Psicologia e saúde coletiva: reflexões sobre a práxis profissional na atenção primária à saúde
2 pág.

Psicologia e saúde coletiva: reflexões sobre a práxis profissional na atenção primária à saúde

Disciplina:Psicologia da Saude 233 materiais85 seguidores
Pré-visualização1 página
Psicologia e saúde coletiva: reflexões sobre a práxis profissional na atenção primária à saúde

 A Atenção Primária é definida pela Política Nacional de Atenção Básica (PNAB – 2011) como um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abarca a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação, redução de danos e a manutenção da saúde. 	 Acresce ainda, que a atenção primária é capaz de funcionar como um filtro capaz de organizar o fluxo dos serviços
nas redes de saúde, dos mais simples aos mais complexos.	
 No Brasil, há programas governamentais relacionados à atenção básica, sendo um deles a Estratégia de Saúde da Família (ESF), que leva serviços multidisciplinares às comunidades por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBSs).	No âmbito da atenção básica, muitas vezes o profissional psicólogo é o responsável pela efetivação da Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS).	
 A psicologia da saúde se fundamenta no modelo biopsicossocial, rompendo com o modelo linear de saúde, de causa e efeito, a qual possui como finalidade principal compreender como é possível, através de intervenções psicológicas, contribuir para a melhoria do bem-estar dos indivíduos e das comunidades. As funções dos profissionais de psicologia da saúde estão se expandindo, ganhando espaço e importância. Vale ressaltar, que o psicólogo da saúde	 pode auxiliar o profissional farmacêutico em programas que visem o uso adequado de medicamentos e o risco que a automedicação pode ocasionar.	
 O interesse do psicólogo da saúde está voltado para o estado de saúde ou doença do individuo, na sua relação consigo mesmo, com os outros e até mesmo com o mundo. Como citado no parágrafo anterior, o psicólogo da saúde possui como intuito incentivar com que as pessoas incluam atitudes e comportamentos que levem a promoção da saúde e a prevenção de doenças. Além disso, visa aperfeiçoar técnicas de enfrentamento diante da doença e das eventuais consequências que a mesma possa causar. 	
 Nesse sentido,	o trabalho realizado por esses profissionais proporciona o aumento da qualidade de vida dos pacientes e consequentemente, diminui o numero de internações e reinternações. Sendo assim,	programas avaliados e bem desenvolvidos podem fornecer ganhos em relação à qualidade e custo ao sistema de saúde atual.	
 A maioria dos psicólogos da saúde trabalha em hospitais, clínicas e departamentos acadêmicos de faculdades e universidades fornecendo ajuda direta e indireta aos pacientes. Vale ressaltar que às intervenções voltadas para os Centros de Saúde e Hospitais os psicólogos da saúde devem levar em consideração que a intervenção não ocorre unicamente ao paciente, mas também, engloba seus familiares e os profissionais da saúde. 	
 Pode-se concluir que hoje o psicólogo não é considerado apenas um especialista em saúde mental, mas também pode exercer um papel relevante na soma de esforços em prol da prevenção e promoção da saúde, em parceria com outros profissionais.
 Independente qual a área de atuação do psicólogo seja ela, clínica, escolar, organizacional, é importante ter a participação do mesmo no processo de atenção primária à saúde, como figura essencial e indispensável.	

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:	
PenseSUS. Atenção Básica. Disponível em: <https://pensesus.fiocruz.br/atencao-basica>. Acesso em: 01/05/18.