Trabalho Portifólio Interdisciplinar  Marcelo J N Xavier
11 pág.

Trabalho Portifólio Interdisciplinar Marcelo J N Xavier

Disciplina:Projeto Digital7 materiais80 seguidores
Pré-visualização3 páginas
SISTEMA DE ENSINO 100% online
formação pedagógica em História
Marcelo José Noronha Xavier

O USO DE FILMES COMO RECURSO PEDAGÓGICO NAS AULAS DE HISTÓRIA
portifólio Interdisciplinar

Lavras
2018

marcelo josé noronha xavier

O USO DE FILMES COMO RECURSO PEDAGÓGICO NAS AULAS DE HISTÓRIA
portifólio Interdisciplinar

Trabalho apresentado ao Curso Formação Pedagógica em História da UNOPAR - Universidade Pitágoras Unopar, para a disciplina [Atividades Interdisciplinar].

Lavras
2018
Introdução

Todos os anos, os cursos de Licenciatura em História habilitam inúmeras pessoas que estarão aptas a exercer a docência na Educação Básica. Quando se deparam com a realidade das diversas escolas brasileiras, os professores recém-formados se vêem diante de grandes desafios. Um deles é relatado na SGA (situação geradora de aprendizagem) apresentada pela situação problema do Eduardo que estava numa escola com uma boa infraestrutura, mas com alunos desmotivados e desinteressados pelas aulas. Uma das questões que pode ser atribuída a esse fato se deve à falta de recursos pedagógicos em sala de aula e a repetição excessiva de práticas pedagógicas que não são interessantes para os educandos. Com base nessa situação é possível afirmar que os professores precisam de uma formação continuada que possibilite um constante re/pensar sobre temas diversos e proporcione novas descobertas que gerem novas posturas.

Levando em consideração que esse desafio não é apenas enfrentado por Eduardo, mas que está presente no cotidiano de muitos professores da Educação Básica no Brasil, este texto aponta uma proposta de trabalho docente para a Escola Evolução. A pesquisa do tema proposto tem o objetivo de propor uma abordagem interdisciplinar apresentando novas estratégias para o processo educativo a fim de aprimorar a prática pedagógica do professor. Os resultados das investigações poderão fornecer suporte para a elaboração de ações coletivas que visem contribuir para o pleno desenvolvimento do educando. A pesquisa apresentada ainda poderá servir de base para outros profissionais que também se interessam pelo tema e que buscam um aprofundamento em sua área objetivando a produção de novos conhecimentos em Educação.

Sendo assim, apresentamos a possibilidade de se inserir o uso de filmes (longas e curtas metragem) como objeto de ensino buscando um diferencial em sala de aula. Isso poderá contribuir para uma maior aplicação e inteiração do professor e dos alunos com o conteúdo programático, enriquecendo as aulas tornando-as menos enfadonhas e teóricas e mais interativas e relevantes.

	O uso de filmes na aula de história é uma importante ferramenta metodológica e uma maneira eficaz de transformar uma aula excessivamente palestrante e discursiva em uma aula voltada para a interação e socialização do conteúdo em sala. Assim, ao propor a exibição de um filme como discussão do conteúdo perante os alunos, abre-se possibilidades para que eles façam parte na construção do conhecimento, contribuindo assim para o enriquecimento do aprendizado.

A proposta de ensino tem como objetivos específicos: Apresentar uma abordagem interdisciplinar utilizando o filme como objeto de ensino; Incentivar os alunos a conhecerem produções cinematográficas na disciplina de História e Possibilitar aos alunos uma visão crítica sobre o tema proposto.

 Os conteúdos apresentados são referentes a Primeira Guerra, Período entre Guerras e Segunda Guerra demonstrando para o aluno que o conflito não resolvido na Primeira Guerra contribuiu com o surgimento de ações extremistas (Nazismo e o Fascismo) que culminaram com a Segunda Grande Guerra Mundial.

O referencial teórico adotado fundamenta-se no aparato de diversos autores, tais como Silva e Correa (2014) que aborda o desenvolvimento tecnológico no decorrer dos últimos anos e sugere o aproveitamento das novas tecnologias nas aulas da educação básica e por consequência direta, torna as aulas mais atrativas e interativas.

LOPES que ressalta que muitos professores ainda não compreenderam que tem um papel fundamental na mediação, entre o conteúdo a ser ensinado e o aluno e que diante da pesquisa feita com alunos chegou a conclusão que eles esperam aulas que sejam menos enfadonhas, com maior criatividade e com o uso de TV, computador e recursos de multimídia e avaliação diversificada. Sendo assim o aluno tem a percepção que ele também é autor da história, sendo que a partir da construção do conhecimento, passa a entender melhor a sua realidade e contexto.

GASPARIN diz que é importante o professor se ver como alguém que desenvolve um plano de trabalho, um projeto, não apenas um conceito teórico de suas funções.

2. Fundamentação Teórica

	Os autores citados ratificam a importância do professor ser uma ponte entre o conhecimento teórico e a prática no ensino e desenvolvimento dos conteúdos. Com base no referencial teórico, é possível afirmar que o uso de filmes na ministração de aulas na disciplina de história é relevante para o aprendizado.

Silva e Correa (2014) dizem que, mediante o grande desenvolvimento tecnológico dos últimos tempos, principalmente na sociedade contemporânea é de suma necessidade se discutir sobre os benefícios do uso de ferramentas tecnológicas na construção e no desenvolvimento do conhecimento. Sendo que para direcionar a investigação partiram do seguinte questionamento: Como acontece a relação entre a educação e as novas tecnologias no processo evolutivo do ensino e da aprendizagem na sociedade contemporânea? Para responder esta pergunta foi necessário compreender a relação entre a educação e as novas tecnologias no processo evolutivo do ensino e da aprendizagem nessa sociedade tão multifacetada.

Sendo assim os educadores precisam compreender a sociedade contemporânea e o seu papel, para que se faça uma contextualização eficaz dos conteúdos que precisam ser ensinados, ou seja, qual o objetivo e que diferença vai fazer na vida do educador e do educando o que está sendo ensinado, ou o que aprendemos hoje com as lições e os fatos históricos.

Para Silveira e Bazzo (2009) apud Silva e Correa (2014)

A tecnologia tem se apresentado como o principal fator de progresso e de desenvolvimento. No paradigma econômico vigente, ela é assumida como um bem social e, juntamente com a ciência, é o meio para a agregação de valores aos mais diversos produtos, tornando-se a chave para a competitividade estratégica e para o desenvolvimento social e econômico de uma região (p.682)

	É inegável que o uso da tecnologia pressupõe desenvolvimento e agregação social, pois quem tem está de posse de tecnologias tem acesso a internet e a uma gama de informações e conhecimento. O papel do educador deve ir além da informação que se extrai do chamado “senso comum” bem presente nas mídias e redes sociais que estão imbricadas na vida do indivíduo.

Segundo Silva e Correa (2014), as escolas têm percebido a importância das tecnologias para a aprendizagem na atualidade. Pensar no processo de ensino e aprendizagem em pleno século XXI sem o uso constante dos diversos instrumentos tecnológicos é deixar de acompanhar a evolução que está na essência da humanidade.

 Muitas escolas e professores ainda se baseiam em metodologias arcaicas de ensino, mesmo existindo ao lado de sua sala de aula um laboratório de informática com computadores de última geração e, muitas vezes, não se permitem entender esse processo e muito menos ter contanto com ele.

Para Almeida e Silva (2011) apud Silva e Correa (2014)

A disseminação e uso de tecnologias digitais, marcadamente dos computadores e da internet, favoreceu o desenvolvimento de uma cultura de uso das mídias e, por conseguinte, de uma configuração social pautada num modelo digital de pensar, criar, produzir, comunicar, aprender – viver. E as tecnologias móveis e a web 2.0, principalmente, são responsáveis por grande parte