Pesquisa, tecnologia e sociedade

Pesquisa, tecnologia e sociedade


DisciplinaTecnologia em Logistica189 materiais622 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Pergunta 1
	0 em 2 pontos
	
	
	
	Segundo Casarin e Casarin (2011, p. 19):
O descarte cada vez maior de produtos considerados obsoletos tem contribuído significativamente para degradar o meio ambiente. Por isso, o reaproveitamento desses produtos via reciclagem tem sido uma prática alternativa para diminuir o impacto ambiental do lixo tecnológico.
Marque as alternativas válidas para o que se pode dizer, a partir dessa citação, sobre a relação ciência, progresso e sociedade.
I Pode-se dizer que eles se relacionam de forma harmônica e sempre no sentido de avanço da humanidade e de melhoria das condições de vida da população de uma sociedade. 
II Pode-se dizer que eles não se relacionam, já que cada um trabalha isoladamente um do outro em uma sociedade fragmentária e dualista. 
III Pode-se dizer que a ciência, embora fosse condição para o progresso, às vezes também significa retrocesso e que pode trazer problemas para a sociedade. 
IV Eles estão totalmente relacionados, já que não há progresso sem ciência e o bem da sociedade deve ser o objetivo de toda pesquisa científica.
	Resposta Selecionada:
	Incorretad. 
Somente as alternativas I e IV estão corretas.
	Respostas:
	Corretaa. 
Somente as alternativas III e IV estão corretas.
	
	b. 
Somente as alternativas I e III estão corretas.
	
	c. 
Somente a alternativa I está correta.
	
	d. 
Somente as alternativas I e IV estão corretas.
	Feedback da resposta:
	Alternativa correta: a).
Enquanto a primeira alternativa é ingênua, deixando de ver os lados negativos e contraditórios da ciência e do progresso, a segunda é excessivamente pessimista, não vendo relação alguma; eles relacionam-se, sim, mesmo que nem sempre positivamente e de forma livre de contradições.
	
	
	
			Pergunta 2
	2 em 2 pontos
	
	
	
	Leia atentamente o trecho de Diehl e Tatim (2004, p. 25):
Preservar a liberdade na ciência e lutar por ela, por mais individualista que possa parecer, é a condição sine qua non ao conhecimento, pois a ciência vincula-se diretamente ao espírito da tragédia, aqui vista como a consciência do limite e de sua ruptura. Romper o limite é a própria tragédia: o desconhecido, o irracional para alguns. Como cientistas, trabalhamos sempre no limite, ou melhor, trabalhamos para rompê-lo e conseguir explicar a natureza, essa desconhecida.
Por que, segundo os autores, a tarefa do cientista é trágica?
	Resposta Selecionada:
	Corretad.
Ela é trágica porque o conhecimento científico nunca pode ser alcançado em sua totalidade, sendo que sempre se tem mais descobertas para fazer.
	Respostas:
	a. 
Ela é trágica porque todas as pessoas que se prezem deveriam ser cientistas, mas muitas não têm competência para isso.
	
	b.
Ela é trágica porque a maioria das pessoas é analfabeta em termos de ciência e, com isso, os cientistas vivem isolados, não têm com quem conversar e são incompreendidos por toda a sociedade.
	
	c.
Ela é trágica por causa da perseguição política pelos dirigentes dos governos, que costumam ver nos cientistas uma ameaça ao seu poder, pois, como diz o dito popular, saber é poder.
	
	Corretad.
Ela é trágica porque o conhecimento científico nunca pode ser alcançado em sua totalidade, sendo que sempre se tem mais descobertas para fazer.
	Feedback da resposta:
	Alternativa correta: d).
Ser cientista não é um ideal para toda a humanidade, que envolve uma grande variedade de profissionais e é bom que seja assim. O cientista não está completamente só e é incompreendido hoje em dia, pois a maioria das pessoas já entende alguma coisa de ciência, de modo que a sociedade acolhe os cientistas. Também não é essa a questão apontada no texto. Os políticos veem os cientistas mais frequentemente como aliados, importantes para o desenvolvimento da sociedade. O trágico, segundo o texto, é que o que o cientista busca, o conhecimento, escapa-lhe em sua plenitude.
	
	
	
			Pergunta 3
	0 em 2 pontos
	
	
	
	Um estudante resolve escrever um trabalho sobre o câncer de mama e usa, como ferramenta de pesquisa, o Google. Ele obteve 570.000 resultados, entre os quais: notícias de jornais, textos de blog, propagandas de remédios e livros, artigos sobre tratamentos milagrosos, informativos de entidades religiosas, médicas e sociais, com campanhas de prevenção, e alguns artigos acadêmicos.
A partir daí, responda: por que o Google, embora possa trazer resultados confiáveis como artigos científicos, pode vir a não ser uma base de dados interessante para a pesquisa científica?
I. Porque tem cunho comercial e popular e, portanto, traz resultados não válidos para a pesquisa científica.
II. Porque o pesquisador acaba perdendo tempo demais com a seleção dos resultados válidos e não válidos para a ciência.
III. Porque essa ferramenta é uma concorrente desleal das ferramentas oficiais da pesquisa científica.
IV. Porque essa ferramenta é usada no mundo inteiro e em todas as línguas, e a pesquisa não é feita no mundo inteiro, mas apenas nos países desenvolvidos.
	Resposta Selecionada:
	Incorretab. 
Apenas a alternativa I é válida.
	Respostas:
	a. 
Apenas as alternativas I e III são válidas.
	
	b. 
Apenas a alternativa I é válida.
	
	c. 
Apenas as alternativas I, III e IV são válidas.
	
	Corretad. 
Apenas as alternativas I e II são válidas.
	Feedback da resposta:
	Alternativa correta: d).
São pelo menos dois os problemas do Google: seu cunho popular e comercial, que envolve informações que têm outros interesses além do científico; e a grande abrangência do seu leque de resultados, o que faz o pesquisador perder tempo na seleção dos que têm validade científica e acadêmica. Não se trata de concorrência desleal, mesmo porque as ferramentas acadêmicas e populares são de cunho diferente. O problema também não é o seu uso internacional, já que as ferramentas de pesquisa acadêmica também são de abrangência internacional.
	
	
	
			Pergunta 4
	0 em 2 pontos
	
	
	
	Leia o seguinte texto:
Alvin Toffler é redator de jornal em Washington e da revista Fortune. Professor na Universidade de Cornell na Nova Escola de Pesquisa Social e também colaborador em várias revistas americanas. Possui títulos honorários em Ciências, Letras e Direito. O autor usa a metodologia e o estilo jornalístico. O \u201cChoque do Futuro\u201d reflete a necessidade de mudanças de ideias. O texto mostra que o autor se preocupa com o lado humano do amanhã e com a descoberta do melhor caminho pelo qual teremos que chegar no futuro. O autor trata do mundo de onde emergirão as novas ideias, os novos modelos de negócios e de estilos de vida. Enfim, o livro fala de mudanças de ideias que acontecerão de forma rápida e alerta-nos a examiná-las bem, por que elas poderão abrir horizontes para novas perspectivas. O \u201cChoque do Futuro\u201d é um choque de ideias. Ao se ler o livro fica bem claro que o autor se propõe a conflitar ideias arcaicas, que prosperaram ao longo dos anos, mas muitas vezes sem argumentação e nem lógica e que as gerações futuras se propõe a discutir. É um bom livro e recomenda-se a leitura. (REIS, 2015, p. 180).
De que tipo de produto acadêmico se trata?
	Resposta Selecionada:
	Incorretac. 
Resumo analítico.
	Respostas:
	Corretaa. 
Resumo crítico ou resenha.
	
	b. 
Resumo explicativo.
	
	c. 
Resumo analítico.
	
	d. 
Resumo indicativo ou descritivo.
	Feedback da resposta:
	Alternativa correta: a)
O texto contém um juízo crítico, e não apenas uma indicação para a leitura do texto original, que seria o resumo indicativo ou descritivo; ou um resumo de ideias, que seria o resumo analítico. Reis (2015) não cita resumo explicativo algum. Portanto, trata-se do resumo crítico ou resenha.
	
	
	
			Pergunta 5
	0 em 2 pontos
	
	
	
	Segundo Casarin e Casarin (2011), o método científico-experimental ou empírico segue a seguinte ordem: experimentação; formulação