A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
102 pág.
Dir. Trabalho - TRT3 aula 01

Pré-visualização | Página 10 de 21

a partir dos 18 anos de idade. 
(B) em qualquer atividade lícita, a partir dos 13 anos de idade, desde que 
autorizado pelo Ministério Público do Trabalho. 
(C) como aprendiz, desde que autorizado pelos pais, a partir de 13 anos de idade. 
 
 Direito do Trabalho p/ TRT3 (Minas Gerais) 
Teoria e Questões Comentadas 
Prof. Mário Pinheiro / Prof. Antonio Daud Jr ± 
Aula 01 
 
 
 
Prof. Mário Pinheiro / 
Prof. Antonio Daud Jr www.estrategiaconcursos.com.br Página 53 de 101 
 
 
(D) redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, 
higiene e segurança. 
(E) jornada suplementar com adicional mínimo de 25%. 
 
 Gabarito (D). 
 
 O repouso semanal deve ser concedido preferencialmente aos 
domingos; há previsão constitucional de adicional também para atividades 
penosas; seguro-desemprego não é devido caso o empregado peça demissão; e 
o adicional de jornada extraordinária é de, no mínimo, 50%. 
 
O inciso XXII do artigo 7º da CF/88 (redução dos riscos inerentes ao 
trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança) é um dos 
fundamentos de validade das Normas Regulamentadoras (NR) expedidas pelo 
Ministério do Trabalho e Emprego, que objetivam resguardar a segurança e saúde 
dos trabalhadores regidos pela CLT. 
 
19. (FCC_TRT20_ANALISTA JUDICIÁRIO_ÁREA JUDICIÁRIA_2006) É assegurada 
a igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente 
e o trabalhador avulso. 
 
 Alternativa correta. 
 
CF/88, art. 7º, XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo 
empregatício permanente e o trabalhador avulso. 
 
 O trabalhador avulso é definido pela legislação previdenciária como quem 
presta, a diversas empresas, sem vínculo empregatício, serviço de natureza 
urbana ou rural definidos no Regulamento [da Previdência Social]. É o caso de 
ensacadores de café, amarradores de embarcações, estivadores, etc. 
 
 Sendo assim, o trabalhador avulso não é empregado, mas a esta categoria 
foram estendidos os direitos assegurados ao trabalhador com vínculo 
empregatício. 
 
20. (FCC_TRT20_ANALISTA JUDICIÁRIO_ÁREA JUDICIÁRIA_2006) A ação quanto 
aos créditos resultantes das relações de trabalho, tem prazo prescricional de 2 
 
 Direito do Trabalho p/ TRT3 (Minas Gerais) 
Teoria e Questões Comentadas 
Prof. Mário Pinheiro / Prof. Antonio Daud Jr ± 
Aula 01 
 
 
 
Prof. Mário Pinheiro / 
Prof. Antonio Daud Jr www.estrategiaconcursos.com.br Página 54 de 101 
 
 
anos para os trabalhadores rurais e 5 para os urbanos, até o limite de 1 ano após 
a extinção do contrato de trabalho. 
 
 Alternativa incorreta. 
 
 O limite de 2 anos se aplica após o término de contrato, e o de 5 anos 
durante a vigência do mesmo. Não há diferenciação entre os prazos do 
trabalhador urbano e rural. 
 
CF/88, art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros 
que visem à melhoria de sua condição social: 
(...) 
 
XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo 
prescricional de cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite 
de dois anos após a extinção do contrato de trabalho; 
 
 
 
21. (FCC_TRT20_ANALISTA JUDICIÁRIO_ÁREA JUDICIÁRIA_2011) Com relação a 
renúncia em matéria trabalhista, é correto afirmar: 
(A) A renúncia a direitos futuros é, em regra, inadmissível, sendo proibido pelo 
TST, inclusive, a pré-contratação de horas extras pelos bancários quando da sua 
admissão. 
(B) Havendo a coexistência de dois regulamentos da empresa, a opção do 
empregado por um deles não tem efeito jurídico de renúncia às regras do sistema 
do outro. 
(C) O direito ao aviso prévio é renunciável pelo empregado, sendo que o pedido 
de dispensa de cumprimento sempre exime o empregador de pagar o respectivo 
valor. 
(D) Trata-se de uma relação jurídica em que as partes fazem concessões 
recíprocas, nascendo daí o direito de ação. 
(E) No curso do contrato trabalhista a renúncia é inadmissível em qualquer 
hipótese, obedecendo-se ao princípio da proteção, bem como a relação de 
hipossuficiência existente. 
 
 Gabarito (A), tendo a questão sido construída basicamente sobre 
jurisprudência do TST. 
 
 Direito do Trabalho p/ TRT3 (Minas Gerais) 
Teoria e Questões Comentadas 
Prof. Mário Pinheiro / Prof. Antonio Daud Jr ± 
Aula 01 
 
 
 
Prof. Mário Pinheiro / 
Prof. Antonio Daud Jr www.estrategiaconcursos.com.br Página 55 de 101 
 
 
 
 A alternativa (A) está correta porque, de fato, é regra que não se admita a 
renúncia de direitos por parte do trabalhador. 
 
 $FHUFD�GD�³renúncia a direitos futuros´��FRPR�FLWDGR�QD�TXHVWmR��R�SODQR�GH�
fundo é a Súmula 199, que veda expressamente a pré-contratação de horas 
extraordinárias: 
 
SUM-199 BANCÁRIO. PRÉ-CONTRATAÇÃO DE HORAS EXTRAS 
I - A contratação do serviço suplementar, quando da admissão do trabalhador 
bancário, é nula. Os valores assim ajustados apenas remuneram a jornada 
normal, sendo devidas as horas extras com o adicional de, no mínimo, 50% 
(cinqüenta por cento), as quais não configuram pré-contratação, se pactuadas 
após a admissão do bancário. 
 
 Quanto à alternativa (B), também incorreta, caso haja dois regulamentos 
na empresa (que dispõe sobre regras, direitos e obrigações no âmbito 
empresarial) e o empregado opte por um deles, a jurisprudência do TST entende 
que esta opção representa renúncia ao outro por parte do empregado: 
 
 
SUM-51 NORMA REGULAMENTAR. VANTAGENS E OPÇÃO PELO NOVO 
REGULAMENTO. ART. 468 DA CLT 
(...) 
II - Havendo a coexistência de dois regulamentos da empresa, a opção do 
empregado por um deles tem efeito jurídico de renúncia às regras do sistema do 
outro. 
 
 A alternativa (C), por sua vez, atrita com a Súmula 276, que não admite 
renúncia de aviso prévio por parte do empregado: 
 
SUM-276 AVISO PRÉVIO. RENÚNCIA PELO EMPREGADO 
O direito ao aviso prévio é irrenunciável pelo empregado. O pedido de dispensa 
de cumprimento não exime o empregador de pagar o respectivo valor, salvo 
comprovação de haver o prestador dos serviços obtido novo emprego. 
 
 Já a alternativa (D) tratou de transação, e não de renúncia (ela mencionou 
³concessões recíprocas´��R�TXH�FDUDFWHUL]D�D�WUDQVDomR�� 
 
 
 Direito do Trabalho p/ TRT3 (Minas Gerais) 
Teoria e Questões Comentadas 
Prof. Mário Pinheiro / Prof. Antonio Daud Jr ± 
Aula 01 
 
 
 
Prof. Mário Pinheiro / 
Prof. Antonio Daud Jr www.estrategiaconcursos.com.br Página 57 de 101 
 
 
(D) o direito de participação na CIPA da empresa, aposentado, desde que filiado 
ao sindicato. 
(E) a permissão de trabalho insalubre ao menor na condição de aprendiz, a partir 
de 14 anos. 
 
Gabarito (A). 
 
CF/88, art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros 
que visem à melhoria de sua condição social: 
 
(...) 
 
XXVII - proteção em face da automação, na forma da lei; 
 
 O dispositivo é uma previsão constitucional de proteção dos trabalhadores 
contra inovações tecnológicas, que por vezes reduzem a demanda por mão de 
obra em consequência da utilização de máquinas que eliminem postos de 
trabalho. 
 
 As demais alternativas distorceram outras alíneas do artigo 7º, como se 
verifica abaixo: 
 
 
CF/88, art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros 
que visem à melhoria de sua condição social: 
 
(...) 
 
XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou 
entre os profissionais respectivos; 
 
XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de 
dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição