A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Armazenagem e Movimentação de Materiais  avaliação1

Pré-visualização|Página 1 de 4

D is cipl ina :
Ar ma ze na ge m e Mo vime ntação d e Mate r ia is ( LO D06 )
Avalia ção:
A va liação I - I nd ivid ua l F L EX ( Cod. :424784) ( peso. :1,50 )
Prova:
7719939
N ota da Prova:
10,00
Ga ba ri to da P rova : Re sp o sta Ce rta Su a Re spo sta Erra da
1.
O centro de d is tr ib u ição func io na co mo um loca l de co nta to co m o c lie nte. É de o nde
os ped idos se gue m cer tos o u e rrados. A e nt re ga do prod uto cer to para o c lie nte ce rto
e na q ua nt idade certa, co nt inua se ndo um d esa fio para muit as e mp resas, e esse
desa fio é co mpos to por a lguns e le me nto s. Sobre es ses e le me ntos, a na lise a s opções a
seguir :
I- D ispo nib il idade do prod uto.
II- D ispo nib ilidade da q ua nt idad e so lic itada.
III- F le xib il idade.
IV- Te mpo de proces sa me nto do ped ido.
V- Erro s.
Ass ina le a a lte r nat iva C O RR E TA :
a)
As opções II, I V e V estão co rre tas.
b)
As opções I, II I e V e stão co rret as.
c)
As opções I, II, IV e V es o corr etas.
d)
As opções II, I II e I V es tão cor retas.
2.
O s equipa me nto s de mo vime ntação de mate r ia l são aq ue les q ue m co nd ições pa ra
mo vime ntar uma car ga, pode ndo te r moto r iza ção própr ia o u não. N o proces so de
ar ma ze na ge m, são vá r ios o s eq uipa me ntos ut ilizado s. O s eq uipa me ntos p ara
mo vime ntação de c ar gas pode m ser fixos o u mó ve is, per mit ind o q ue o mate r ia l seja
erguido e ma nuseado de fo r ma ho r izo nta l. Sob re o e xposto, ass ina le a a lte r nat iva
CO RRETA :
a)
Carro pra nc ha.
b)
Emp ilhade ira.
c)
Pórticos.
d)
Ta lha s.
3.
A padro nização te m co mo ob jetivo de finir espec ific ações t éc nica s q ue possa m
auxilia r na ma ximização da co mpa t ib ilidad e, reprod ut ib il idade, q ua lidade e
segura nça do prod uto o u proce sso ao q ua l seja ap lic ada. De ntro de sta visão, muita s
e mpresa s estão op ta ndo por pad ro niza r s ua prod ução para a ume nta r s ua e fic iê nc ia e
reduzir se us c us tos. Sobre o s fato res q ue a pad ro niz ão aprese nta co mo be ne fíc io,
c lass ifiq ue V par a as se nte nças ve rdade iras e F par a as fa lsas :
( ) O processo de pad ro niza ção proporc io na uma d iminuiç ão no c usto d e co mpr a,
uma ve z q ue os mate r ia is pode m ser adq uir ido s e m gra ndes lo tes, fac ilit a ndo uma
redução nos c us tos unitár ios dos mate r ia is.

( ) O uso d a padro nização é poss íve l ob ter mate r ia is de q ua lidade p ara a
subs t ituição d e o utro s co m q ua lidade s d ifere nt es, te ndo co mo parâ metro ate nd er a
todas as nece ss idad es da e mp resa, pad ro niza ndo o ma nuse io e a ar ma ze na ge m dos
mater ia is.
( ) Poss ib il ita o a ume nto de aq uis ão de mate r ia is e as va r iedad es já e xis te ntes, d e
um mat er ia l q ua lq uer, de um o u vár io s t ipos julgados sa t is fató r ios, de modo q ue es se
número de var iedades sat is f a as neces s idade s do co ns umidor.
( ) Atra vés d a padro nização, o núme ro de ite ns a s ere m adq uir idos pode s er
diminu ído, poss ib ilita ndo a giliza r o proces so de aq uis ição de mate r ia is.
Ass ina le a a lte r nat iva q ue apre se nta a seq uê nc ia CO RRE TA :
a)
b)
c)
d)
4.
Muitos Ar ma zé ns o u C e ntros de D is tr ib uição e stão imp la nta ndo um s iste ma q ue
per mite o co nt ro le e fetivo de s uas est r ut ura s. Este s is te ma é c ha mado de W are ho use
Mana ge me nt Syste m - WMS. A par t ir de s ua imp la ntação no p rocesso de ge stão, e le
per mite o a ume nto da e fic iê nc ia e red ução de c usto s na s estr ut ur as. Sobre as
caracte r ís t ica s apres e ntadas po r es te s iste ma, c la ss ifiq ue V para a s se nte nças
verd ade ir as e F para a s fa lsas :
( ) O Ware ho use M a na ge me nt S yste m - WMS - é um s is te ma d e gere nc ia me nto de
ar ma zé m q ue a giliza o c ic lo de ar ma ze na me nto de mercado r ias, de sde o receb ime nto
até a sepa ração e a e xped ição
( ) O Ware ho use M a na ge me nt S yste m - WMS - aprese nta uma base for mada por
fe rra me nta s gere nc ia is q ue proporc io na um p la nej a me nto e fic ie nte e e xec ução da s
at ivid ades dese mpe nhadas pe la ár ea.
( ) Por apre se nta r um ca racte r ís t ic a de um s ist e ma de a lta tec no lo gia, uma das
fo r mas ut ilizad as para tra ns mis são de dados é pe la r ad io freq uê nc ia, q ue per mit e o
rastr ea me nto de todos o s ma ter ia is de ntro do a r ma zé m.
( ) O s is te ma nec ess ita de ge re nc ia me nto da s info r maçõ es fe ito da ba se de dados
co letada ma nua lme nt e pe la eq uipe inter na respo n ve l pe lo ar ma m.
Ass ina le a a lte r nat iva q ue apre se nta a seq uê nc ia CO RRE TA :
a)
b)
c)
d)
5.
U m la yo ut ma l dese nhado pode acar reta r uma ine fic iê nc ia do proce sso lo s t ico
dentro das e str ut uras d e ar ma ze na ge m. D ia nte d isto, q ua ndo p roje ta mo s um la yo ut
correto pa ra a es tr ut ura, de ve mos co ns idera r a lguns po ntos sob re a visão lo st ica.
Há a lguns ite ns q ue de ve m se r a na lis ados sobr e as es tr ut uras pa ra esco lha do mode lo
correto q ue a ume nte a e fic iê nc ia lo gís t ica dos ar ma ns. Co m base no e xposto,
c lass ifiq ue V par a as se nte nças ve rdade iras e F par a as fa lsas :

( ) Cons ider ar os ite ns e m es toq ue q ue t e nha m ma ior fluxo de mo vime ntaç ão para
que se ja m d ispos tos pró ximo s das sa ídas par a fac ilit ar se u ma nus e io.
( ) Aná lis e das por tas de ace sso para q ue per mita m o fluxo de mo vime ntação dos
equipa me ntos neces r ios para ma nuse io e t ra nspor te das mercado r ias.
( ) Cons ider ar a es tr ut ura de e mbarq ue, co ns ider a ndo a ltura e esp ess ura corre tas,
confo r me a s necess idades do s ve íc ulos de t ra nspo rte, pos s ib ilit a ndo, des ta for ma,
deter minar o número de lugare s (docas ) para ca r ga e desc ar ga.
( ) Ana lis ar a nece ss idade d e corredo res, co ns idera ndo q ue q ua nto ma ior a
qua nt idade de co rredo res, me no r ser á a fac ilidade de aces so, e ta nto ma ior o esp aço
dispo ve l para o a r ma ze na me nto.
A gora, as s ina le a a lter na t iva q ue aprese nta a seq uê nc ia CO R RET A :
a)
b)
c)
d)
6.
Q ua ndo se e labora um proje to de u m ar ma m, de ve mos co ns idera r um la yo ut da
estr ut ura fís ica q ue fa vo reça o fluxo de mo vime ntação dos mate r ia is, co nfo r me a
nece ss idade d a or ga nização. Sobre os p r inc ipa is aspec tos do la yo ut a se re m
ana lisado s e m um ar ma zé m pa ra fac il ita r o proces so de or ga nização, c lass ifiq ue V
para as se nte nças ve rdade iras e F par a as fa lsas :
( ) Aná lis e do fluxo de mo vime nt ação das mercador ias, pa ra c la ss ificaç ão e
dispos iç ão pró ximos a imed iações de sa ída, red uzindo o de s loca me nto
desne cessá r io.
( ) Aná lis e do dese nho fís ico, co mb ina ndo os d iversos e le me ntos pa ra propor c io nar
o me lhor ma nuse io e d is tr ib uição de ma ter ia is.
( ) Aná lis e das neces s idade s de ar ma ze na ge m das me rcador ias, co mo fra gilidade,
vo lat ização e rad ião.
( ) Aná lis e sobre a r ma ze na ge m por a gr upa me nto des t ina - se a mate r ia is c uja s
propr iedade s s ica s e xige m tr ata me nto esp ec ia l.
Ass ina le a a lte r nat iva q ue apre se nta a seq uê nc ia CO RRE TA :
a)
b)
c)
d)
7.
At ua lme nte, o q ue pode e de ve e xist ir no loca l de ar ma ze na ge m é um loc a l de finido
exc lus ivo pa ra ma ter ia is o u eq uipa me ntos se m co ns umo. No e nta nto, co m te mpo
deter minado par a per ma necer ne ste loca l de for ma q ue a e mp resa ac umule e op te e m
ve nde r, troc ar o u f a uma doação d este s ma ter ia is s e m co ns umo, e vita ndo q ue es te
per ma neça po r a nos no mes mo loca l. Sob re as ra zões eco nô micas da ar ma ze na ge m,
ana lise as se nte nças a s e guir :
I- Desco ntos na s q ua nt idades adq uir idas e nas ta xas de tra nspo rte.
II- De ma nda repr imid a.