A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
64 pág.
Aulas - Administração da Produção - UVA - EAD

Pré-visualização | Página 8 de 23

um produto no mercado. 
 
Na verdade, cada organização emprega um processo um pouco diferente das demais. Também, uma 
mesma organização pode seguir passos diferentes para variados grupos de produtos. As seis etapas do processo 
de desenvolvimento genérico são: 
 
Etapa 1 – Planejamento - A atividade de planejamento é citada como “etapa zero”, visto anteceder a 
aprovação do projeto e o início do processo de desenvolvimento do produto em si. O resultado da etapa de 
planejamento é a declaração da missão do projeto, que especifica o mercado-alvo para o produto, metas da 
empresa, premissas-chave e restrições. 
 
Etapa 2 – Desenvolvimento de conceito - Nessa fase, são identificadas as necessidades do mercado-alvo, 
são gerados e avaliados conceitos de produtos alternativos e um ou mais conceitos são escolhidos para 
desenvolvimento e testes futuros. Um conceito explica a descrição da forma, função e características de um 
produto e é geralmente acompanhado por um conjunto de especificações, uma análise de produtos com 
diferenciais competitivos e de uma justificativa econômica do projeto. 
 
Etapa 3 – Projeto no nível de sistema - A etapa no nível de sistema inclui definição da arquitetura do 
produto e sua decomposição em subsistemas e componentes. O esquema de montagem final para o sistema de 
produção também é definido durante essa etapa. O resultado dessa etapa em mente inclui layout geométrico do 
produto, uma especificação funcional de cada um de seus subsistemas e um fluxograma preliminar do processo 
para a montagem final. 
 
Etapa 4 – Detalhamento do projeto - Essa fase inclui a especificação completa da geometria, dos materiais 
e de tolerância de todas as peças exclusivas do produto, além de identificação de todas as padronizadas que serão 
adquiridas de fornecedores. Um plano de processo é estabelecido e o maquinário para cada peça que será 
fabricada no sistema de produção é definido. O resultado dessa etapa são os desenhos ou arquivos de 
computador que descrevem a geometria de cada peça e os equipamentos para sua fabricação, as especificações 
das peças compradas e os planos de processo para a fabricação e montagem do produto. 
 
Etapa 5 – Teste e refinamento - A etapa de teste e refinamento envolve a construção e a avaliação de 
diversas versões preliminares do produto. Protótipos iniciais geralmente são construídos a partir de peças com a 
mesma geometria e propriedades do material final do produto, mas não são fabricados necessariamente com o 
processo que será de fato utilizado na produção. Os protótipos são testados para determinar se o produto 
funcionará da maneira como foi projetado e se satisfaz as necessidades do consumidor. 
 
Etapa 6 – Produção-piloto - Na etapa de produção-piloto, o produto é confeccionado usando-se o sistema 
de produção pretendido. A finalidade da produção-piloto é treinar a força de trabalho para solucionar quaisquer 
problemas remanescentes dos processos produtivos. Os produtos fabricados durante a produção-piloto às vezes 
20 
 
são fornecidos a clientes preferenciais e são cuidadosamente avaliados para se identificar quaisquer falhas 
remanescentes. A transição da produção-piloto para a produção contínua é geralmente gradual. Em algum ponto 
da transição, o produto é lançado e disponibilizado para distribuição. 
 
Aula 2 - Seleção de processos de produtos e serviços 
 
Em nossa aula anterior, estudamos projetos de produtos e serviços, cujo objetivo foi projetar produtos e 
serviços para satisfazer os clientes atendendo às suas necessidades e expectativas atuais e futuras, definindo seus 
padrões e especificações. 
Agora, o objetivo é encontrar um meio ou o melhor processo de produzir bens e serviços que atendam aos 
requisitos dos clientes e às especificações e padrões do produto. 
Então, a expressão “seleção de processo” refere-se à maneira pela qual uma organização decide fabricar 
seus produtos ou fornecer seus serviços. Isso envolve, essencialmente, a seleção da tecnologia e as questões 
relacionadas, o que tem implicações significativas em passos subsequentes, tais como: planejamento da 
capacidade no arranjo físico das instalações, no equipamento e no projeto de sistema de trabalho. 
 
Saiba Mais 
A Seleção do Processo ocorre naturalmente quando novos produtos e serviços estão sendo planejados. 
Entretanto, também ocorre periodicamente devido a mudanças nos produtos e a mudanças tecnológicas nos 
equipamentos. 
Os processos produtivos e de serviços 
Quais são as principais características dos processos de produtos e serviços? 
É muito interessante visitar unidades produtivas, dentre outros motivos pela variedade que elas 
apresentam. Entre em uma fábrica petroquímica, por exemplo, e verá uma grande quantidade de equipamentos 
de grande porte, ligados por tubulações, sem um grande número de pessoas. Entre agora em uma fábrica de 
geladeiras e vai ver linhas de montagem, com pessoas lado a lado, utilizando máquinas e ferramentas de pequeno 
porte. 
Da mesma forma ocorre quando se consideram unidades produtivas de serviços. No metrô de São Paulo, 
por exemplo, o cliente vê equipamentos e instalações de grande porte, mas quase não vê pessoas. Já em um call 
center, por exemplo, que necessita de mão de obra numerosa, podem ser vistas muitas pessoas em seus postos 
de trabalho. 
Para identificar padrões na grande variedade de processos produtivos que são encontrados, podemos 
enumerar alguns aspectos nos quais as unidades produtivas diferem umas das outras: 
Vamos conhecer cada uma das características? 
 
21 
 
Volume de fluxo processado - Há processos que processam altos volumes de fluxo, tais como: transporte 
público, fábricas de cimento, parques temáticos e usinas de álcool. Há também processos que lidam com baixos 
volumes de fluxo: consultório odontológico, advogados, produção sob encomenda. 
 
Variedade de fluxo processado - Há processos que executam um só tipo de fluxo, que percorre a mesma 
sequência de etapas, sem variedade: usina de aço, metrô, fábrica de vidro plano. Há processos que lidam com 
uma variedade de diferentes fluxos que requerem, cada um, uma sequência de etapas diferentes de processo 
produtivo: fabricação de peças especiais, restaurante de luxo. 
 
 Recurso dominante - Há processos que têm grande participação de pessoas em sua execução, ou seja, o 
recurso humano é o recurso dominante: consultoria, serviços médicos, fabricação de produtos sob encomenda. 
Há processos cujo recurso dominante é o tecnológico, máquinas e equipamentos, além de softwares e hardwares: 
usina hidrelétrica, fábrica de alumínio, central telefônica, fábrica de papel. 
 Incrementos de capacidade - Há processos que só conseguem incrementar a capacidade produtiva em 
muitos degraus de cada vez, já que as unidades de seus recursos são de grande porte e não permitem incrementos 
graduais: companhias aéreas, tratamento de água, planta petroquímica; enquanto outros processos produtivos 
permitem que a capacidade seja incrementada de forma gradual: escritório de advocacia, fabricação de móveis 
especiais, salão de beleza. 
Comparação das escolhas de processo 
Quais as variáveis que devemos considerar na comparação para escolha dos processos? 
Existem vantagens no “continuum” dos processos e as empresas podem encontrar vantagens 
competitivas em qualquer um deles. Cada um dos processos, quando adequadamente associado ao volume e à 
variedade, pode produzir uma vantagem de baixo custo. Por exemplo, os custos unitários serão menores no caso 
do processo contínuo se houver grande volume e grande utilização. 
Entretanto, nem sempre se utiliza o processo contínuo, ou seja, instalações especializadas, por ser muito 
dispendioso quando os volumes são pequenos ou é necessária flexibilidade. Quando produzido sob foco no 
processo, um bem ou serviço de baixo volume, exclusivo e altamente