Apostila de Protese Parcial Removivel
93 pág.

Apostila de Protese Parcial Removivel


DisciplinaProtese Parcial Removivel538 materiais7.412 seguidores
Pré-visualização18 páginas
\u2018 
 
 
2015 
Helinaldo 
Universidade do Estado do Amazonas UEA 
09/03/2015 
PPR (Prótese Parcial Removível) 
Helinaldo Corrêa da Conceição 
helinaldouea@gmail.com 
 
Helinaldo Correa nasceu em Manicoré Amazonas em 19-11-1985 
Cursou até o 3 º período de Matemática na UFAM Campos Humaitá \u2013 Am 
Foi monitor de Prótese Parcial Removível entre Agosto a Dezembro de 2014 
Atualmente cursa Odontologia na UEA Campos Manaus \u2013 Am. 
Curriculum Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4462273Y5 
Blogger: http://correamani.blogspot.com.br/ 
Wordpress: http://helinaldouea.wordpress.com 
Twitter: https://twitter.com/Aldohelinaldo 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Helinaldo Corrêa da Conceição 
helinaldouea@gmail.com 
 
1. Indicações, contraindicações e Classificação em PPR. 
2. Sequência de tratamento, exame do paciente e Preparo de boca I 
3. Componentes em Prótese Parcial Removível 
4. Obter modelos de PPR: classes I, II, III e IV. 
5. Biomecânica da prótese parcial removível 2ª parte de biomecânica da prótese parcial 
removível 
6. Delineadores / Técnicas de obtenção do eixo inicial de inserção 
7. Analisar e discutir os conceitos básicos e as classificações em casos clínicos 
8. Analisar e discutir os componentes das PPRs, por meios de exercícios de 
reconhecimento e atribuição da função. 
9. Obtenção e Registro do eixo de inserção 
10. Reconhecimento das partes constituintes e acessórios do delineador 
11. Desenvolver prática de delineamento em caso laboratorial. Delineamento \u2013 Eixo de 
inserção e registro das classes III 
12. Preparo de boca II 
13. Desenvolver prática de delineamento em caso laboratorial. Delineamento \u2013 Eixo de 
inserção e registro das classes II 
14. Planejamento em PPR 
15. Desenvolver prática de delineamento em caso laboratorial. Delineamento \u2013 Eixo de 
inserção e registro das classes I 
16. Desenvolver prática de delineamento em caso laboratorial. Delineamento \u2013 Eixo de 
inserção e registro das classes IV 
17. Moldagem de trabalho e Modelo mestre 
18. Relação Intermaxilar: DVR, DVO, EFL, MIH, RC, ORC 
19. Moldagem de trabalho e confecção do modelo mestre. 
20. Instalação e cuidados posteriores 
21. Prótese Parcial Removível Provisória 
 
 
 
Helinaldo Corrêa da Conceição 
helinaldouea@gmail.com 
 
 
Sequencia da confecção de uma ppr 
1. Exame clínico 
2. Preparo de boca I 
3. Moldagem anatômica 
4. Delineamento 
5. Preparo de boca II 
6. Moldagem funcional 
7. Fundição e prova da estrutura metálica 
8. Moldagem e prova dos dentes 
9. Acrilização das selas 
10. Instalação e manutenção da ppr 
(Aula I) Indicações, contra - indicações e Classificação em PPR 
Conceito 
A prótese, em sentido lato, é definida como a ciência e arte que tratam da reposição das partes 
ausentes do corpo humano por elementos artificiais que a engenhosidade da mente humana cria para 
cada situação em particular. 
LEI DE ANTE \u2013 a área de superfície dos pilares, ou seja, a área de superfície do apoio. O pilar da 
prótese, ou melhor, a área do pilar da prótese deve ser maior ou igual ao da área edentua, se você 
tiver essa proporção respeitada você pode indicar uma fixa ou uma removível. Ex: a área do 1º 
molar + 2º molar é maior do que a área do 1º Molar. Logo, indicação seria PPF. (Observação: A 
área é a superfície das raízes) 
Tipos de próteses 
 
 Fisiológica: Dentossuportada: PPF, PPR 
Semifisiológica: Suportedentomucoso: PPR 
Afisiológica: Prótese Mucosuportada: PT 
Helinaldo Corrêa da Conceição 
helinaldouea@gmail.com 
 
Indicações 
\u2022 Espaços edentados sem pilar posterior ou prótese de extremidade livre, bi ou unilateral. 
\u2022 Espaços edentados extensos 
\u2022 Dentes suportes com sustentação periodontal reduzida 
\u2022 Excessiva perda de tecido ósseo 
\u2022 Necessidade da recolocação imediata dos dentes anteriores 
\u2022 Como auxiliares nas contenções de fraturas maxilares 
\u2022 Estado físico e emocional do paciente 
\u2022 Para pequenas movimentações 
\u2022 Como aparelhos temporários e orientações nas reabilitações bucais 
\u2022 Como protetor de implantes 
\u2022 Fator econômico 
\u2022 Odontopediatria 
Contra \u2013 indicações 
\u2022 Pacientes com problemas motores 
\u2022 Debilidade Mental 
\u2022 Pobre Higiene Bucal 
 
Aula 2 EXAME DO PACIENTE E PLANEJAMENTO 
 
Abordagem inicial do paciente 
Possibilidade de tratamento 
Desdentado parcial \u2013 unitário => paciente que perdeu um único dente. 
Desdentado parcial \u2013 múltiplo. 
Desdentado Total 
Anamnese 
- Exame extraoral 
- Exame intraoral 
- Exame radiográfico 
Observe: Linha do Sorriso alta ou baixa. 
Helinaldo Corrêa da Conceição 
helinaldouea@gmail.com 
 
Espaço negativo ou corredor bucal 
Um paciente de prótese total não tem propriocepção, ele não sabe mais a espessura do alimento. 
Avaliação da DVO (altura do terço inferior da face tomando como referência a base do nariz e a 
base do mento). 
Duração média das próteses 
\u2022 PPR => 5 anos 
\u2022 PF => 10 anos 
\u2022 PT => 5 anos 
Observe: Zona neutra (Local de equilíbrio de forças) 
Questão de prova: 
Quais métodos podem utilizar para restabelecimento da Dimensão Vertical? 
\u2022 Fonético 
\u2022 Estético 
\u2022 Métrico 
\u2022 Willis 
O que relaciona a DVO? 
Resposta: Dentes posteriores, ou seja, função mutuamente protegida, os dentes posteriores protegem 
os anteriores graças a mesa oclusal larga, raízes amplas e posicionadas verticalmente. Anteriores 
geram proteção aos anteriores, proteção lateral, guia e protrusiva. E nessa relação que não tem 
dimensão vertical são os posteriores e chamamos isso de: estabilidade oclusal, oclusão cêntrica. 
Em um paciente que tem dimensão vertical. Qual o padrão de referencia oclusal que devo utilizar? 
Resposta: MIH 
Quando eu não tenho dimensão vertical ou pela ausência de dentes ou pela perda de dentes, 
significa que meus contatos dentários não são mais efetivos. Então, lançarei mão da RC (ela se 
baseia na posição condilar). 
Polígono de Roy 
Dentes 
\u2022 Posterior: plano sagital 
\u2022 Caninos: Plano Lateral 
\u2022 Incisivos: Plano Frontal 
Helinaldo Corrêa da Conceição 
helinaldouea@gmail.com 
 
MSDI (Mesial do Superior e Distal do inferior) 
Exame Radiográfico 
\u2022 Oclusal ou panorâmica (PT) 
Procedimentos 
1) Periodontia 
2) Cirurgia 
3) Endodontia 
4) Dentistica 
5) Ortodontia 
6) Prótese Fixa 
7) PPR, Fixa Removível e prótese sobre implantes 
Aula 3 COMPONENTES DAS PRÓTESES PARCIAIS REMOVIVEIS 
 
 
Conector menor= Faz a ligação entre os dentes e o conector maior 
Dentes= estética, mastigação e fonação. 
Conector maior= Une todos os componentes 
Grampos= Ajudam na retenção e estabilidade da prótese. 
Helinaldo Corrêa da Conceição 
helinaldouea@gmail.com 
 
Sela (sela metaloplástica)= parte da prótese que recupera osso perdido e entra na área chapeável 
fazendo o desenho da gengiva. 
Apoios= Localizado na face oclusal ou cíngulo dos dentes. Tem a função de travamento/suporte 
para que a prótese não faça intrusão sobre a gengiva. 
Princípios Fundamentais da PPR 
-Fixação =>É o principio onde evitamos que o aparelho se desloque no sentido ocluso gengival. 
Exemplo: quando o paciente com prótese total morde, a prótese vai de encontro à mucosa? Então, 
na prótese parcial removível, temos componentes que impedem que essa prótese se desloque no 
sentido da mucosa para que ela não o traumatize. 
-Retenção => Resistência do aparelho no sentido oposto da sua inserção (forças verticais ou 
Cervico - oclusal). Alimentos pegajosos. Ex: prótese total vocês apenas puxam no sentido oposto e 
terão que sentir a resistência dada pelo selado periférico. 
 
- Reciprocidade => A uma ação percorre uma reação, reciprocidade é um princípio que vai esta 
presente nos grampos.