A postura correta consiste no alinhamento do corpo com eficiências fisiológica e biomecânica máximas, o que minimiza os estresses e as sobrecargas infligidas ao sistema de apoio pelos efeitos da gravidade.
Na postura correta a linha de gravidade passa através (ou próxima) dos eixos de todas as articulações com os segmentos corporais alinhados verticalmente.
Considerações para avaliação
Levar em consideração aspectos como:
Idade
Sexo
Biotipo
Desvios Posturais
Curvaturas vertebrais:
- \u21d1 da curvatura: hiperlordose ou \u21d1 da cifose;
- \u21d3 da curvatura: retificação;
- Desvio lateral: escoliose.
5
Desvios Posturais - Escoliose
TORÁCICA DIREITA
TORÁCICA ESQUERDA
LOMBAR DIREITA
LOMBAR ESQUERDA
6
ESCOLIOSE TOTAL DIREITA
ESCOLIOSE TOTAL ESQUERDA
ESCOLIOSE DUPLA E TRIPLA
7
Alterações nos MMII
Coxa Valga
Coxa Vara
Geno Valgo
Geno Varo
Geno Recurvatum
Pé Plano
Pé Cavo
Pé Valgo
Pé Varo
Pé Abduto
Pé Aduto
Pé Equino
8
Instrumentos de Avaliação Postural
Fio de Prumo;
Simetógrafo
Softwares (SAPO etc)
Análise da postura \u2013 Procedimentos:
Coletar informações prévias na anamnese, que possam ser responsáveis por anormalidades posturais (forma de sentar, estilo de vida (ex. uso de salto alto), atividade física, doenças hereditárias, tratamentos prévios, presença de desvios posturais (escolioses, hipercifoses, hiperlordoses), fraturas com desvios, anormalidades congênitas;
Sinais e sintomas de dor, outras queixas
Análise da postura \u2013 Procedimentos:
Paciente deve estar vestido minimamente, de preferência com roupa de banho e se posicionar em postura ortostática (avaliá-lo na 4 vistas: anterior, lateral direita, lateral esquerda e posterior);
Traçar (imaginariamente a linha de gravidade, que divide o corpo em metades direita e esquerda);
Comparar com o alinhamento do fio de prumo ou do simetógrafo;
Avaliação
ANAMNESE:
Identificação
História Clínica 
Qual é a idade do paciente? Qual é a ocupação? 
Qual é a gravidade dos sintomas? 
Qual foi o mecanismo da lesão? 
Qual é a atividade ou o lazer habitual do paciente? 
O que o paciente é capaz de fazer funcionalmente? 
Os sintomas surgiram imediatamente? 
Quais são os locais e limites da dor? Há irradiação da dor? A dor é profunda? Superficial? Em pontada? Em queimação ? Contínua?
Existem posturas ou ações específicas que aumentem ou diminuam a dor ou causem dificuldade? 
12
Anamnese
O paciente tem dores de cabeça? 
Há parestesias? Formigamentos nas extremidades? 
Há sintomas nos MMII? 
O paciente tem problemas de equilíbrio? Tontura, desmaios? 
Existem posturas ou ações que aumentam ou diminuam a dor? 
Qual é a posição de dormir do paciente? 
O paciente respira pela boca? 
Que tipo de sapatos o paciente usa? 
O paciente está utilizando alguma medicação? 
13
Simetógrafo e fio de prumo
Vista Lateral
Vista Lateral
Deve ser feita a partir dos dois lados, para detectar anormalidades rotacionais;
Avaliar primeiramente a posição da cabeça (postura ideal: fio de prumo passando através do lóbulo da orelha e articulação do ombro).
Anormalidades comuns: cabeça anteriorizada que está associada a hiperlordose cervical (retração dos músculos extensores cervicais)
Observar a curvatura cervical da coluna;
Verificar como está a posição do ombro em relação ao fio de prumo. 
Anormalidades comuns: ombros arredondados ou protraídos, que está associado a hipercifose torácica e fraqueza da musculatura extensora torácica, trapézio médio e rombóides. Também retração dos intercostais, peitorais maior e menor e subescapular.
Vista lateral
Observar a curvatura torácica e possíveis deformidade no tórax (proeminência ou depressão excessiva: peito escavado, tórax em funil, tórax em barril, peito de pombo ou tórax carenado;
Inspecionar o abdome (se está proeminente, podendo levar a patologias lombares) e a lordose lombar ou inversão da curvatura lombar (que está associada a inclinação posterior da pelve e retração dos isquiotibiais)
Vista Lateral
Examinar o quadril, se o fio de prumo está passando através da articulação coxofemoral;
Observar o joelho (o fio de prumo deve passar ligeiramente adiante a linha média do joelho.
Alterações comuns: geno recurvado (o fio de prumo passa adiante do joelho), semiflexão de joelho (associado a limitação óssea ou de tecidos moles e o fio de prumo passa posterior ao joelho)
No tornozelo o fio de prumo fica ligeiramente adiante do maléolo lateral. 
Nos pés observar os arcos plantares ou postura supinada e possíveis deformidades (dedos em martelo ou em garra)
Possíveis anormalidades na vista lateral
Possíveis anormalidades na vista lateral
Possíveis anormalidades na vista lateral
Vista Posterior
O fio de prumo divide o corpo em metades direita e esquerda;
A cabeça deve ficar ereta (observar possíveis desvios para direita ou para a esquerda);
Observar a altura dos ombros. É considerada normal a assimetria na altura do ombro relacionada com a mão dominante;
Verificar alinhamento das escápulas (observar suas espinhas e ângulos inferiores).
Possíveis alterações: escápula alada
Vista Posterior
Examinar o alinhamento do tronco e possíveis desvios para qualquer dos lados. O fio de prumo deve estar alinhado com a coluna;
Alterações comuns: escoliose (funcional ou estrutural)
Avaliar a pelve e área do quadril (simetria das cristas ilíacas, espinhas ilíacas póstero-superiores, pregas glúteas e trocanters maiores)
Aterações comuns: diferença de tamanho de MMII, curvaturas escolióticas.
Vista Posterior
Observar joelhos (se há geno valgo o varo) e a posição do tendão de Aquiles (desvios mediais estão associados a pés pronados).
Possíveis anormalidades na vista Posterior
Possíveis anormalidades na vista Posterior
Vista Anterior
Cabeça e pescoço devem estar localizados na linha média, sem rotação ou desvio lateral. Observar a simetria da mandíbula;
Devem estar alinhados o nariz, o manúbrio do esterno, o processo xifóide e o umbigo verticalmente na linha média;
Verifica alinhamento dos ombros (um pode estar mais elevado por hipertrofia do trapézio superior do membro dominante)
Vista Anterior
Observar simetria de posicionamento das clavículas;
Verificar o ângulo dos cotovelos.
Examinar se há simetria da cintura e das cristas ilíacas e EIAS (se estiverem desniveladas podem indicar assimetria no comprimento dos MMII ou escoliose);
Observar as patelas e os possíveis desvios;
Observar os pés (se estão pronados ou supinados)
Prática
Avaliação postural clássica
Medida dos Membros Inferiores
Perimetria
FIM