A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
61 pág.
AUXILIAR DE FARMÁCIA E ATENDENTE

Pré-visualização | Página 3 de 15

sua qualidade. 
 
Medicamento similares: os similares são medicamentos que possuem o mesmo fármaco, a 
mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação 
terapêutica do medicamento de referência (ou marca), mas, não tem sua bioquivalência com o 
medicamento de referência comprovada 
 
Medicamento de referência são, medicamentos inovadores, cuja eficácia, segurança e 
qualidade foram comprovadas cientificamente, por ocasião do registro junto ao ministério da 
saúde, através da: 
 
• Observar o prazo de validade, depois de aberto, dado pelo fabricante (se o 
fabricante não der o prazo de validade, não usar mais do que 7 dias).
 
Administração de medicamentos por via auricular 
 
Ao instilar o medicamento no ouvido, deve-se: 
 
• Inicialmente, lavar as mãos; 
• Deitar a cabeça para o lado oposto ao ouvido a ser tratado; 
• Instilar as gotas recomendadas sem encostar a conta-gotas na orelha; 
• Não utilizar, após aberto, no prazo superior a 15 dias; 
• Não colocar algodão seco para tampar, ele pode absorver o medicamento; 
 
Administração de medicamento por via oral 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Administração por via nasal 
 
Deve seguir as seguintes orientações: 
 
• Inicialmente, lavar as mãos; 
• Pedir que assoe o nariz; 
• Estender a cabeça para trás e manter por um minuto após aplicar o medicamento; 
• Instilar nas narinas, o número de gotas indicado; 
• Se sentir o gosto do remédio na boca, isto é normal; 
• Não abuse do uso destes produtos; 
• Depois de aberto o medicamento não deve ser utilizado após 15 dias; 
 
Administração de produtos dermatológicos 
 
Estes medicamentos são aplicados sobre a pele e seguem as seguintes observações: 
 
• Lavar a região onde será aplicado o produto; 
• Usar conote ou palito de sorvete para aplicar os cremes ou pomadas; Se você sentir cheiro 
ácido, o produto deve ser desprezado;
Comprimidos e cápsulas Deve ser tomados com água; 
Não macerar o comprimido; 
Não abrir cápsulas. 
Gotas Podem ser diluídas com pouco de água; 
Seguir o número de gotas prescrito; 
Não administrar direto na boca; 
Líquidos (xaropes, solução, elixir, suspensão Administrar sempre a medida prescrita; 
Após, pode-se dar um pouco de água. 
 
Administração de produto dermatológicos 
 
Estes medicamentos são aplicados sobre a pele e seguem as seguintes observações: 
 
• Lavar a região onde será aplicado o produto; 
• Usar cotonete ou palito de sorvete para aplicar os cremes ou pomadas; Se você sentir 
cheiro ácido, o produto deve ser desprezado; 
 
Administração de medicamento por via retal 
 
A utilização via retal de supositórios deve seguir as seguintes instruções: 
 
• Inicialmente ,lavar as mãos ; 
• Retirar o supositório do invólucro; 
• Com a pessoa deitada de lado, introduzir o medicamento no ânus; 
• Juntar as nádegas por alguns instantes; 
• Se o supositório sair inteiro, deve-se colocar outro; 
• Se o supositório estiver amolecido, pode se colocá-lo na geladeira. 
 
Responsabilidade de uma farmácia 
 
Os órgãos competentes estabelecem que cada farmácia tem que ter, pelo menos, dois 
diretores técnicos licenciados em farmácia. Um deles é o responsável pelo estabelecimento e tem 
que estar na farmácia em permanência e exclusividade, o outro lhe substitui sempre que 
necessário. Como a lei impõe que o farmacêutico tenha que passar pelo menos 55 horas 
semanais na farmácia, este horário exige pelo menos duas pessoas para assumirem o cargo. 
 
A lei ainda exige que a maioria dos funcionários nos quadros de uma farmácia tem que ser 
farmacêuticos. 
 
À única exceção vai para os postos farmacêuticos que queiram transforma-se em farmácias, “de 
forma a o possibilitar adaptabilidade do respectivo quadro”. A fiscalização fica a cargo do instituto 
nacional de farmácia e do medicamento. 
 
Reações adversas na ingestão de medicamentos 
 
As reações adversas a medicamentos constituem um problema importante na pratica do 
profissional da área da saúde. Sabe-se que essas reações são causas significativas de 
hospitalização, de aumento do tempo de permanência hospitalar e, até mesmo, de óbito. Além 
disso, elas afetam negativamente a qualidade de vida do paciente, influenciam na perda de 
confiança do paciente para com o médico, aumentaram custos, podendo também atrasar os 
tratamentos, uma vez que podem assemelhar-se a enfermidades. A organização Mundial de 
Saúde (OMS) tem definido reação adversa a medicamentos (RAM), como: “Qualquer efeito 
prejudicial ou indesejável, não intencional, que parece após a administração de um medicamento 
em doses normalmente utilizadas no homem para a profixacia, o diagnóstico e o tratamento de 
uma enfermidade”.
 
Assim, não são consideradas reações adversas a medicamentos os efeitos adversos que 
aparecem depois de doses maiores do que as habituais (acidentais o intencionais). Independente 
do termo , deve-se diferenciar deste conceito o de evento adverso , considerado uma injuria 
sofrida pelo paciente resultante de erros no uso de medicamentos e que resultam em falha 
terapêutica. O evento pode ser devido a vários fatores relacionados com o tratamento: dose do 
medicamento incorreta, dose omitida, via de administração não especificada, horário de 
administração incorreto e outros. Deve-se lembrar que uma superdose de medicamento não 
poderia ser considerada como uma reação adversa de acordo com a definição, mas pode ser 
considerado um evento adverso. Complicações ou alguns eventos não previstos na admissão 
hospitalar, relacionados com a assistência médica, de enfermagem ou de outras áreas de 
suporte, que ocorrem com o paciente durante a internação também como evento adverso. 
 
Farmácia hospitalar 
 
A farmácia Hospitalar é um órgão de abrangência assistencial, técnico-científica e 
administrativa, onde se desenvolvem atividades ligadas á produção, armazenamento, controle, 
dispensação e distribuição do medicamentos e correlatos á unidades hospitalares. 
 
È igualmente responsável pela orientação de pacientes internos e ambulatoriais, visando sempre 
a eficácia de terapêutica, além da redução dos custos, voltando-se também para o ensino e a 
pesquisa, propiciando assim um vasto campo de aprimoramento profissional. 
 
Serviço da farmácia hospitalar 
 
Um serviço de farmácia em um hospital é o apoio clínico integrado, funcional e 
hierarquicamente, em um grupo de serviços que dependem diretamente da Direção Central e 
estão em constante e estreita relação com sua administração. A principal razão de ser da 
farmácia é servir ao paciente, objetivando dispensar medicações seguras e oportunas Sua 
missão compreende tudo o que se refere ao medicamento, desde sua seleção até sua 
dispensação, velando a todo momento por sua adequada utilização no plano assistencial, 
econômico, investigativo e docente. O farmacêutico tem, portanto, uma importante função clínica, 
administrativa e de consulta. O serviço de farmácia é o componente sistêmico da organização 
hospitalar onde é desenvolvida a assistência farmacêutica, que possui dois componentes básicos: 
O administrativo e o clínico. 
 
Atividades fins: 
 
• Fornecer medicamentos aos pacientes internados e ambulatoriais; 
• Contribuir para a cura ou prevenção das doenças através da utilização de medicamentos. 
 
Atividades Intermediárias: 
 
• Comprar medicamentos; 
• Promover a estocagem de medicamentos em condições adequada; 
• Promover a manipulação de medicamentos; 
• Registrar a movimentação do estoque; 
• Controlar a qualidade;
 
• Controlar medicamentos entorpecentes e psicotrópicos, de acordo com a lei; 
• Atuar nas comissões hospitalares CCIH – Comissão de controle

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.