flambagem de colunas
17 pág.

flambagem de colunas


DisciplinaResistência dos Materiais I21.767 materiais565.884 seguidores
Pré-visualização1 página
Resistência dos Materiais II
UNIDADE 6 \u2013 FLAMBAGEM DE COLUNAS
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 1
Capítulo 13 \u2013 Resistência dos materiais (Hibbeler 7ª edição)
Seções 13.1 até 13.3
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 2
As colunas deste tanque de água estão 
fixadas ao longo do seu comprimento para 
reduzir a chance de ocorrer flambagem.
Introdução
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 3
\uf076 Alguns elementos estruturais podem estar sujeitos a cargas de compressão e,
se forem compridos e esbeltos, a carga poderá ser grande o suficiente para
provocar uma deflexão ou uma oscilação lateral.
\uf076 Colunas são elementos estruturais compridos e esbeltos, sujeitos a uma força
de compressão axial.
\uf076 A deflexão lateral que ocorre é chamada flambagem.
Introdução
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 4
\uf076 A carga máxima que uma coluna pode suportar quando na iminência de sofrer
flambagem é chamada de carga crítica. Essas cargas representam um caso de
equilíbrio neutro. Qualquer carga superior a carga crítica provocará a flambagem
da estrutura.
Introdução
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 5
\uf076 Uma coluna ideal é uma coluna perfeitamente reta, antes da carga, e feita e
material homogêneo (e que se comporta de maneira linear elástica) e tem a carga
aplicada no centroide de sua seção transversal.
\uf076 A flambagem em colunas sempre se dará em torno do eixo principal da seção
transversal que tenha o menor momento de inércia.
\uf076 A carga crítica \u201cPcr\u201d determinará a força em que a estrutura tenderá a flambar.
A carga crítica também pode ser chamada de 
carga de Euler.
Coluna ideal com apoio de pinos
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 6
\uf076 Uma coluna ideal é uma coluna perfeitamente reta, antes da carga, e feita e
material homogêneo (e que se comporta de maneira linear elástica) e tem a carga
aplicada no centroide de sua seção transversal.
\uf076 A flambagem em colunas sempre se dará em torno do eixo principal da seção
transversal que tenha o menor momento de inércia.
Introdução
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 7
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 8
\uf076 A relação geométrica L/r é conhecida como índice de esbeltez. É uma medida
de flexibilidade da coluna e serve para classificar colunas com compridas,
intermediárias ou curtas.
Coluna ideal com apoio de pinos
As curvas são hiperbólicas e 
válidas somente para tensões 
abaixo do limite de 
escoamento do material, uma 
vez que o material deve ser 
comportar elasticamente.
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 9
Exemplo 1: O elemento estrutural W200x46 de aço A-36 (\ud835\udf0e\ud835\udc52 = 250 \ud835\udc40\ud835\udc43\ud835\udc4e, Eaço =
200GPa) mostrado na figura deve ser usado como uma coluna acoplada por pinos.
Determine a maior carga axial que ele pode suportar antes de começar a sofrer
flambagem ou antes que o aço escoe.
Coluna ideal com apoio de pinos
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 10
Exemplo 1: O elemento estrutural W200x46 tem as seguintes características.
Coluna ideal com apoio de pinos
Coluna com vários tipos de apoios
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 11
\uf076 Muitas vezes as colunas podem ser apoiadas de algum outro modo.
\uf076 A fórmula de Euler foi desenvolvida para o caso de uma coluna com
extremidades presas por pinos ou livres para girar. Em outras palavras, L na
equação representa a distância sem apoio entre os pontos de momentos nulo.
\uf076 Se a coluna for apoiada de outros modos, então a fórmula de Euler poderá ser
usada para determinar a carga crítica, desde que \u201cL\u201d represente a distância entre
pontos de momento nulo.
\uf076 Essa distância é denominada comprimento efetivo da coluna (Le).
\ud835\udc3f\ud835\udc52 = \ud835\udc3e \u2219 \ud835\udc3f
Onde K é adimensional e representa o fator de comprimento efetivo.
Coluna com vários tipos de apoios
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 12
\uf076 A força crítica e a tensão crítica serão:
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 13
Exemplo 2: Determine a força máxima P que pode ser aplicada ao cabo, de modo
que a haste de controle de aço A-36 (\ud835\udf0e\ud835\udc52 = 250 \ud835\udc40\ud835\udc43\ud835\udc4e, Eaço = 200GPa) AB não sofra
flambagem. A haste tem diâmetro de 30 mm e está presa por pinos nas
extremidades.
Coluna com vários tipos de apoios
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 14
Exemplo 2:
Coluna com vários tipos de apoios
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 15
Exemplo 3: O elemento estrutural W250 x 67 (A = 8560 mm², \ud835\udc3c\ud835\udc65 = 104 \u2219 10
6 \ud835\udc5a\ud835\udc5a4 e
\ud835\udc3c\ud835\udc66 = 22,2 \u2219 10
6 \ud835\udc5a\ud835\udc5a4) é feito de aço A-36 (\ud835\udf0e\ud835\udc52 = 250 \ud835\udc40\ud835\udc43\ud835\udc4e, Eaço = 200GPa) e usado
como uma coluna de 4,5 m de comprimento. Se as extremidades da coluna
estiverem engastadas, a coluna pode suportar a carga crítica sem escoamento?
Coluna com vários tipos de apoios
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 16
Exemplo 4: A coluna de 3 m tem as dimensões mostradas na figura. Determine a
carga crítica se a base for engastada e o topo estiver preso por pinos. Emadeira = 12
Gpa, \ud835\udf0e\ud835\udc52 = 35 \ud835\udc40\ud835\udc43\ud835\udc4e.
Coluna com vários tipos de apoios
PROF. M.ª KACIÊ TRINDADE 17
Exemplo 5: A haste é feita de aço A-36 (\ud835\udf0e\ud835\udc52 = 250 \ud835\udc40\ud835\udc43\ud835\udc4e, Eaço = 200GPa). Determine,
com aproximação de 1 mm, o menor diâmetro da haste que suportará a carga P =
25 kN sem flambagem. As extremidades estão apoiadas em roletes (K=1).
Coluna com vários tipos de apoios