A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
AQUICULTURA P1

Pré-visualização | Página 1 de 2

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE PEIXES
Aquicultura criação de organismos aquáticos ( animal e vegetal)
Sistemas:
EXTENSIVO:
- Não há manejo de fertilização*
- Não há troca de agua frequente 
- produtividade 150 a 500 kg
- Densidade de estocagem é menor de todos os sistemas (500 a 1000 alevinos *peixes jovens*/há) 
Ovo*pode conter ou não*lavaalevinosadultos milheiro – 1000 alevinos
- baixo custo de implantação e manutenção
- não há tanques artificiais, utiliza-se por exemplo lagos e represas.
- produção dura de 12 a 18 meses
- fontes de MO: esterco, subprodutos agrícolas, farelos ou rações balanceadas.
*fertilização: nutre algas e plânctons --> fitoplancton: microalgas; zoôplancton: microcrustáceos;
SEMI INTENSIVO
- Há interação do homem
- densidade de estocagem de 5000 a 25000 alevinos/há
- Utilização de fertilizantes químicos e/ou adubos para crescimento de plânctons Ex: superfosfato simples, sulfato de amônia 
- Utilização de rações peletizadas, * fareladas (lixivia mais rápido na agua, causa impactos) e extrusadas *(alta T e alta P, mais utilizada pois ela fica na superfície da agua tornando fácil a observação da alimentação dos animais, além de ser mais estável, ou seja, demorar mais para lixiviar na agua) (20-28%PB) – Para animais que vivem no fundo, existem rações extrusadas que afundam aos poucos, chegando até esses animais. – Rações floculadas apena sem aquários caseiros. – Quando menos PB, menor o custo e menor os impactos ambientais.
- Análise de qualidade da agua (Temperatura: peixes tropicais 25-28C; peixes temperados >15C; O2 dissolvido <3 mg/l ; ph entre 6,5-7,5;)
*peixes são ectotérmicos: temperatura comporal se adapta a temperatura ambiente, não gastam energia para manter a temperatura corporal
*oxigênio na agua aumenta devido a fotossíntese das algas, sendo maior durante o dia; também aumenta com a movimentação da agua 
*para mensurar a quantidade de microalgas na agua utiliza-se o disco de Secchid; agua muito transparente provoca queimadura e predação ; agua muito turva gera um problema de oxigenação à noite, além de obstruir as brânquias.
- Trocas de agua (5-10% ao dia) importante para retirada de dejetos e amônia
- Produtividade de 2500 a 12500 kg/ha
-Produção de 4 a 8 meses
- Off-flavor (geosmina/ 2-metil-isoborneol) alguns peixes de agua doce podem apresentar gosto de “barro” devido a essas substâncias presentes nas algas azuis, pois ao ingeri-las, o peixe absorve a substancia que se acumula na musculatura. Pode ser minimizado colocando animais nos tanques de depuração que geralmente são tanques de alvenaria, sem contato com o solo, com altos volumes de água , deixando o animal de jejum de 24h- 72h para que haja a depuração das substancias que estavam presentes no animal. Espécies mais comuns: Curimba, Tilápia, Carpa e Traíra PROVA
Adubação de viveiros
função: produção de plânctons 
INORGÂNICA – a base de fosfatos e nitratos ; recomenda-se 10kg de superfosfato simples juntamente 4,4 kg/ha de ureia.
ORGÂNICA – a base de estercos de aves, suínos e bovinos. Material deve estar seco para promover desinfecção.
Etapas do preparo do viveiro (tanque de terra) – PROVA
Esvaziamento do tanque
Secagem do tanque ao sol durante 7 dias para promover desinfecção
Retirada do sedimento para desocupar área util
Calagem (introduzir Ca ou Mg para promover desinfecção e neutralizar a acidez do solo, geralmente feita com calcário agrícola)
Adubação para produção de plâncton 
Enchimento
Povoamento 3-5 dias após o enchimento (evita morte de alevinos pelas odonatas)
Consórcio suínos – peixes (Região Sul – Santa Catarina único estado permitido pela legislação)
30-100 suinos (50 animais)/há de lamina d’agua 
Aproveitamento de dejetos para a produção de plâncton – redução do impacto ambiental
Produtividade 500 a 2500 kg/há/ano
Varias espécies de peixes na mesma represa
Tilápia: 0,4 a 0,7 kg (8 a 12 meses)
Comercialização em feiras locais, pesqueiros, mercados locais
Fonte de renda para pequenos e médios produtores
INTENSIVO
Intervenção direta do homem
- Estocagem de 25000 a 100000 alevinos/há
- Adubação química (mais eficiente; não absorve o O2 da agua; Superfosfato, ureia, sulfato de amônia)
- Ração balanceada extrusada (32% PB) animais carnívoros PB >40% (Escolher a ração que mais se adequar a espécie, características da propriedades e do local)
- Correto armazenamento da ração (ideal)
- Construção da instalação adequada
- Entrada e saída de agua separadas (ideal); entrada de um lado, saída de outro (circulação)
- Analise da qualidade de agua (Disco de Secchi)
- Trocas de agua (10-35% ao dia)
- Aeradores (2 a 4 CV/há) movimentação da agua aumentando os níveis de O2
- Rotina de alimentação
SUPERINTENSIVO
- Estufas-tanques em “v” (regulação térmica da agua e dejetos acumulam no fundo facilitando a limpeza) utilizada em locais onde a amplitude térmica é alta 
- Raceways (tanques compridos construídos com grande entrada de agua de um lado e saída de outro, circulação constante; densidade superior a 100 peixes/m²; necessita de aerador)
- Canais de irrigação
- Recirculação e aquaponia
- Gaiolas flutuantes ou tanques-rede * alta produção em sistemas menores
- Intervenção direta do homem
- Ração extrusada completa e balanceada
-Não há adubação
- Custo de produção elevado
- Animais melhorados geneticamente
- Animais geralmente estressados pela alta densidade, sendo necessário alto controle zootécnico
 - Tilápia gift: estufas-tanques divididos em hapas com um casal de tilápias melhorados geneticamente
PANORAMA DA AQUICULTURA
Piscicultura
Carcinocultura camarão
Ranicultura 
Malacocultura moluscos (ostras, vieiras, mexilhão)
Produções de algas, plânctons, quelônios, jacaré
Produção x extração
Piscicultura continental (de água doce)
- No BR é predominante
Exemplos de criação: carpa, tilápia ( + produzido), pacu, truta 
- São utilizados viveiros de terra, tanques rede, tanques de alvenaria, produções consociadas (suínos e peixes), estufas (pode ser feito aquapônia *consórcio de plantas e peixes*)
Piscicultura marinha 
- Pode ser feito nas margens litorâneas e no alto mar.
- Alto investimento
- São retirados do mar, não sendo feita produção em cativeiro 
- Ex: cobia, cobalos, corvina
Piscicultura ornamental
- Visa a produção de animais “atraentes”
- Pode ser feita em estufas, tanques de alvenaria, tanques de terra
- Instalações menores
- Peixes marinhos apresentam dificuldade na larvicultura
Carcinocultura
- Produção pode ser externa ou interna (estufas, tanques de alvenaria, caixas d’água)
- Pode ser feita a produção de espécies diferentes em conjunto (menos tecnificado)
Ranicultura
- Produção dividida em duas fases: aquática e terrestre
Malacocultura
- Produção que menos causa impacto ambiental
- Produção de animais filtradores: ostras, vieiras, mexilhão
- Não é necessário custo com alimentação, nutrientes retirados do ambiente
Produção de algas/plâncton 
- Utilizadas na alimentação: comida japonesa, produção de gelatina
- Plânctons utilizados na piscicultura
Produção aquícola e pesca mundial
Mercado consumidor sustentado pela pesca 55,8%
Aquicultura 44,2 % aumento gradativo
BR – 12º lugar; ranking liderado pela China
Espécies mais produzidas no BR 
1º- Tilápia (bom ganho de peso, docilidade, rápido crescimento, sem espinhos, boa cobertura muscular, rendimento de filé de 33%, 67% utilizado para farinhas, silagem, compostagem) na região sudeste, sul e nordeste sendo proibida na região norte por questões ecológicas
2º - peixes redondos (Pacu e Tambaqui) na região norte e nordeste
3º - Camarão marinho no litoral do nordeste e no sul
4º - Outros peixes
5º - mexilhões no sul
PRINCIPAIS ESPÉCIES DE PEIXES CULTIVADOS
NATIVAS x EXÓTICAS
Características gerais dos peixes de cultivo
- rusticidade (resistência a doença, resistência a manejo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.