A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
49 pág.
Slide 1-História da psicoterapia infantil

Pré-visualização | Página 1 de 2

História da psicoterapia infantil
Prof(a) Dra. Deyseane Lima
deyseanelima@yahoo.com.br
www.deyseanelima.com.br
Concepção de infância
Qual a concepção de criança na Idade Média?
“Em História social da criança e da família, Philippe Ariès faz um estudo na Europa, no período compreendido entre a Idade Média e o século XX, para demonstrar a definição de criança se modificou no decorrer do tempo de acordo com parâmetros ideológicos”. (COSTA, 2007, p.7)
Concepção de infância
No livro Emílio, escrito por Rousseau, a criança era designada como o infans – o infante, aquele que não fala e é desprovido de sexualidade, compondo assim o imaginário social sobre a infância na época. 
Etimologicamente, a palavra infância vem do latim, infantia e refere-se ao indivíduo que não é capaz de falar. 
Concepção de infância
- > Que mudanças forjaram o sentimento de infância no contexto histórico e social?
Surgimento da noção de família: ambiente afetivo, de proteção e de cuidado com as crianças; 
Foco no interesse psicológico e preocupação moral; 
Preocupação com a educação das crianças. 
Concepção de infância 
para a psicanálise
A criança é um perverso-polimorfo, ou seja, que o seu corpo é pulsional, corpo do desejo. 
Etiologia das neuroses dos adultos em experiências sexuais traumáticas ocorridas durante a infância, que eram provenientes de fantasias impregnadas de desejos. 
Psicanálise com crianças
Quem é essa criança da psicanálise? Como se constitui?
É possível uma psicanálise com crianças? 
Caso Pequeno Hans
A primeira análise Infantil foi realizada por Freud (1909) de maneira indireta; o Max Graf (pai do menino) relatava seus sintomas, comportamentos, sonhos e verbalizações e Freud os analisava e orientava o pai a conversar com a criança, realizando desta forma o tratamento da fobia do menino – o pequeno Hans.
Caso Pequeno Hans
Demanda: É formulada pelo pai Max Graf, que percebeu os sintomas fóbicos do seu filho. 
Transferência: Junção da autoridade paterna (educação) com a autoridade médica (análise).
Interpretação: A fobia de cavalos com medo da retaliação paterna por causa dos desejos eróticos pela mãe possibilitou a cura da neurose. 
Brincar
A importância do brincar na abordagem analítica foi realizada inicialmente por Freud (1920), ao observar seu neto de um ano e meio. 
Na brincadeira mostra o quanto elabora a situação da separação da mãe jogando e trazendo de volta seu carretel infinitas vezes encenando, assim, o seu desaparecimento e retorno, acompanhados da verbalização das palavras Fort e Da – fora e aqui.
A brincadeira da criança corresponde à fantasia no adulto. 
Hermine Von-Hellmuth
Professora da Educação Infantil. Fez análise com Isidor Sadger, em 1913. Fez diversos estudos em psicanálise com crianças. Dirigiu um serviço psicanático de ajuda à educação em Viena, que a consagrou – juntamente com suas publicações e o grande respeito que Freud tinha pelo seu trabalho – como pioneira da psicanálise com crianças. 
Hermine Von-Hellmuth
Na análise com crianças, utilizava jogos e desenhos afirmando que com esse material as crianças elaboravam as situações difíceis e traumáticas. Em seu método, a interpretação do material inconsciente combinava-se com a influência pedagógica direta. 
Desaprovava a ideia de realizar análise com crianças muito pequenas, pois ainda não haviam passado pelo complexo de Édipo. 
Criação da psicoterapia infantil
Em alguns escritos, a Psicoterapia Infantil foi criada por Melanie Klein em 1924, seguidora dos ensinamentos de Freud. 
Em alguns estudos, há que foi Anna Freud a idealizadora da análise infantil. 
O termo ludoterapia foi criado por Virginia Axline, na abordagem centrada na pessoa. 
Análise infantil
Anna Freud;
 Melanie Klein;
São também conhecidas as controvérsias neste campo entre Anna Freud e Melanie Klein sobretudo no que concerne às técnicas psicoterapêuticas com as crianças.
Anna Freud
Anna Freud
Nasceu em Viena no dia 03 de dezembro de 1895. Anna era a mais jovem dos seis filhos de Sigmund e Martha Freud.
Durante a sua formação, teve uma íntima associação com a teoria psicanalítica e a sua prática. Ainda jovem, ensinou a escolaridade primária, o que lhe permitiu a observação diária de crianças, fator que precipitou o seu interesse pela psicologia infantil. 
Esteve associada à Sociedade Psicanalítica de Viena de 1925 a 1928, publicando em 1927 um artigo que a aproximou ainda mais da psicologia infantil. Em 1937 participou das conferências de ensino de Viena e dirigiu uma escola maternal experimental para crianças oriundas dos meios mais desfavorecidos de Viena.
Anna Freud
Em 1927, fundou a sua obra principal, “o tratamento psicanalítico das crianças”. Recebeu influências de Hermine von Hug-Hellmuth, e nesse livro, expõe os princípios da análise infantil. 
Fundou em Londres no ano de 1940 uma instituição que acolhia órfãos e crianças cujos pais estavam ausentes. Em 1952 passa a dirigir uma clínica especializada na formação e pesquisa no âmbito da psicanálise infantil. 
Anna Freud morreu a 9 de outubro de 1982, em Londres.
Anna Freud
 Papel de educador e o Papel de analista - Há uma impossibilidade de se estabelecer uma relação puramente analítica com uma criança em função de sua imaturidade e dependência do meio ambiente. 
A criança não têm consciência de sua doença, necessitando do adulto para enunciá-la. Falta o elemento fundamental para a entrada uma paciente na análise, que é o mal-estar em relação a seus sintomas e sua necessidade de tratamento. 
Anna Freud
Necessidade de um período de preparação para análise com entrevistas preliminares para produzir artificialmente a demanda para a análise. 
É necessário mostrar à criança que, na realidade, ela é muito infeliz, que sofre e há um desgaste excessivo em sua luta interna contra “seus demônios”.
Anna Freud
As crianças não têm capacidade de transferência, portanto, necessário um trabalho prévio não analítico, com finalidade de prepará-las para o tratamento, proporcionando-lhes consciência da enfermidade, dando-lhe confiança na análise e no analista, criando uma transferência positiva que faça interna a decisão externa de analisar-se. 
Anna Freud
 Criar um vínculo forte e positivo com a criança – Estabelecimento da confiança. 
Utilizava de medidas pedagógicas e analíticas com a criança.
Papel do analista/educador: Lugar do Saber (autoridade em relação a criança). 
Anna Freud
Não se pode falar de uma neurose de transferência na análise infantil, embora se estabeleça entre ela e o analista uma relação na qual expressa muitas das situações vividas com os pais. 
A maior dificuldade na análise da criança continua sendo para ela o fato de não haver associação livre. 
Anna Freud
Jogo era importante para o processo pedagógico, embora não seja um instrumento técnico comparável a associação livre. 
Melanie Klein
Melanie Klein
Nasceu em Viena em 1882. Foi a quarta filha de um casal de judeus. Sua irmã faleceu aos oito anos de idade, quando Melanie tinha apenas cinco. Seu pai faleceu quando ela tinha 18 anos. Desde esse período, apegou-se ao seu irmão mais velho Emmanuel, que também faleceu com apenas 25 anos. 
Em 1903, casou-se com Arthur Klein e em 1910 mudaram-se para Budapeste. Teve três filhos: Melitta, Hans e Erich Klein. Melanie analisou os seus três filhos. 
Melanie Klein
Melitta viria torna-se psicanalista e membro da Sociedade Britânica de Psicanálise. 
Melanie participou de atividades da Sociedade Psicanalítica de Budapeste e, em 1919, apresentou seu primeiro caso clínico, que abordava a análise do seu filho Erich, com pseudônimo de Fritz. 
Melanie Klein
Publicado em 1932, o livro "A Psicanálise de Crianças" é uma de suas principais obras. 
Para Melanie Klein, antes de se tornar uma profissão ou um interesse intelectual, a psicanálise foi uma experiência de crescimento e um caminho de cura pessoal.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.