A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
44 pág.
Técnicas de Entrevista e Observação (3º Semestre Psicologia 2018) - Conteúdo Online

Pré-visualização | Página 1 de 7

TECN DE ENTREVISTA E OBSERVAÇÃO
[presencial] 643Z 
MÓDULO 1
 
O PROCESSO PSICODIAGNÓSTICO (ETAPAS)
 
Referências bibliográficas:
 
CARRASCO, L.K & PÖTTER, J.R. Psicodiagnóstico: recurso 
de compreensão. In: MACEDO, M.M.K. & CARRASCO, L.K. 
(Con)textos de entrevista: olhares diversos sobre a interação 
humana. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005, (p. 181-191).
 
CUNHA, J. A. Psicodiagnóstico - V. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 
2000, cap 11 (p.105-138). 
 
OCAMPO, M. L.. S. O processo psicodiagnóstico e as técnicas 
projetivas. 11ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005, cap.1 (p.
11-19). 
 
 
A entrevista é uma técnica primordial na área da Saúde Mental e 
um instrumento largamente utilizado em vários contextos da 
atuação do psicólogo. É considerada uma técnica de investigação 
científica em Psicologia.
 
A entrevista é vista como um instrumento de avaliação, utilizada 
como sistema de interação no processo de avaliar e intervir e na 
busca de dados de diferentes fontes.
 
Como processo de avaliação psicológica clínica 
(Psicodiagnóstico), a entrevista psicológica é a primeira etapa, 
dando início ao plano de avaliação, juntamente com a observação 
clínica e a aplicação de testes psicológicos.
 
No processo psicodiagnóstico, utiliza-se entrevistas semidirigidas, 
pois o paciente define o que vai falar primeiro e como será a sua 
fala. Cabe ao entrevistador, manter uma escuta apurada, sem que 
perca de vista o foco de investigação que leva ao esclarecimento 
da queixa ou sintoma do paciente (motivo da consulta).  
 
O processo psicodiagnóstico possui objetivo e tempo limitados, 
diferente de um processo psicoterápico. É mais comum esse tipo 
de avaliação ser realizado com crianças, envolvendo as seguintes 
etapas: entrevistas com os pais ou responsáveis (semidirigida); 
entrevista de anamnese (história de vida); observação lúdica (ou 
hora de jogo diagnóstica); aplicação de uma bateria de testes (de 
acordo com o caso e com a necessidade); devolutiva com os pais e 
com a criança; encaminhamento e relatório (laudo psicológico).
 
 
Atividades recomendadas:
 
1) Faça uma leitura criteriosa dos três capítulos indicados, 
observando o uso da entrevista como técnica importante, inserida 
no processo de avaliação psicológica.
 
2) Reconheça as várias etapas do processo psicodiagnóstico.   
 
3) Acompanhe o seguinte exemplo de exercício:
 
O campo da entrevista psicológica é essencialmente dinâmico, 
aberto a variações dentro de certos limites: da parte do 
entrevistador, cabe observar sua atitude e identificações, entre 
outros; da parte do entrevistado, suas estruturas de 
comportamento, traços de caráter, ansiedades e defesas. A 
entrevista psicológica é uma técnica de investigação científica e 
considerada como um instrumento fundamental do método clinico, 
sobre entrevista é INCORRETO afirmar que:
 
a) A entrevista psicológica define-se como a interação entre dois 
seres, onde alguém procura se expressar e pode ser considerada 
uma relação interpessoal.
 
b) Em psicologia, a entrevista clinica é um conjunto de técnicas de 
investigação, de tempo delimitado, dirigido por um entrevistador 
treinado, que utiliza conhecimentos psicológicos, em uma relação 
profissional, com o objetivo de descrever a avaliar aspectos 
pessoais, em um processo que visa fazer recomendações, 
encaminhamentos ou propor algum tipo de intervenção.
 
c) As entrevistas que fazem parte do Psicodiagnóstico se forem do 
tipo livre ou totalmente aberta, na qual deixamos o paciente falar o 
que quiser e quando quiser, respeitando assim o seu timing, não 
seriam os modelos mais apropriados para esse momento
 
d) A entrevista é uma das possibilidades que o psicólogo tem para 
tentar compartilhar da experiência subjetiva do sujeito. O 
entrevistado deve ficar o mais livre possível para expressar as 
experiências como estas lhe vêm à mente, sem que seja dirigido 
por perguntas e comentários do entrevistador
 
e) A entrevista psicológica permite uma investigação mais 
profunda da personalidade do sujeito. Ela deve ser 
preferencialmente uma entrevista aberta. Também não deve ser 
considerada uma forma de coletar dados da história do sujeito nem 
confundida como uma técnica de levantamento de informações 
como a anamnese.
 
 
 A alternativa incorreta é a letra “e”, pois a entrevista utilizada no 
processo psicodiagnóstico deve ser semidirigida, apresentando 
como finalidade, deixar o entrevistado se expressar livremente, 
mas sem perder o foco da queixa ou motivo da consulta. Além 
disso, ela é uma técnica de coleta de dados, sendo que a própria 
anamnese é um tipo de entrevista.    
 
 
 
A ENTREVISTA PSICOLÓGICA (TIPOS DE 
ENTREVISTA)
Referências bibliográficas:
 
SCHELINI, P. W. Entrevista na clínica, na empresa e na escola: 
resumo explicativo. Biblioteca da UNIP, s/d.
 
TAVARES, M. A entrevista clínica. In: CUNHA, J. A. 
Psicodiagnóstico - V. 5ª    Ed. Porto Alegre: Artmed, 2000, cap.5 
(p.45-56).
        
 
Como já apresentamos, a entrevista, de um modo geral, é um 
instrumento muito utilizado em várias áreas de atuação do 
psicólogo.
 
Vamos agora, classificar os tipos de entrevista de acordo com sua 
estruturação e seus objetivos.
 
Segundo sua estruturação, a entrevista pode ser classificada 
como: livre ou não estruturada, fechada ou estruturada e 
semidirigida ou semiestruturada. 
 
Na entrevista livre ou não estruturada, o entrevistador está 
interessado no discurso espontâneo do entrevistado e segue o fluxo 
natural de suas ideias, própria da entrevista psicoterápica. A 
entrevista fechada ou estruturada é altamente padronizada e 
requer informações específicas, privilegiando a objetividade e 
comparação dos dados, por esse motivo, é bastante utilizada na 
área da pesquisa. Já na entrevista semidirigida ou 
semiestruturada, o entrevistador tem liberdade de formular as 
perguntas e organizar sua sequência, o que requer mais 
experiência, habilidade e treinamento, própria de processos de 
avaliação psicológica.
 
Segundo os objetivos, podemos classificar os tipos de entrevista 
em: diagnóstica, psicoterápica, de encaminhamento (ou 
triagem), de pesquisa, de seleção de pessoal, de anamnese ou 
de devolução. Para aprofundar melhor cada tipo de entrevista, leia 
o texto da autora Schelini (s/d), disponível na Biblioteca da UNIP 
e o capítulo indicado do livro da autora Cunha (2000), ambos 
citados nas referências acima.  
 
 
Atividades recomendadas:
 
1) Faça uma leitura dos capítulos recomendados na bibliografia.
 
2) Diferencie os tipos de entrevista segundo sua estruturação e 
seus objetivos.
 
3) Acompanhe o seguinte exemplo de exercício:
 
Leia com atenção os casos descritos e analise as situações, 
identificando cada tipo de entrevista, segundo seus objetivos:
 
Situação 1: Marcos, 30 anos. Durante sua entrevista, forneceu 
muitos dados ao psicólogo, contou sua historia de vida com 
detalhes e se mostrou muito motivado a fazer um tratamento 
psicoterapêutico.
 
Situação 2: Lúcia, 18 anos. Logo no inicio da entrevista, soube 
pelo entrevistador que seria encaminhada para um tratamento 
diferenciado, e este novo tratamento seria realizado por outro 
profissional.
 
Situação 3: João, 23 anos. Concordou e consentiu que sua 
situação fosse utilizada pelo entrevistador, num trabalho de seu 
interesse, em uma investigação científica.
 
Situação 4: Wagner, 47 anos. Iniciou o seu atendimento contando 
suas dificuldades a um profissional que atende numa abordagem 
psicanalítica.
 
Assinale a correspondência correta:
 
a) 1– entrevista diagnóstica; 2– entrevista psicoterápica; 3- 
entrevista de pesquisa; 4- entrevista de triagem
b) 1– entrevista de encaminhamento; 2– entrevista diagnóstica; 3– 
entrevista psicoterápica; 4– entrevista de seleção
c) 1– entrevista diagnóstica;