RESUMO DA AULA DE ANTIBIOTICOTERAPIA LOCAL E SISTEMICA NA PERIODONTIA E NA ENDODONTIA
7 pág.

RESUMO DA AULA DE ANTIBIOTICOTERAPIA LOCAL E SISTEMICA NA PERIODONTIA E NA ENDODONTIA

Pré-visualização1 página
ANTIBIOTICOTERAPIA LOCAL E SISTEMICA NA PERIODONTIA E NA ENDODONTIA.
ANTIBIOTICOS:
- São medicamentos que eliminam ou bloqueiam a multiplicação de bactérias em concentrações que são relativamente inócuas aos tecidos do hospedeiro e podem ser usados para tratar as infecções causadas por bactérias.
CLASSIFICAÇÃO DOS ANTIBIOTICOS:
- Bactericidas / Bacteriostáticos.
- Espectro estreito / Amplo espectro. 
USO GENERALIZADO DOS ANTIBIOTICOS:
- Muitas bactérias desenvolvem uma capacidade significativa de resistir aos agentes antibióticos ou repeli-los. 
- Comprometimento do equilíbrio ecológico do organismo, permitindo a proliferação de microrganismos não bacterianos e de cepas resistentes.
- Pode iniciar novas infecções, piores do que as tratadas originalmente.
- Os agentes antimicrobianos podem ter outras propriedades não desejáveis, como toxicidade, que também precisa ser considerada.
- O paciente entra em um ciclo vicioso, pensando na necessidade do uso de antibióticos para situações adversas.
NA ENDODONTIA:
- Os antibióticos não reduzem a dor ou inchaço em casos de envolvimento endodôntico.
- O uso de antibióticos em endodontia deve ser aceito apenas em infecções sistêmicas ou em pacientes com estado febril.
NECESSIDADE DA UTILIZAÇÃO DE ANTIBIOTICOS OU NÃO:
OBS: 
- Na inflamação local e discreta, realizar somente a ação cirúrgica, não necessita de antibiótico.
- Em paciente comprometidos, sempre fazer o uso de antibióticos.
- Na regeneração pulpar o uso da pasta triantibiotica, pode causar manchamento, então se deve fazer o uso da pasta de hidróxido de cálcio ou mta.
- Na pulpite irreversível, necrose pulpar e abscesso periapical agudo é desnecessário o uso de antibiótico, pois a falta de circulação sanguínea na região faz o uso do antibiótico ineficaz na eliminação de microrganismos.
PROFILAXIA ANTIBIOTICA EM ENDODONTIA:
- Não é necessária na maior parte da população.
- É indicada para paciente imunocomprometidos: aids, falência renal, hipertensão e diabetes descontrolados , endocardites bacterianas e próteses coronarianas.
AMOXICILINA:
- Espectro moderado, ótimo para gram - , e patógenos endodônticos.
- Bacteriolitico.
-Rapidamente absorvida pelo organismo.
- Pode ser associada ao acido clavulanico que será efetivo principalmente contra staphylococcus aureus.
- Em casos de alergia pode ser usada a clindamicina.
PERIODONTITE:
- É uma infecção causada ou sustentada por bactérias, onde se faz necessário o tratamento antimicrobiano.
- Os antibióticos podem eliminar ou suprimir as bactérias resistentes, mas não são capazes de remover o cálculo e os resíduos bacterianos, o que é considerado crucial na terapia periodontal. 
CARACTERISTICAS ESPECIFICAS DA INFECÇÃO PERIODONTAL:
- 1) infecção: se refere a invasão tecidual e a multiplicação dos microrganismos patogênicos no local.
 Ocorre com intensidade apenas nos abscessos periodontais e as doenças periodontais necrosantes.
Microrganismos nos depósitos subgengivais podem causar danos a esses tecidos sem penetra-los.
- 2) Formação do biofilme
Patógenos periodontais: níveis mais altos de tolerância a vários agentes antimicrobianos quando incorporados pelo biofilme.
Microrganismos de baixa virulência intrínseca conseguem proteger os patógenos sensíveis a antibióticos.
As doenças periodontais não devem ser tratadas apenas com agentes antimicrobianos.
O debridamento mecânico completo desfaz os agregados estruturados que protegem as bactérias incorporadas e reduz acentuadamente a massa microbiana que pode inibir ou degradar o agente antimicrobiano.
Associa os antibiótico em casos específicos.
 
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DO MEDICAMENTO:
- Local.
- Sistemica.
TERAPIA LOCAL:
- Possibilita a aplicação dos agentes antimicrobianos em níveis necessários e que não podem ser alcançados pela via sistêmica, ex: devido à toxicidade.
- Especialmente promissora se os microrganismos alvo estiverem confinados em lesões clinicamente visíveis.
- Vantagem: independe da colaboração do paciente.
- São de potencial benéfico para as bolsas mais profundas de 6 a 8 mm ou envolvimento de furca.
- O tratamento adjunto com dispositivos de administração local é favorecido quando existem relativamente poucas bolsas residuais e a administração sistêmica dos antimicrobianos pode não ser justificada.
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DA TERAPIA LOCAL:
- Irrigação subgengival única.
- Inserção de pomadas e géis contendo medicamento.
- Técnicas sofisticadas envolvendo dispositivos para a liberação constante dos agentes antibacterianos.
- As vias de administração deve alcançar a área inteira afetada pela doença, especialmente a base da bolsa e deve permanecer lá em uma concentração suficientemente alta por um período de tempo especifico.
OBS: enxaguatório oral ou irrigação supragengival não fornecem presivelmente um agente para as partes mais profundas de um defeito periodontal.
 Os estudos demostram que irrigação subgengival com tetraciclina, aplicação de gel de metronidazol e colocação de pastilha de clorexidina , reduz a profundidade de sondagem.
 
TERAPIA SISTEMICA:
- Mais efetiva se as bactérias alvo estiverem dispersas no tecido.
- Desvantagens: o medicamento é diluido por dispersão através do corpo todo, e somente uma porção pequena da dose total chega à microbiota subgengival na bolsa periodontal.
- Reações adversas são mais prováveis de ocorrer e os efeitos indesejáveis podem diminuir muito a colaboração do paciente.
 
ASSOCIAÇÃO DE ANTIBIOTICOS:
- Aumenta o espectro de ação.
- Mais efetivo que o uso isolado dos medicamentos.
- Diminui potencial de seleção microbiana.
- Ex: amoxicilina 500mg + metronidazol 250 mg, a cada 8h, durante 7-10 dias. (é efetivo nas diferentes formas de periodontite que apresentam supuração).
 
TERAPIA LOCAL X SISTEMICA:
- O tratamento adjunto com dispositivos de administração local é favorecido quando existem poucas bolsas residuais e a administração sistemica dos antimicrobianos pode não ser justificada.
- O uso sistemico deve ser escolhido em casos de bolsas residuais, na chamada zona estetica, na qual uma intervenção cirurgica pode comprometer a estetica ou a fonetica (o uso de antibiotico poderia prevenir a necessidade de cirurgia).
- Grupos de alto risco: fumantes, diabetes, incapacitaçoes significativas ou engajamento irregulat com a higiene oral, doença cardiovascular, indviduos com contraindicação relativa ou absoluta a intervenção cirurgica.
CONCLUSÃO:
- Toda terapia antimicrobiana deve ser precedida por debridamento mecanico meticuloso.
- A administração de antibiotic sistemica ou loval pode melhorar o efeito da terapia periodontal.
- Para limitar o desenvolvimento da resistencia microbiana ao antibiotico em geral e evitar o risco de efeitos sistemicos indesejaveis dos antibioticos, indica-se uma titude de precaução restritiva quanto ao uso dos antibioticos.
- Para limitar o uso excessivo é recomendado não prescrever antibioticos sempre que houver amplas evidencias de que o debridamento mecanico não cirurgico sozinho possa resolver o porblema, caso da periodontite leve a moderada.
- A terapia antimicrobiana local combinada a RAR pode ser usada como uma alternativa a administração sistemica de antimicrobianos.
- Contudo nenhum tratamento antimicrobiano local porvou ser igualmente eficiente ou melhor que a amoxicilina + metronidazol , por via sistemica.
- Depois da resolução da infecção periodontal, o paciente deve ser colocado em um programa de manutenção periodontal apropriado e indvidual para prevenir a reinfecção.