História do Rádio

História do Rádio


DisciplinaRadiojornalismo55 materiais398 seguidores
Pré-visualização2 páginas
RADIOJORNALISMO
Profa. Ms. Mônica Nunes 
HISTÓRIA DO RÁDIO 
Oficialmente, em 1896, o cientista italiano Guglielmo Marconi inventou o rádio. Marconi estudou nas melhores escolas e desde menino demonstrou interesse pela ciência nos ramos da física e da eletricidade. Ainda rapaz, começou seus experimentos em laboratório com seu pai, foi quando conseguiu enviar sinais pelo telégrafo sem fio, a uma distância de 4 km. Observou também que elevando a altura das antenas, alcançava maior distância. Não tendo apoio do governo italiano, foi para a Inglaterra, em 1896, onde obteve a primeira patente para o seu telégrafo sem fio devido aos interesses comerciais dos ingleses, já que por meio desse invento poderiam alcançar navios cargueiros afastados da costa. 
2
A VERSÃO DE UM BRASILEIRO 
A história da invenção do rádio passa pelo Brasil por meio do padre gaúcho Roberto Landell de Moura, nascido em Porto Alegre em 1862. Ele desenvolveu um aparelho que transmitia e recebia a voz humana sem a utilização de fios condutores. Sua primeira experiência aconteceu em São Paulo, em 1892. O sucesso do feito colocou em xeque sua sanidade mental diante de seus superiores. Só conseguiu patentear sua invenção em 1900. 
ROQUETTE PINTO \u2013 O pai do Rádio no Brasil 
Conhecido como um dos principais antropólogos do Brasil, Edgard Roquette Pinto, o \u201cpai do rádio\u201d no país, demonstrou grande interesse em relação aos meios de comunicação, em especial ao rádio. Em situação embrionária no Brasil, Roquette previu imediatamente o seu uso como um difusor de cultura popular. O sucesso da primeira irradiação no Brasil, em 1922, durante as comemorações do Centenário da Independência, realizada no alto do Corcovado, no Rio de Janeiro, transmitindo o discurso do então presidente Epitácio Pessoa, foi a gota d´água para os planos da primeira emissora brasileira.
Foi o fundador da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro em 20 de abril de 1923, a primeira rádio brasileira. Tinha como objetivo educar e divulgar ciência e cultura, por sua capacidade de alcançar os ouvintes mais distantes e pobres. 
 
ROQUETTE PINTO \u2013 O pai do Rádio no Brasil
Mas há uma polêmica também quanto ao surgimento da primeira emissora de rádio no Brasil, oficialmente se credita à Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, hoje Rádio Mec. Mas a Rádio Clube de Pernambuco, fundada por jovens do Recife, em abril de 1919, já havia realizado suas primeiras transmissões radiofônicas. 
Os responsáveis pela presença do rádio no Brasil, nos anos 20, foram grupos formados por amigos que dividiam os custos das transmissões, compravam equipamentos, material de escritório e alugavam salas para as transmissões da emissora. 
 
CONTEXTO HISTÓRICO DO RÁDIO
DÉCADA DE 20 
Nessa época, o rádio não tinha fins comerciais. Não existia a publicidade que ganharia fôlego na década de 30. Antes disso havia as chamadas \u201crádios clubes\u201d ou \u201crádios sociedades\u201d, ou seja, rádios com programação elitista e raio de irradiação limitado, organizadas por pessoas da alta burguesia, que além de sustentarem as emissoras, forneciam suas coleções de discos, geralmente de música clássica. 
CONTEXTO HISTÓRICO
DÉCADA DE 30
Em 1931, surgiu uma emissora que seria um marco na história do rádio brasileiro: a Rádio Record. A partir daí, começava a mudar o perfil comercial das emissoras. 
1934 - Surgimento da Rádio Mayrink Veiga. Era concorrente da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro .A Mayrink Veiga tinha uma programação popular e a Sociedade, mais elitizada. 
1935 \u2013 Surge a Rádio Tupi (1280 AM) em 25/09/1935 no Rio de Janeiro. Foi a primeira emissora de um dos grupos mais influentes de comunicação do país: Os Diários e Emissoras Associados, de Assis Chateaubriand.
 
CONTEXTO HISTÓRICO
DÉCADA DE 30 (Cont) 
1936 \u2013 Surge a Rádio Nacional, PRK -30, no Rio de Janeiro. Ela se tornaria um marco na história do rádio, com seus programas de auditório, suas comédias e radionovelas. 
1938 \u2013 Surge a Rádio Globo do Rio de Janeiro. É dessa época a vinheta de \u201cO Globo no ar\u201d até hoje utilizada pela GLOBO AM no Rio de Janeiro. Ainda em 1938, é realizada a primeira transmissão esportiva em rede nacional de rádio. Ela aconteceu durante a Copa de 1938, na Rádio Clube do Brasil, narrada por Leonardo Gagliano Neto. 
 
 
CONTEXTO HISTÓRICO
DÉCADA DE 40
Naquela época, as músicas não se limitavam às marchinhas de carnaval, a música regional foi bastante divulgada pelo rádio, e aqui se destacam programas como os de Ary Barroso, que foi compositor de canções como \u201cAquarela do Brasil\u201d e \u201cCanta, Brasil\u201d e o de Luiz Gonzaga, célebre cantor e compositor de baião, autor de clássicos como \u201cAsa Branca\u201d, que fazia programas de música regional. 
 Em 1941, entra no ar o Repórter Esso, primeiro noticiário de radiojornalismo do Brasil. Era patrocinado pela Esso e tinha o noticiário da United Press International. A estreia foi às 12h 55 min do dia 28 de agosto de 1941. De início, a Nacional do Rio, e a Record, de São Paulo, transmitiam o informativo que, em julho do ano seguinte, se estendeu para a Rádio Farroupilha (Rio Grande do Sul), Rádio Inconfidência (Minas Gerais) e Rádio Jornal do Comércio (Pernambuco). 
CONTEXTO HISTÓRICO
DÉCADA DE 40
O Repórter Esso apresentava um modelo de texto linear, direto, corrido e sem adjetivações, sendo um noticiário ágil e estruturado. 
Foi criado inicialmente para fazer propaganda da Segunda Guerra Mundial para o povo brasileiro. Trazia informações sobre a evolução das guerras travadas pelos Estados Unidos em todas as partes do planeta. Dava ênfase também às notícias de autoridades, notáveis, estrelas e astros do cinema. 
 
Noticiou com exclusividade o suicídio de Getúlio Vargas em 1954. O locutor Heron Domingues foi a voz mais conhecida do Esso. Em 1948, Heron Domingues implantou a Seção de Jornais Falados e Reportagens da Rádio Nacional, o 1º departamento de jornalismo em uma emissora de rádio. A equipe era formada por um chefe, quatro 
 editores e uma espécie de editoria de política. O radiojornal foi transmitido pela Rádio Nacional até 1962, quando se transferiu para a Rádio Globo. 
 
CONTEXTO HISTÓRICO
O Repórter Esso saiu do ar em 31 de dezembro de 1968 com Heron Domingues e Roberto Figueiredo.
 
Transmitido às 22h, o Grande Jornal Falado Tupi reproduzia a estrutura comum à imprensa escrita. (gilett \u2013press) No início, a identificação do noticiário como o cabeçalho de um periódico impresso. Depois, com a marcação da sonoplastia, as manchetes reproduziam a capa de um jornal. Seguiam-se as notícias agrupadas em blocos (política, economia, esportes) assim como faziam os diários com suas editorias.
CONTEXTO HISTÓRICO
DÉCADA DE 50
Surge a televisão e o rádio é obrigado a se adaptar à nova realidade. Naquela época, já se falava na ameaça de extinção do veículo, o que não ocorreu. Aos poucos o formato dos programas de auditório e das radionovelas migra do rádio para a tv. A pioneira emissora de tv foi a Tupi de São Paulo. 
Surgem as primeiras transmissões de radiojornalismo e as transmissões esportivas, que apareceram nos anos 30, se multiplicam e ganham mais popularidade. A Rádio Continental de São Paulo é uma das pioneiras na reportagem de rua. 
Em 1955 surge a primeira transmissão experimental de rádio FM, pela Rádio Imprensa, no Rio de Janeiro. 
CONTEXTO HISTÓRICO
DÉCADA DE 60 
O rádio AM assume as características atuais. No lugar dos programas de auditório, aparecem programas de variedades comandados por locutores de \u201cvozeirão\u201d e excelente estilo comunicativo. Haroldo de Andrade se torna destaque. 
 Os programas esportivos e os policiais se popularizam. Destaque para a \u201cPatrulha da Cidade\u201d da Rádio Tupi. É um programa policial-humorístico com rádio-teatro ao vivo. Líder absoluto de audiência. Foi criado pelo jornalista