A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
6  Efeito dos sais nas plantas  2017

Pré-visualização | Página 1 de 2

Professor: Dr. Reginaldo Gomes Nobre 
CCTA - Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar 
UAGRA - Unidade Acadêmica de Ciências Agrárias 
Campus de Pombal - PB 
DISCIPLINA 
EFEITO DOS SAIS NAS PLANTAS 
Efeito Osmótico 
Dificuldade de absorção de água pela planta 
Efeito Direto ou de Toxicidade de Sais 
Interferência dos sais no processo fisiológicos 
Efeito Indireto ou de Natureza Nutricional 
Toxicidade de íons específicos 
EFEITO DOS SAIS NAS PLANTAS 
Na cultura esses efeitos provocam 
Alterações no metabolismo da planta 
Mudanças na sua anatomia e morfologia 
Prejudica a germinação, tamanho das plantas, 
ramos, folhas e outras partes da planta 
EFEITO DOS SAIS NAS PLANTAS 
EFEITO OSMÓTICO 
Ajustamento Osmótico 
Seca Fisiológica Plasmólise 
Escassez de água para as plantas 
Absorção de água pelas plantas 
Forças de embebição 
Menor 
Maior Menor 
Maior 
Forças de retenção 
Aumento de sais 
Maior pressão osmótica 
EFEITO OSMÓTICO 
AJUSTAMENTO OSMÓTICO 
É o aumento da concentração salina no interior 
das plantas de modo que permaneça um 
gradiente osmótico favorável para absorção de 
águas pelas raízes 
EFEITO OSMÓTICO 
Plantas cultivadas menos tolerantes à ação dos sais; 
Tendem a excluir os sais na absorção da solução do solo; 
Não são capazes de realizar o ajustamento osmótico; 
Sofrem com decréscimo de turgor; 
Sofrem com estresse hídrico por osmose 
Plantas que adquirem condições fisiológicas; 
Ajustam-se osmoticamente; 
Sobrevivem em meio altamente salino. 
EFEITO OSMÓTICO 
Categoria de solo CEes (dS m
-1) Grau de influência 
Não Salino 0 – 2 
Efeito praticamente 
imperceptível 
Ligeiramente Salino 2 – 4 
Rendimento das plantas 
muitos sensíveis poderá ser 
afetado 
Medianamente 
Salino 
4 – 8 
Rendimento de várias 
plantas é afetado 
Fortemente Salino 8 – 16 
Somente plantas tolerantes 
produzem 
satisfatoriamente 
Extremamente Salino > 16 
Poquissímas plantas 
tolerantes se desenvolvem 
1) Efeito dos sais sobre as plantas 
 
1.1) Efeito osmótico 
 Absorção de água pela plantas – forças de embebição dos tecidos das 
raízes são superiores as forças com que a água é retida no solo; 
 Presença de sais – aumenta as forças de retenção (efeito osmótico); 
 Seca fisiológica (aumento da pressão osmótica); 
 Perda de água pela planta (plasmólise); 
 O aumento da salinidade reduz a disponibilidade de água para a 
cultura; 
Potencial osmótico 
Ψo = -0,36 x CE; 
 
Potencial total 
ΨT = Ψm + Ψo; 
 
 Devido a baixa concentração de sais solúveis, o Ψo em solos não salinos é 
considerado desprezível; 
 
 A água deste solo está disponível a uma faixa de potencial de -0,33 a -15 
atm; 
Curva de retenção de água de um solo franco-argiloso para 
vários níveis de salinidade 
EFEITO DIRETO OU DE TOXICIDADE DE SAIS 
Do tempo; 
Da concentração de íons; 
Da tolerância das plantas; 
Do uso da água pelas culturas 
Provocada principalmente pelos íons 
Cloreto Sódio Boro 
Resultando em danos na bordadura e no 
ápice das folhas 
2) Efeitos tóxicos 
 Esses efeitos acontecem quando as plantas absorvem os sais do solo, 
juntamente com a água, permitindo que haja toxidez na planta por 
excesso de sais absorvidos; 
 Através da transpiração, os sais se acumulam nas folhas, provocando 
a toxidez; 
 Redução do rendimento das culturas; 
 Principais íons que causam toxidade; 
 Cloreto, Sódio e Boro. 
 Absorção foliar (fonte principal de toxidade) – irrigação por 
aspersão; 
SINTOMAS DE TOXIDEZ PROVOCADA 
 PELO ION DE CLORO 
Concentração de cloreto na folha atinge 
0,50% com base em peso 
Queimadura do ápice das folhas, 
Posteriormente queimadura das bordas das 
folhas; 
Queda prematura das folhas 
SINTOMAS DE TOXIDEZ PROVOCADA 
 PELO ION DE CLORO 
Níveis de tolerância das plantas ao cloreto na água de irrigação 
Concentração (ppm) Interpretação 
 < 70 Bom para todas as plantas 
70 a 140 Plantas Sensíveis apresentam danos moderados nas folhas 
140 a 350 
Semi-tolerantes apresentam danos no ápice e até nas 
bordas das folhas 
> 350 Causam problemas severos nas plantas 
2.1) Cloreto 
 - Não é adsorvido pelas partículas do solo; 
 - Absorvido pelas raízes e translocado ás folhas. 
 
 Sintomas 
 - Queimadura do ápice das folhas; 
 - Queda prematura. 
 
 Sensibilidade das culturas 
 - Bastante variável 
 - Sensíveis (0,3% de cloreto) 
 - Tolerantes (4 a 5%) 
SINTOMAS DE TOXIDEZ PROVOCADA 
 PELO ION DE SÓDIO 
- Mais difícil de diagnosticar que o cloro- 
- Concentração de sódio na folha atinge 0,25% com 
base em peso 
Queimadura ou necrose ao longo das bordas das 
folhas, 
Aparecem inicialmente nas folhas mais velhas; 
A necrose espalha-se na área internervural ate o 
centro das folhas 
2.2) Sódio 
 - Mais difícil de diagnosticar que a do cloreto; 
 - Identificada através da RAS. 
 Sintomas 
 - Queimaduras ou necrose ao longo das bordas; 
 - Folhas mais velhas. 
 Sensibilidade das culturas 
 - Arbóreas (0,25 a 0,5% de sódio) 
SINTOMAS DE TOXIDEZ PROVOCADA 
 PELO ION DE Sódio 
Tolerância relativa das culturas ao sódio trocável 
Concentração (PST) Classe 
2 a 10 Muito Sensíveis 
10 a 20 Sensíveis 
20 a 40 Semi-tolerantes 
40 a 60 Tolerantes 
Efeitos tóxicos 
Planta Porta-enxerto ou variedade 
Nível máximo permissível de cloretos 
(meq L-1) 
Zona radicular (Cles) 
Água de irrigação 
(Cla)* 
Citros Tangerina Cleopatra 25,0 16,6 
Citros Limão e laranja azeda 15,0 10,0 
Citros Laranja doce e citrage 10,0 6,7 
Frutas do caroço Marianna 25,0 17,0 
Frutas do caroço Lovell e Shalil 10,0 6,7 
Frutas do caroço Yunnan 7,5 5,0 
Abacate West Indian 7,5 5,0 
Abacate Mexican 5,0 3,3 
Videira Thompson Seedless 20,0 13,3 
Videira Cardinal e black Rose 10,0 6,7 
Amoreira Boysenberry 10,0 6,7 
Amoreira Olallie blackberry 10,0 6,7 
Amoreira IndiaSummerRaspberry 5,0 3,3 
Morangueiro Lassen 7,5 5,0 
Morangueiro Shasta 5,0 3,3 
- Tolerância relativa das plantas ao cloreto (queimadura do ápice das folhas) 
Efeitos tóxicos 
- Tolerância relativa das culturas* ao sódio trocável (necrose ao longo das bordas) 
 
Sensíveis (PST < 15) Semi-tolerantes (PST de 15 a 40) Tolerantes (PST > 40) 
Caupi Trigo Capim de Rhodes 
Grão de bico Tomate Capim Angola 
Amendoim Espinafre Algodão 
Lentilha Sorgo Capim Bermuda 
Tangerina Centeio Beterraba Açucareira 
Pêssego Arroz Beterraba 
Laranja Rabanete Cevada 
Pomelo (grapefruit) Cebola Alfafa 
Ervilha Aveia 
Milho Mostarda 
Algodão (germinação) Trevo 
Feijão Cana-de-açúcar 
Noz Milheto 
Frutas caducifólias Alface 
Abacate Fetusca 
 Cenoura 
*
 Listada em ordem crescente de tolerância 
SINTOMAS DE TOXIDEZ PROVOCADA 
 PELO ION DE BORO 
- Elemento essencial para o desenvolvimento das 
plantas 
- Cerca de 0,02 ppm de B - o mínimo requerido 
para as plantas 
Manchas amareladas ou secas; 
Principalmente nas bordas e no ápice das 
folhas velhas; 
Manchas secas nas áreas internervurais ate o 
centro das folhas 
2.3) Boro 
 - Elemento essencial ao desenvolvimento das plantas; 
 - concentrações entre 1 e 2mg/L são tóxicas. 
 - Problemas de toxidade (mais na água que no solo) 
 Sintomas 
 - Manchas amareladas ou secas; 
 - Bordas e no ápice de folhas velhas; 
 - Estendem pelas áreas internervurais até o centro das folhas (a 
medida em que se acumula); 
 - Exudação gomosa (em alguns casos). 
 Sensibilidade das culturas 
 - Na maioria das culturas(250 a 300mg/kg de m.s.)