Portfólio- 2º Semestre
26 pág.

Portfólio- 2º Semestre


DisciplinaProcess50 materiais56 seguidores
Pré-visualização5 páginas
\ufffdPAGE \ufffd
Tutor eletrônico: Daniel Serenario
Tutor de sala: Rafael Saad Morlin
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO......................................................................................................1
2 GESTÃO DA PRODUÇÃO....................................................................................2
3 ANALISE DE CUSTOS........................................................................................4
4 PROCESSOS LOGÍSTICOS................................................................................5
4.1 FIGURA1 SISTEMA PUSH.................................................................................5
4.2 FIGURA2 SISTEMA PULL..................................................................................6
5 MICROECONOMIA..............................................................................................9
5.1 FIGURA1 MICROECONOMIA...........................................................................16
6 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS................................................17
6.1 FIGURA1 BSC...................................................................................................18
7 CONSIDERAÇÕES FINAIS...............................................................................22
8 REFERENCIAS.................................................................................................23 
\ufffd
INTRODUÇÃO
O presente trabalho busca apresentar as disciplinas abordadas neste segundo semestre utilizando como base a indústria \u201cFerreira e Ferrari S.A.\u201d aplicando os conceitos de planejamento, programação e controle da produção a fim de apresentar uma sugestão de resolução para os problemas propostos, desenvolvendo a competência, métodos e técnicas de gestão do processo produtivo aprendendo sobre as relações e impactos dentro da gestão da produção e consequentemente das organizações. 
Buscaremos também propiciar conhecimento e abordagem sobre os sistemas de custeio, os fatos que alteram o valor da compra e da venda de materiais. Veremos questões importantes pelo o qual as empresas passam por problemas econômicos, como a oferta e demanda afetam o mercado e os motivos para isso acontecer. Através deste conteúdo analisar como os sistemas de informação contribuem com a excelência operacional, desenvolvimento além da qualidade na tomada de decisão.
É preciso zelar por uma gestão enxuta da cadeia de logística e aumentar a produtividade e agilizar os resultados aspirados, se não houver um planejamento, investimento e inovações corre-se o risco de perder mercado para a forte concorrência nos dias atuais
GESTÃO DA PRODUÇÃO
Confecção das rodas: 6 minutos
Confecção da base: 9 minutos
Montagem do carrinho: 8 minutos
A fábrica possui um tempo de paradas para manutenção de 45 minutos em um turno de 10 horas na linha de produção. Sua taxa de eficiência está em 90% e a demanda mensal é de 5000 unidades para 25 dias úteis de trabalho. Porém devido a alguns descontroles de gestão do último mês associados à falta de funcionários, a produção do último mês foi de 4000 unidades para os mesmos dias trabalhados. Pede-se o cálculo da capacidade instalada, da capacidade nominal, da capacidade efetiva, da capacidade realizada e do número de funcionários necessário para atender a demanda de 5000 unidades mês com eficiência de 90%.
Resolução
Capacidade Instalada:
Quantidade de tempo disponível da unidade dividido pelo tempo de produção, teremos:
6 min + 9 min + 8 min = 23 minutos total para montagem
10hrs turno = 10h x 60 min para um dia, teremos:
600min/23min= 26,08 dias
26,08 x 30 = 782,60 unidades ao mês
Capacidade Nominal:
Se dá pela quantidade de tempo disponível da unidade \u2013 as perdas sob as 
paradas na manutenção 
 = (600min \u2013 45 min) / 23min= 24,13 
 =24,13 x 30 = 723,91 unidades ao mês
Capacidade Efetiva:
= Capacidade nominal x eficiência
24,13 x 0,90 = 21,72 dias
21,72 x 30= 651,51 unidades ao mês
Capacidade Realizada:
Capacidade efetiva \u2013 perdas não planejadas
= 21,72 \u2013 (45min/23min) = 21,72 \u2013 1,95 = 19,77 unid. Dia
19,77 x 30 = 593,10 unidades ao mês
Número de funcionário:
Tempo de produção: 23 minutos
Demanda mensal: 5000 unidades
Produção diária: 5000/25 = 200 unidades por dia
Horas uteis = 10h x 60 = 600 min
= 600min \u2013 45min (tempo de parada) = 555 min dia
Produção: 23min x 200 / 555 = 4600/555 = 8,28 funcionários
Conclusão:
Produção diária = 23 min x 8,28 = 190,63 unidades/ funcionário
Produção mensal: 190,63 x 30 = 5.718,91 unidades/ mês
Análise de Custos
A Indústria Ferreira e Ferrari S.A. efetuou a venda de sua produção 5.000 Unidades) no mês de março ao preço unitário de R$ 17,00, tendo como custos Variáveis: Matéria Prima no valor total de R$ 35.243,00 e Energia Elétrica no Valor total de R$ 20.507,00. Com base nesses dados determine qual o valor da Margem de Contribuição total e unitária.
Resolução:
Dados:
Vendas: 5.000 unidades
Preço: R$ 17,00
Matéria prima: R$ 35.243,00
Energia: R$ 20.507,00 Gastos
Usaremos para calcular a MC
MC= margem de contribuição
PV= preço da venda
CV= custo variável
DV= despesa variável
MC= PV- (CV + DV)
MC= 5000 x 17 \u2013 (35.243,00 + 20.507,00)
MC= 85.000 \u2013 55.750
MC= 29.250
Margem de contribuição total é de 34,41%
MC= PV \u2013 (CV + DV) / 5000
MC= 17 \u2013 (35.243 + 20.507) / 5000
MC= 17 \u2013 55.750/5000
MC= 17 \u2013 11,15
MC=5,85
Margem de Contribuição Unitária é de 34,41%
	
pROCESSOS LOGÍSTICOS
O tipo de sistema usado para fabricar um produto ou fornecer um serviço refere-se à dinâmica entre o consumidor e a empresa fornecedora: o método utilizado define como os produtos chegam aos clientes. A este respeito existem dois sistemas de produção principais, o sistema puxado (pull) e o sistema empurrado (push).
Segundo o site Melhorar Negócios, o sistema tradicional de movimento de bens e serviços é o push. Ele desencadeia os seus processos sem se basear na atual procura do bem ou serviço, enquanto que no sistema pull, um processo apenas é despoletado quando recebe um \u201csinal\u201d do processo seguinte.
Do inglês \u201cpush system\u201d, o sistema de Produção Empurrada é determinado a partir do comportamento do mercado. Neste modelo, a produção em uma empresa começa antes da ocorrência da demanda pelo produto. Ou seja, a produção depende de uma ordem anteriormente enviada, geralmente advinda de um sistema MRP (Material Requirement Planning). Após o recebimento de tal ordem, é feita a produção em lotes de tamanho padrão. 
Exemplo de sistema push
Fonte: Melhorar Negócios.
Já no sistema puxado (pull system), a produção é baseada na demanda e as informações fluem no sentido oposto, saindo da demanda e indo até a empresa. Dessa forma, a quantidade de estoque é minimizada, já que a produção começa a partir do cliente.
Exemplo de sistema pull
Fonte: Melhorar Negócios
Ainda de acordo com o site Melhorar Negócios,\u201cO sistema pull, um dos princípios do Pensamento Lean, prima pela drástica redução de estoque e pelo cumprimento dos requisitos do cliente, em detrimento da acumulação de estoque, matérias e/ou serviços em transformação e bens e/ou serviços que não cumprem as especificações pretendidas pelo mercado.\u201d (MELHORAR NEGÓCIOS, 2012) Segundo Pinheiro (2016), pode-se diferenciar a programação empurrada da puxada pelo fluxo produtivo: enquanto na programação empurrada a produção é programada e executada em função da demanda prevista, a programação puxada irá iniciar a produção apenas quando houver colocação de pedido dos clientes finais