A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
123 pág.
MANEJO DE FRATURAS

Pré-visualização | Página 1 de 28

ORTOPEDIA EM PEQUENOS ANIMAIS 
 
 
 
 
 
 
 
MANEJO DE FRATURAS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LEONARDO AUGUSTO LOPES MUZZI 
 
 
 
 
 
 
 
 
Universidade Federal de Lavras - UFLA 
Departamento de Medicina Veterinária 
Lavras – MG 
2013 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
1 INTRODUÇÃO..............................................................................................5 
2 DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS ..............................................................6 
2.1 Identificação do animal .......................................................................6 
2.2 Histórico da lesão ................................................................................7 
2.3 Exame físico .........................................................................................7 
2.3.1 Análise da marcha e apoio do membro .......................................8 
2.3.2 Inspeção .......................................................................................8 
2.3.3 Palpação .......................................................................................9 
2.4 Exame radiográfico .......................................................................... 10 
3 CLASSIFICAÇÃO DAS FRATURAS ....................................................... 11 
3.1 Quanto à gravidade das fraturas .................................................... 11 
3.2 Quanto à localização anatômica ..................................................... 11 
3.3 Quanto à exposição óssea e lesões externas ............................... 13 
3.4 Quanto ao grau da lesão óssea ...................................................... 14 
3.5 Quanto à direção da linha de fratura .............................................. 14 
3.6 Quanto ao desvio dos fragmentos ósseos.................................... 15 
3.7 Quanto à estabilidade da fratura .................................................... 16 
3.8 Outros tipos de fratura..................................................................... 16 
4 FORÇAS QUE ATUAM SOBRE A FRATURA ........................................ 17 
5 SELEÇÃO DO MÉTODO DE FIXAÇAO DA FRATURA ......................... 21 
5.1 Fatores mecânicos ........................................................................... 21 
5.2 Fatores biológicos ............................................................................ 22 
5.3 Fatores clínicos ................................................................................ 23 
5.4 Interpretação da escala para seleção do método de fixação ....... 24 
6 REDUÇÃO DA FRATURA ....................................................................... 31 
6.1 Redução fechada .............................................................................. 31 
6.1.1 Indicações, vantagens e desvantagens................... ................. 32 
6.1.2 Métodos de redução fechada .................................................... 32 
6.2 Redução aberta ................................................................................. 33 
6.2.1 Indicações, vantagens e desvantagens .................................... 33 
6.2.2 Métodos de redução aberta ...................................................... 34 
6.3 Osteossíntese biológica.............. .................................................... 40 
 
7 IMOBILIZAÇÃO EXTERNA ...................................................................... 41 
7.1 Bandagem de Robert Jones ............................................................ 43 
7.2 Tala curta com suporte rígido ......................................................... 43 
7.3 Tala longa em espiga ....................................................................... 45 
7.4 Muleta de Schroeder-Thomas ......................................................... 47 
7.5 Moldes rígidos .................................................................................. 49 
7.6 Cuidados após aplicação da imobilização externa ...................... 50 
7.7 Possíveis complicações da imobilização externa ........................ 50 
8 FIXAÇÃO ESQUELÉTICA EXTERNA ..................................................... 52 
8.1 Componentes do fixador externo linear ........................................ 52 
8.1.1 Pinos de fixação ........................................................................ 53 
8.1.2 Presilhas ou clampes ................................................................ 54 
8.1.3 Barras de conexão .................................................................... 54 
8.2 Configurações dos fixadores externos lineares ........................... 55 
8.2.1 Fixador unilateral uniplanar (tipo IA) ......................................... 55 
8.2.2 Fixador unilateral biplanar (tipo IB) ........................................... 55 
8.2.3 Fixador bilateral uniplanar (tipo II) ............................................. 55 
8.2.4 Fixador bilateral biplanar (tipo III) .............................................. 55 
8.3 Fixadores externos circulares (forma de anel) ............................. 60 
8.4 Fixadores externos híbridos ........................................................... 60 
8.5 Fundamentos da aplicação dos fixadores externos lineares ...... 62 
8.6 Cuidados após a utilização dos fixadores externos .................... 70 
8.7 Possíveis complicações pós-operatórias ...................................... 70 
9 COMBINAÇÃO FIXAÇÃO EXTERNA E PINO 
INTRAMEDULAR (TIE IN) ......................................................................... 72 
10 PINOS INTRAMEDULARES .................................................................. 74 
11 PINOS DE RUSH .................................................................................... 80 
12 PINOS (FIOS) DE KIRSCHNER E PINOS CRUZADOS ....................... 82 
12.1 Pinos cruzados ............................................................................... 82 
13 HASTE INTRAMEDULAR BLOQUEADA (INTERLOCKING 
NAIL) .......................................................................................................... 84 
14 FIOS ORTOPÉDICOS DE AÇO ............................................................. 87 
14.1 Fio de cerclagem ............................................................................ 87 
14.2 Fio de hemicerclagem e fio interfragmentar ............................... 91 
14.3 Fio metálico em banda de tensão ................................................. 93 
 
 
15 PARAFUSOS ÓSSEOS ......................................................................... 95 
15.1 Parafusos para osso cortical ........................................................ 95 
15.2 Parafusos para osso esponjoso ................................................... 96 
15.3 Parafusos de posição .................................................................... 98 
15.4 Parafusos de compressão (efeito lag) ......................................... 99 
15.5 Parafusos de placas e hastes ..................................................... 102 
15.6 Recomendações e complicações pós-operatórias .................. 102 
16 PLACAS ÓSSEAS................................................................................ 103 
16.1 Princípios de aplicação das placas convencionais.................. 103 
16.2 Aplicação dos parafusos da placa convencional ..................... 106 
16.3 Tipos funcionais de placas ósseas ............................................ 107 
16.3.1 Placa de compressão ............................................................ 107 
16.3.2 Placa de neutralização .......................................................... 110