HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO
2 pág.

HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO


DisciplinaEmbriologia8.742 materiais233.018 seguidores
Pré-visualização1 página
HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO (HC) \u2013 ROTEIRO DE ESTUDOS
O hipotireoidismo congênito afeta, em regiões iodo-suficientes, cerca de 1:3000 a 1:4000 recém-nascidos. É considerada a principal causa de retardo mental e desordem relacionada ao sistema endócrino mais comum entre os neonatos.
A doença é o resultado da deficiência da produção dos hormônios tireoidianos que atuam com grande importância na organogênese do sistema nervoso central até os dois anos de vida. \u2013IMPORTANTE PARA EMBRIO!!!
Os portadores de HC apresentam também problemas cardíacos congênitos, pois os hormônios tireoidianos atuam no desenvolvimento do sistema cardiovascular. IMPORTANTE PARA EMBRIO!!!
O diagnóstico precoce e o tratamento são essenciais para o desenvolvimento intelectual dos portadores dessa síndrome.
O tratamento tardio em portadores de HC causa: déficits cognitivos e motores,atraso de linguagem, modificações nas articulações, alterações fonológicas, morfossintáticas, de compreensão, vocabulário reduzido e dificuldade para nomeação.
Aproximadamente em 85% dos casos, o HC neonatal é resultado de defeitos na formação glandular durante a embriogênese (disgenesias tireoidianas). As causas secundárias e terciárias do HC são consequências diretas de modificações na hipófise e no hipotálamo.
A disgenesia tireóidea é causada por erros na transcrição decorrentes de mutações durante a embriogênese da tireoide (como o TTF-1, o TTF-2 e o PAX-8).
O HC neonatal pode ser classificado em permanente ou transitório.
HC permanente: é subclassificado como primário, secundário ou terciário. O primário em sua maioria é causado por disgenesia tireoidea. Já o secundário e o terciário são causados devido à resistência periférica ao hormônio tireóideo.
HC transitório:Ocasionado por deficiência de iodo e o uso materno de drogas antitireóideas. Ocorre uma deficiência temporária do hormônio da tireoide, descoberto também no nascimento. Entretanto, posteriormente, a glândula pode retornar aos níveis de produção normais dos hormônios.
SOUZA, M. A.; NUNES, R. F. F.; BRITO, H. A. V.; GUZEN, F. P.; CAVALCANTI, J. R. L. P. . O HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO: ESCLARECENDO A SUA MANIFESTAÇÃO A PARTIR DE PRINCÍPIOS MORFOFUNCIONAIS. Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, v. 9, p. 65-70, 2011.
(SOUZA; NUNES; BRITO; GUZEN; CAVALCANTI, 2011).