A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
ED Suspensão com gabarito

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE ESTACIO DE SÁ
CURSO FARMÁCIA
DISCIPLINA: FARMACOTÉCNICA II
Professora: Fernanda M Peixoto
Lista de exercícios – Suspensão
1 – O que é uma suspensão farmacêutica? Quais as possíveis vias de administração de uma suspensão farmacêutica?
F.F. que consiste de um sistema heterogêneo que contêm partículas finas da substância ativa totalmente insóluvel em dispersão, de maneira uniforme num veículo no qual esse fármaco apresente uma solubilidade mínima. As possíveis vias de administração são : oral, intravenosa, tópica e ocular.
2 – Toda suspensão deve ser agitada antes de seu uso. Quais os problemas podem ser acarretados pela não agitação antes da administração?
A não agitação provoca uma redispersibilidade não homogênea e doses não uniformes, ocasionando erros posológicos. 
3 – Quais são as vantagens de se usar uma suspensão farmacêutica frente a outras formas farmacêuticas? E quais são as desvantagens?
Vantagens:
Melhora a estabilidade de fármacos instáveis em solução
Mascara o sabor de fármacos amargos
Permite a administração de altas doses de fármaco
Formulação de fácil deglutição
Desvantagens:
Tendência à sedimentação;
A preparação precisa ser agitada antes do uso;
Menor precisão de dosagem frente às soluções;
Problemas com o armazenamento devido a sensibilidade às variações de temperatura
4 – Quais as características ideais de uma suspensão farmacêutica?
As características incluem:
Tamanho de partícula pequeno: para sedimentação lenta
Viscosidade: escoamento uniforme
Preparação atrativa: com sabor e odor agradáveis
Fácil redispersão com agitação: doses uniformes
Aspecto homeogêneo: sem grumos, flocos ou cristais
5 – Explique através da Equação de Stokes os fatores envolvidos na velocidade de sedimentação das partículas de uma suspensão.
Segundo a Lei de Stokes, a velocidade de sedimentação é diretamente proporcional ao tamanho de partícula do composto ativo e inversamente proporcional a viscosidade da fase externa. Quanto maior for o tamanho de partícula, maior será a vel de sedimentação da fase interna, devendo esta apresentar tamanho médio entre 10-50 micrômetros, depende da suspensão.
6 – A velocidade de sedimentação diminui ao se aumentar a viscosidade da suspensão, porém a viscosidade não pode ter um grande aumento. Explique a razão disso.
Há um limite para o aumento da viscosidade, pois a excessiva viscosidade da fase externa acarreta na formação de uma preparação semi-sólida, de difícil redispersão durante a agitação, ocasionando erros posológicos.
7 – O tamanho das partículas influencia na suspensão. Diga como podemos reduzir as partículas, explicando cada método.
Utilizando os métodos de trituração ou pulverização, tais como: gral e pistilo (manual), Spray dry ou micronizadores.
8 – Um dos maiores problemas que ocorrem na formulação de uma suspensão é a formação de cake (formação de massa solida unida, não dispersível). Como podemos evitar a formação de cake.
R: Utilizando o agente floculante adequado e em concentração adequada.
9 - Suspensões altamente floculadas possuem o inconveniente de sedimentar com muita rapidez, levando erros de dose e do ponto de vista estético a uma má apresentação. Como podemos reduzir esta velocidade de sedimentação das partículas já floculadas.
Pode-se aumentar a viscosidade da fase externa
10 – A molhabilidade das partículas tem grande influencia na produção da suspensão. Explique como a baixa molhabilidade da partícula pode prejudicar a formulação. Com adição de que agente podemos evitar este problema (exemplos) e como estes agentes podem ser adicionados na formulação.
Quando as partúculas não são molhadas facilmente significa que há uma elevada tensão interfacial entre partícula-liquido, acarretando a flutuação destas partículas no meio externo. Para modificar esta condição, deve-se adicionar os agentes molhantes, que são: solventes (glicerina, sorbitol e propilenoglicol), tensoativos (tween e spans) ou polímeros (CMC, carbopol).