Apol Questão Indígena no Brasil Uma Perspectiva Histórica   100
5 pág.

Apol Questão Indígena no Brasil Uma Perspectiva Histórica 100


DisciplinaQuestão Indigena no Brasil206 materiais188 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Questão 1/5 - Questão Indígena no Brasil: Uma Perspectiva Histórica
Leia a citação: 
\u201cA cosmologia Karajá, posta em evidência através de uma série de representações vistosas, já chamou a atenção de muitos autores. [...] Desde o início do século, uma série de viajantes, missionários católicos e protestantes, antropólogos e curiosos produziram farta bibliografia sobre o grupo\u201d. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: TORAL, André Amaral De. Cosmologia e Sociedade Karajá. Dissertação (Mestrado) \u2013 Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,1992.<http://www.andretoral.com.br/_img/autor/cosmologia_e_sociedade_karaja.pdf>. Acesso em 24 jan. 2019. 
Conforme a citação e os conteúdos do livro-base Questão indígena no Brasil: uma perspectiva histórica sobre os Carajás, leia as seguintes afirmativas:
I. O interesse nos estudos sobre os carajás é justamente a classificação de mestiçagem que o grupo adota.
II. Os carajás classificam como tori os filhos de índios com índios, normalmente também chamados de índio puro.
III. As crianças carajás são categorizadas no nível de miscigenação do casamento do qual são frutos. 
Agora, assinale a sequência correta:
Nota: 20.0
	
	A
	F \u2013 V \u2013 F
	
	B
	V \u2013 F \u2013 V
Você acertou!
A sequência correta é: V \u2013 F \u2013 V. De acordo com o livro-base: \u201cO interesse nos estudos sobre os carajás é justamente a classificação de mestiçagem que o grupo adota. As crianças são categorizadas no nível de miscigenação do casamento do qual são frutos. [\u2026] Por fim, há o tori, que designa o filho de mestiços com não índio, normalmente descendente de casamento com brancos regionais\u201d. (Livro-base, p. 208).
	
	C
	F \u2013 F \u2013 V
	
	D
	V \u2013 V \u2013 F
	
	E
	F \u2013 V \u2013 V
Questão 2/5 - Questão Indígena no Brasil: Uma Perspectiva Histórica
Atente para o fragmento de texto: 
\u201cAtrair os índios para os aldeamentos no Paraná era algo que já se fazia há algum tempo, oferecendo a eles produtos e mercadorias ocidentais. [\u2026] Para denominar os índios que circulavam nos aldeamentos durante esse período, criou-se uma categorização própria: \u2018a dos índios aldeados, a dos índios agregados e a dos índios do sertão&quot;' 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: MARCHIORO, Márcio. Questão indígena no Brasil: uma perspectiva histórica [livro eletrônico] Marcio Marchioro. Curitiba: InterSaberes, 2018. p. 182-183. 
Conforme o fragmento de texto e os conteúdos do livro-base Questão indígena no Brasil: uma perspectiva histórica relacione corretamente as seguintes denominações às suas respectivas características:
1. Índios aldeados.
2. Índios agregados.
3. Índios do sertão.
( ) A distância que preservavam do aldeamento tinha relação com as intenções de manterem-se longe das práticas cristãs e de terem uma liberdade maior de costumes.
( ) Eram aqueles que se estabeleceram nas colônias indígenas e participavam da rotina católica e de cerimônias cristãs.
( ) Procuravam preservar as características de deslocamentos constantes presentes nas culturas guarani e caingangue do Brasil meridional. 
Agora, selecione a alternativa que apresenta a sequência correta:
Nota: 20.0
	
	A
	2 \u2013 1 \u2013 3
Você acertou!
A sequência correta é 2 \u2013 1 \u2013 3. \u201cOs aldeados eram aqueles que se estabeleceram nas colônias indígenas e participavam da rotina católica e de cerimônias cristãs [...]. Já os agregados não estavam presentes fixamente nos aldeamentos, porém participavam do sistema de trocas com índios aldeados, padres, funcionários e administradores. A distância que preservavam do local tinha relação com as intenções de manterem-se longe das práticas cristãs e de terem uma liberdade maior de costumes. Por último, índios do sertão procuravam preservar as características de deslocamentos constantes presentes nas culturas guarani e caingangue do Brasil meridional\u201d. (Livro-base, p. 183).
	
	B
	3 \u2013 2 \u2013 1
	
	C
	2 \u2013 3 \u2013 1
	
	D
	1 \u2013 2 \u2013 3
	
	E
	3 \u2013 1 \u2013 2
Questão 3/5 - Questão Indígena no Brasil: Uma Perspectiva Histórica
Atente para a seguinte citação: 
\u201cAs discussões sobre a origem e as rotas de expansão dos povos Tupi-guarani estão entre as mais acaloradas na antropologia brasileira. Primeiramente porque vestígios arqueológicos dessa tradição ceramista abundam em quase todo o território nacional. Segundo porque, diferentemente do que ocorre com as demais tradições arqueológicas já identificadas no Brasil, o debate sobre os Tupi-guarani tem aliado, de forma bastante instigante, informações advindas da arqueologia, da etnologia e da linguística histórica [...]\u201d. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: NEVES, Walter Alves; BERNARDO, Danilo Vicensotto; OKUMURA, Mercedes; ALMEIDA, Tatiana Ferreira de; STRAUSS, André Menezes. Origem e dispersão dos Tupiguarani: o que diz a morfologia craniana? Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 6, n. 1, p. 95-122, jan.-abr. 2011 <http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v6n1/a07v6n1.pdf>. Acesso em 31 jan. 2019. 
Conforme a citação e os conteúdos do livro-base Questão indígena no Brasil: uma perspectiva histórica sobre a família linguística Tupi-guarani, leia as afirmativas abaixo:
I. Considerando a amplitude de sua abrangência geográfica, o tupi-guarani é uma família linguística do tronco tupi análoga ao tronco macro-jê.
II. Há uma maior ramificação populacional na família linguística tupi-guarani, que criou grupos muito semelhantes.
III. Os dados linguísticos colaboram para mostrar a cultura tupi-guarani como sendo basicamente sedentária. 
Está correto apenas o que se afirma em:
Nota: 20.0
	
	A
	I
	
	B
	II
	
	C
	III
	
	D
	I e II
Você acertou!
estão corretas as afirmativas I e II. \u201c[...] o tupi-guarani - que seria uma família linguística do tronco tupi análoga ao tronco macro-jê, tendo em vista a amplitude de sua abrangência geográfica - preserva uma semelhança maior nas estruturas de palavras e nas frases entre suas variações. [\u2026] Na família linguística tupi-guarani, existe uma maior ramificação populacional que criou grupos muito parecidos [...]\u201d.  (Livro-base, p. 34-35). A afirmativa III é incorreta, pois \u201cDessa forma, os dados linguísticos colaborariam para mostrar a cultura tupi-guarani como extremamente móvel\u201d. (Livro-base, p. 35).
	
	E
	II e III
Questão 4/5 - Questão Indígena no Brasil: Uma Perspectiva Histórica
Leia o fragmento de texto: 
\u201cMuitos trabalhos são identificados como filiados à \u2018história indígena\u2019, outros à \u2018etno-história\u2019. Esses dois conceitos são utilizados para designar diversas pesquisas que, em sua maioria, envolvem questões indígenas com abordagens históricas. Apesar disso, nem sempre tais conceitos são apresentados com clareza. Considerando que podem se desdobrar em diversas semânticas, especialmente o conceito de \u2018etno-história\u2019, alguns de seus usos podem conduzir a imbróglios\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: CAVALCANTE, Thiago Leandro Vieira. Etno-história e história indígena: questões sobre conceitos, métodos e relevância da pesquisa. História (São Paulo), v.30, n.1, p. 349-371, jan/jun 2011 <http://www.scielo.br/pdf/his/v30n1/v30n1a17.pdf>. Acesso em 01 fev. 2019. 
Conforme as informações acima e os conteúdos do livro-base Questão indígena no Brasil: uma perspectiva histórica sobre as críticas ao uso do termo etno-história, leia as afirmativas a seguir:
I. ( ) A etno-história se apresentaria como uma disciplina distinta da antropologia e da história, criando a ilusão de que sua metodologia seria diferente das demais ciências humanas.
II. ( ) O problema do termo etno-história, para seus críticos, é que ele representaria uma distinção abrupta entre a história ocidental e a história dos povos indígenas.
III. ( ) O uso do termo etno-história como disciplina acadêmica diverso da história, da antropologia e da arqueologia