Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
128 pág.
Associativismo, Cooperativismo

Pré-visualização | Página 1 de 29

Associativismo,
 Cooperativismo e Sindicalismo
FORMAÇÃO
TÉCNICA
Brasília, 2015
Associativismo, 
Cooperativismo e 
Sindicalismo
Curso Técnico em Agronegócio
SENAR - Brasília, 2015
S474c SENAR – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.
 Curso técnico em agronegócio: associativismo, cooperativismo e sindicalis-
mo / Serviço Nacional de Aprendizagem Rural ; Programa Nacional de Acesso 
ao Ensino Técnico e Emprego, Rede e-Tec Brasil, SENAR (Organizadores). – 
Brasília : SENAR, 2015.
126 p. : il. (SENAR Formação Técnica)
 
 ISBN: 978-85-7664-093-6
 
 Inclui bibliografia.
 1. Cooperativismo 2. Sindicalismo 3. Agroindústria - ensino. I. Programa 
Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. II. Rede e-Tec Brasil. III. 
Título. IV. Série. 
CDU: 658.114
Sumário
Introdução à Unidade Curricular –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 6
Tema1: Associativismo –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––12
Tópico 1: As Associações e sua Importância no Cenário Brasileiro –––––––––––––––––––––––––––––– 13
Tópico 2: Conceito e Características das Associações –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 27
Tópico 3: Associações de Produtores Rurais ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 33
Encerramento do Tema ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 35
Atividade de aprendizagem ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 35
Tema 2: Cooperativismo –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––39
Tópico 1: Organização das Cooperativas Brasileiras O Nascimento de uma Grande 
Ideia ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––40
Tópico 2: Concepção, Objetivos e Fundo Ético do Sistema Cooperativo Solidarismo e 
Mutualismo ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––46
Tópico 3: A Cooperação no Agronegócio –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––49
Tópico 4: Cooperativismo e as Regras do Mercado –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 53
Tópico 5: A Sociedade Cooperativa –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––60
Tópico 6: Atos Cooperativos –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 72
Tópico 7: Gestão das Sociedades Cooperativas de Produção Agropecuária –––––––––––––––77
Tópico 8: Análises Estratégicas de Gestão das Organizações Sociais Agropecuárias 81
Tópico 9: Sistema OCB/Sescoop ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 87
Encerramento do Tema –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––89
Atividade de aprendizagem –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––89
Tema 3: Sindicalismo ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––93
Tópico 1: Aspectos Gerais e Históricos do Sindicalismo –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––94
Tópico 2: Legislação sobre Princípios, Liberdade Sindical e de Organização –––––––––––––98
Tópico 3: Organização e Atividades Sindicais ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––99
Tópico 4: Sindicalismo Rural – Regras e Atores ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––101
:
:
S474c SENAR – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.
 Curso técnico em agronegócio: associativismo, cooperativismo e sindicalis-
mo / Serviço Nacional de Aprendizagem Rural ; Programa Nacional de Acesso 
ao Ensino Técnico e Emprego, Rede e-Tec Brasil, SENAR (Organizadores). – 
Brasília : SENAR, 2015.
126 p. : il. (SENAR Formação Técnica)
 
 ISBN: 978-85-7664-093-6
 
 Inclui bibliografia.
 1. Cooperativismo 2. Sindicalismo 3. Agroindústria - ensino. I. Programa 
Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. II. Rede e-Tec Brasil. III. 
Título. IV. Série. 
CDU: 658.114
Curso Técnico em Agronegócio
4
Tópico 5: Sistema Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA –––––––––––– 113
Encerramento do Tema –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 119
Atividade de aprendizagem –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– 119
Atividade extra: Análise Conceitual Comparativa ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––122
Atividade de aprendizagem – Gabarito ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––123
Atividade extra: Análise Conceitual Comparativa ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––124
Referências Bibliográficas –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––125
Introdução à Unidade Curricular
Curso Técnico em Agronegócio
6
Introdução à Unidade Curricular
Olá, seja bem-vindo(a) à Unidade Curricular Associativismo, Cooperativismo e Sindicalismo do 
curso Técnico em Agronegócio da Rede e-Tec Brasil do Senar.
Para iniciar os estudos, reflita uns momentos sobre estas perguntas: 
• O que me motivou a fazer este curso? 
• Estou em busca de conhecimento? Para quê? 
• O que farei com esse conhecimento?
• Estou em busca de mais oportunidades? Para quê? Para o trabalho? Para a comunidade?
Dizem que não são as respostas que movem o mundo, e sim as perguntas. Na verdade, os 
desafios moram nas perguntas, e não nas respostas.
Na figura a seguir, você pode analisar um esquema que representa as relações sistêmicas de 
cooperação para o desenvolvimento sustentado com qualidade de vida. Tente se enxergar 
nas descrições de cidadãos, profissionais e pessoas.
Associativismo, Cooperativismo e Sindicalismo
7
Qualidade de vida
Cooperativas
Associações
Sindicatos
Empresa
Individual
Assistência
técnica
Sociedades
Insumos
Crédito
Produtos
Comercialização
Primários
Agroindústria
Armazenamento
Beneficiados/
Transformados
Pesquisa
Tecnologia
Capacitação
Indicador
Renda sustentável
Defesa de
direitos
Mercado
Área estratégica
de Atuação
Desenvolvimento
Sustentável
Viabilidade econômica 
com sustentabilidade
Políticas públicas
Participação
Valores
Cooperação
Solidariedade
Democracia
Respeito às
diferenças
Conselhos
ONG’s
MSTR
Igrejas
Dimensões
Movimentos
sociais
Acordo de
conveniência
Contratos
sociais
CIDADÃOS PROFISSIONAIS PESSOAS
Curso Técnico em Agronegócio
8
Pessoas
Quem são as pessoas? As pessoas são aqueles indivíduos que possuem valores – de 
participação, cooperação, solidariedade, democracia e respeito às diferenças –, adquiridos e 
formados durante a sua vida, diante de conceitos que a sociedade impõe. 
As diferenças entre as pessoas sempre existirão, mas como podem ser minimizadas? 
Para facilitar a convivência entre as pessoas, existem ferramentas como o “acordo de 
convivência” ou os “contratos sociais”, que podem ser formais ou informais.
Contratos formais são escritos, e, em alguns casos, o seu registro é exigido. Esses contratos 
também são chamados de “contratos solenes”. Por exemplo, um contrato de compra e venda 
ou
Página123456789...29