A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
111 pág.
ADM 1 SEMESTRE UNOPAR

Pré-visualização | Página 2 de 25

mal. Nessa situação há eficiência, mas não eficácia.
E podemos ter a seguinte situação: você não conseguiu tomar o remédio no horário certo e também não melhorou da doença, sendo então nem eficiente e eficaz.
É claro, que percebida qualquer uma dessas situações em uma organização, o administrador deverá estar atendo e poderá alterar os processos, sendo sempre que possível eficaz e eficiente, que dá o nome de excelência.  
Para finalizar esse assunto, vamos analisar o quadro a seguir que apresenta as diferenças entre eficaz e eficiente.
	Link
Para aprofundar os conceitos de eficiência e eficácia, leia o artigo disponível no link: <http://www.administradores.com.br/artigos/administracao-e-negocios/eficiencia-e-eficacia/361/>, escrito por Bernardo Leite.  Boa leitura!
 
 
 
3. ORGANIZAÇÃO
 
Por que entender o conceito de uma organização/empresa? Será que ela é importante para a sociedade?
Uma organização é a união de pessoas para alcançar objetivos comuns, é como um sistema em que os membros estão interligados uns aos outros. Quando dizemos então, que uma organização é um sistema dizemos que os envolvidos precisam um do outro. Exemplo: a empresa precisa de cliente e de funcionários, bem como os funcionários necessitam do salário e o cliente dos bens ou serviços oferecidos, e assim as organizações interagem.   
Segundo Caravantes, Panno e Kloeckner (2005, p. 383) “[...] a organização, independentemente de seu tamanho, como uma articulação ou arrumação deliberada de pessoas, que visa realizar um ou mais propósitos usando determinada tecnologia”.
Através desse conceito, podemos perceber que uma organização sem as pessoas não existe. E se estas mesmas pessoas não se coordenarem para buscarem o mesmo objetivo, provavelmente, não haverá sucesso ao alcance desta finalidade.
Imaginem se cada colaborador faz o que deseja e não o que a empresa precisa? Por isso muitas empresas veem como fundamental o colaborador “vestir a camisa” da empresa e compreender os objetivos, missão e valores do local onde trabalha.
Portanto, as organizações são gestoras de recursos com objetivo de produzir ou operacionalizar um produto ou serviço para a sociedade e podem ser classificadas de várias formas. Vamos ver uma das formas de classificar as organizações que podem ser: privada, pública e do terceiro setor.
 
Tipos de Organização
 
Organizações Setor Público: as organizações públicas são as instituições ligadas aos poderes públicos: executivo, legislativos e judiciários, e as empresas e agências administradas pelo governo.
Organizações Setor Privado: são empresas que são formadas por uma ou mais pessoas com os mesmos objetivos e que investem seus próprios recursos com a finalidade de fornecer um produto ou serviço para a população. As empresas também podem ter o nome da pessoa física, não sendo necessariamente ter um nome fictício.
Organizações do Terceiro Setor: são conhecidas pelo nome de ONGs ou OCIPs, e suas principais características são: não ter fins lucrativos e serem desvinculadas ao setor público e privado.
Atualmente temos empresas mistas, que são organizações que possuem parte dos colaboradores sendo funcionários do governo e outra parte terceirizada. Porém na dúvida quem define essa classificação é o contrato jurídico registrado na prefeitura e no cartório da cidade.
Outra forma de classificar a organização é pelo seu porte, o que é muito utilizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento para análise de projetos e fornecimento de capital (financiamento):
 
Existem muitas outras formas de classificar as organizações, como pelo setor da economia, número de colaboradores, tipo de serviços, entre outros. Nesse sentido, o gestor terá que conhecer como sua organização está classificada para melhor atender ao ramo, os clientes, os concorrentes e obter sucesso.
	Saiba Mais
Através do link disponibilizado iremos ler um artigo que se refere à importância das pessoas nas organizações. Por meio do texto confirmaram que sem pessoas não há organização. <http://www.portaleducacao.com.br/educacao/artigos/37223/importancia-das-pessoas-na-organizacao>.
Como mencionado anteriormente a organização atua como um sistema. Vamos entender isso melhor através da figura a seguir:
 
Através da observação da figura, percebe que o papel do gestor é fazer a gestão dessas etapas, ou seja, gestão dos recursos, dos processos para realização do produto/serviço e a saída do produto final, bem como o feedback para evitar erros e proporcionar o melhoramento. Mas como funciona cada etapa?
Entrada: trata-se dos recursos que serão utilizados pela organização que podem ser materiais, ou não, e o gestor de administrar esses cursos na compra, controle de qualidade, entre outros fatores. Os exemplos mais comuns são: matéria-prima, espaço, tempo, recursos financeiros, mão de obra.
Processo: trata-se da operacionalização dos recursos, o modo, a atividade, a forma em que será realizada, bem como as tarefas definidas em uma sequência lógica para ter o serviço ou produto ao final. O administrador deve observar se não há desperdício e perceber como otimizar os processos.
Saída: trata-se do resultado final oferecido pela organização, que pode ser um produto ou um serviço.
Feedback: análise para melhoramento do sistema da empresa, pois nesse momento será analisado o planejado com o realizado, e observado os pontos possíveis de alteração e melhoria. Essa etapa é fundamental para o crescimento da organização e cabe ao gestor prestar atenção em todo o sistema.
Um ponto muito analisado atualmente é o pós-venda ou serviço, ou seja, entrar em contato com o cliente após concretização do contrato e questionar a opinião do cliente.
Existem teóricos que não consideram os recursos humanos como recursos, pois são as pessoas que operacionalizam todo o processo dentro da organização. Nesse caso, recomenda-se analisar como a empresa define recursos humanos, qual é a composição da organização e principalmente como o colaborador está inserido no produto no final, como operador ou gestor.
Como as pessoas são fundamentais para a organização, vamos abordar agora dois temas: cultura organizacional e clima organizacional que são pertinentes e que são delineados por todos os colaboradores envolvidos por cada organização.
4. AS HABILIDADES E COMPETÊNCIAS DO ADMINISTRADOR
 
Para obter sucesso muitos acreditam ser necessário o administrador ser dedicado, comprometido, inteligente e ter muitas outras aptidões desenvolvidas. Porém os principais teóricos citam além da sua formação acadêmica é preciso desenvolver suas habilidades e competências.
Conforme Chiavenato (2005) há três tipos básicos de habilidades desenvolvidas por Robert L. Katz necessárias ao administrador: as habilidades técnica, humana e conceitual, que serão descritas a seguir:  
Habilidade técnica: consiste em usar os conhecimentos, métodos, técnicas e equipamentos necessários para a realização de tarefas específicas por meio de experiência profissional.
Habilidade humana: é a capacidade de discernimento para trabalhar com outras pessoas, comunicar-se, compreender suas atitudes, motivações, desenvolvendo uma liderança eficaz.
Habilidade conceitual: é a capacidade de lidar com ideias e conceitos abstratos. Essa habilidade permite que a pessoa faça abstrações e desenvolva filosofias e princípios gerais da administração.
De acordo com as habilidades descritas e com a próxima figura, percebe-se que quanto mais o administrador sobe na hierarquia, a importância das habilidades técnicas diminui e aumenta a necessidade de habilidades conceituais. 
 
Legenda:
* Quanto mais alto o nível, maior deve ser o conhecimento humano.
* Quanto mais baixo o nível, maior deve ser o conhecimento técnico.
Por meio da figura, fica claro que conforme suas habilidades forem desenvolvidas, há a maior possibilidade de atuar em níveis administrativos mais elevados. Há pesquisas acadêmicas que informam que a fluência na comunicação, bem como, o domínio de palavras é maior em cargos elevados que