A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
Apostila de contabilidade

Pré-visualização | Página 4 de 14

- Prof. Ms. Luís Carlos do Rego / Profa. Ms. Ruth Ap. M. Santos 
 
 Página 11 
 
CLASSIFICAÇÃO DAS CONTAS 
 
A) CONTAS PATRIMONIAIS: são aquelas que representam os Bens, Direitos, Obrigações e Patrimônio Liquido. Exemplos: Caixa, Veículos, 
etc. 
 
B) CONTAS DE RESULTADO: são as despesas e as receitas (aparecem e se encerram no próprio exercício). Não fazem parte do Balanço 
Patrimonial mas são elas que determinam o resultado do exercício (lucro ou prejuízo). 
 Despesas: já citadas, em suma, decorrem do consumo de bens e da utilização de serviços. Exemplo: energia elétrica consumida, os 
materiais de limpeza consumidos, o café consumido, os materiais de expediente consumidos, serviços telefônicos, etc. São 
registradas na contabilidade através das Contas de Despesas. Exemplo de contas: Água e Esgoto, Despesas de Aluguéis, Café e Lanches, 
Previdência Social, Ordenados e Salários, etc. 
 Receitas: já citadas, em suma, decorrem da venda de bens e da prestação de serviços. Existe em numero menor que as despesas. Exem-
plo de contas: Receita de Aluguéis, Descontos Obtidos, Vendas de Mercadorias, Receitas de Serviços, etc. 
 
PRÁTICA 2 
1) Complete: 
a. As Contas Patrimoniais são aquelas que representam o .................... da empresa num dado momento, através do Balanço Patrimonial, e 
se divide em ................... e .................. . 
 
b. As Contas de Resultado são aquelas que permitem apurar o ................ do exercício e se dividem em ................... e .................... . 
 
 
2) Do ponto de vista técnico-contábil o que é conta? 
 
 
3) Todas as contas utilizadas pela Contabilidade dividem-se em dois grupos. Quais são? 
 
 
4) No Ativo encontramos contas que representam que espécie de elementos? 
 
 
5) E no Passivo? 
 
 
6) Para que servem as Contas de Resultado? 
 
 
7) O que é exercício social ou exercício contábil? 
 
 
8) O que você entende por despesas? Cite três exemplos. 
 
 
9) O que você entende por receitas? Cite três exemplos. 
 
PLANO DE CONTAS 
 
É uma peça da técnica contábil que estabelece previamente a conduta a ser adotada na escrituração, através da exposição das contas em 
seus títulos, funções, funcionamento, grupamentos, análises e derivações. 
É um conjunto de normas e intitulação de contas, previamente estabelecido, destinado a orientar os trabalhos da escrituração contábil. 
Um plano de contas deve, assim, ser entendido como um conjunto de normas, como um sistema, como uma grande peça contábil, visando 
estabelecer, previamente, tudo o que diz respeito às contas a serem adotadas nos registros contábeis de uma empresa ou de uma entida-
de. 
Portanto, o elenco de contas considerado é indispensável par os registros de todos os fatos contábeis. 
 
Em fim, representa uma relação lógica e ordenada dos títulos que compõem a escrituração contábil de uma entidade, elencando todas as 
contas previstas pelo setor contábil para registrar os fatos ocorridos na empresa. 
 
Os principais objetivos de um plano de contas são: 
a) uniformizar os registros contábeis. 
b) permitir a inclusão ou a exclusão de contas (o plano deve ser flexível). 
c) os títulos das contas devem identificar, da melhor maneira possível, os fatos efetivamente ocorridos. 
 
 
Componente: Contabilidade - Prof. Ms. Luís Carlos do Rego / Profa. Ms. Ruth Ap. M. Santos 
 
 Página 12 
 
No plano cada conta deve ser classificada com um código numérico para distinguir das demais, exemplo: 
 
CÓDIGOS GRUPOS SALDOS 
1 ATIVO DEVEDOR 
2 PASSIVO CREDOR 
3 DESPESAS DEVEDOR 
4 RECEITAS CREDOR 
5 CONTAS DE APURAÇÃO DO RESULTADO 
 
GRAU DE CONTAS: 
Código da Conta Título da Conta Grau da Conta 
 
1 Ativo 1
º
 Grau 
1.1 Ativo Circulante 2
º
 Grau 
1.1.7 Estoques 3
º
 Grau 
1.1.7.1 Estoque de Matéria Prima 4
º
 Grau 
1.1.7.1.1 Chapas 5
º
 Grau 
1.1.7.1.2 Perfis 5
º
 Grau 
1.1.7.1.3 Tubos 5
º
 Grau 
1.1.7.1.4 Cantoneiras 5
º
 Grau 
 
OBS: Lançamento Contábil, somente poderá ser feito utilizando-se de contas do último Grau do Plano de Contas. 
 
CONTAS PATRIMONIAIS 
 
Na elaboração do plano devemos atender às necessidades da empresa e à Lei n.º 6.404 de 15/12/76, denominada LEI DAS SOCIEDADES 
POR AÇÕES, que determina nos artigos 176 a 182 e artigo 187, que as entidades elaborem o Plano de Contas, visando à apresentação do 
Balanço Patrimonial, bem como a Lei nº 11.638/07 de 28/12/2007 e a Lei nº 11941/09. 
 
Segundo essa Lei (com as alterações posteriores citadas), no Ativo as contas serão dispostas em ordem decrescente do grau de liquidez, ou 
seja, partindo do Ativo de maior liquidez para o Ativo de menor liquidez – entendendo por liquidez a capacidade que o bem ou direito 
tenha de se transformar em dinheiro. 
Já no Passivo serão classificados os elementos por ordem decrescente de grau de exigibilidade. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Componente: Contabilidade - Prof. Ms. Luís Carlos do Rego / Profa. Ms. Ruth Ap. M. Santos 
 
 Página 13 
 
ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL 
 
A T I V O P A S S I V O 
CIRCULANTE 
 Disponibilidades = Dinheiro em Caixa ou em conta corrente bancá-
ria 
 Realizável a Curto Prazo = direitos realizáveis no curso do exercício 
social seguinte (Curto Prazo). Ex.: Duplicatas a Receber, Impostos 
Recuperar 
 Investimentos = aplicações de recursos que não tem por finalidade 
o objetivo principal da empresa. Ex.: Imóveis para aluguel, Ações de 
Outras Empresas, etc. 
 Estoques = Bens destinados à venda. Ex.: Estoque de Mercadorias ou 
de Matéria-Prima 
 Despesas Antecipadas = Aplicações de recursos em despesas cujo 
benefício ocorrerá no exercício seguinte. Ex.: Seguros a Vencer 
CIRCULANTE 
Temos as dívidas ou obrigações da empresa que vencerem 
até o final do exercício social seguinte: 
 Obrigações Operacionais 
 Obrigações Tributárias 
 Obrigações Trabalhistas e Tributárias 
 Empréstimos e Financiamentos 
 Outras Obrigações de Curto Prazo 
NÃO CIRCULANTE – Bens e direitos que serão convertidos em dinheiro após 
o término do exercício social seguinte. 
 Realizável a Longo Prazo = Bens e direitos que serão convertidos 
em dinheiro após o término do exercício social seguinte. Ex.: Dupli-
catas a Receber 
 Investimentos = aplicações de recursos que não tem por finalidade 
o objetivo principal da empresa. Ex.: Imóveis para aluguel, ações de 
outras empresas, obras de arte, etc. 
 Imobilizado = bens e direitos que se destinam à manutenção das ati-
vidades da empresas. Ex.: Veículos, Máquinas, Computadores, etc. 
 Intangível = aqui ficarão os bens incorpóreos. Ex.: Marcas e patentes 
NÃO CIRCULANTE - Obrigações com terceiros vencíveis após 
o término do exercício social seguinte. Temos: 
 Obrigações Operacionais 
 Empréstimos e Financiamentos 
 Outras Obrigações a Longo Prazo 
 
 
 
PATRIMONIO LIQUIDO 
Capital pertencente aos proprietários. Temos: 
 Capital Social 
 Reservas de Capital 
 Ajustes de Avaliação Patrimonial 
 Reservas de Lucros 
 (- ) Prejuízos Acumulados 
 (-) Ações em Tesouraria 
 
A T I V O 
ATIVO CIRCULANTE - Neste grupo temos todas as contas que representam os Bens e os Direitos que, em sua maioria, estão em constante 
circulação os quais poderão ser vendidos ou consumidos durante o exercício social subseqüente, bem como direitos realizáveis a curto 
prazo, ou seja, que serão convertidos em moeda até o final

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.