A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
AD1 - Educação e Trabalho - 2019 2

Pré-visualização|Página 1 de 3

PRIMEIRA AVAL IAÇÃO A DISTÂ NC IA 2019 .2
DISCIPL INA: EDUCAÇÃO E TRABALHO
Prof. Dr. Dalton A lv es
Profª. Drª Fátim a Chaves
Profª. M s . Roberta Guimarães
of. Dr. Robert Lee Segal
Prezad o (a) Estud a nte:
Esta é a sua Primei ra Avali ação a Di stância (AD-1 ), el a tem p or o bj etivo ap rofund ar algu ns conh ecimen tos
bási cos d a Di scipl i na os qu ai s serão fundamentais p ara a compree nsão do s d emais estudos qu e você rea li zará
posteriormente, em e specia l, para a real i zação da AP-1. Mas, também, utili zar uma n ova fo rma d e apren der e de ser
aval ia do.
Você en contrará n esta a vali ação 0 3(três ) ca min h o s o s q u ais es tamo s d en o min an do de T RILH AS DE
APRENDIZ AG ENS, d este s voc ê d ev erá ESCOL HER APENAS UMA DEL AS PARA RESPO NDER com ba se nos
textos e estudo s real izado s n a Un id ade I, do Cronog rama.
*** AT ENÇÃO ***
Data Limite p ara a POST AGEM VIA PL ATAF ORMA d e sta AD1 d ia 25 d e a g o s to (d o ming o).
Obs. : Es t a é a data f inal, mas pedi mos para que env ie antes , s e poss ív el.
CO MO PO STA R ESTA AD1 VIA PLATAFO R MA:
O al uno /a de poi s de rea li zar o que se pede nesta ativida de , en viar o arqui vo da AD1 de acordo com o formato d a T rilha
de Aprendi zagem ad otada (Não envi ar em PDF, para facili tar a correção e eventuais comentários).
Acessar a Plataforma no luga r correspo nde nte para a nexar o seu arqu ivo e m IN T RO DUÇ ÃO l ocal izar a inscrição:
Co mo ENT REG AR a A D 1 d e Edu c ão e T r ab a lh o_2019.2
Você deve en trar n a Ativida de e cli car n o bo tão "Adici ona r Ativ i dad e" e a nexar o arq ui vo da AD , cliq ue em "Sal var
Mudan ças" e em segui da "Enviar Arquivo".
ATENÇÃO , caso apareça n o menu "Sta tus de Envio" o termo: "Rascunh o", sig ni fica qu e o arqui vo ai nd a o fo i enviado
corretamente. Neste caso, p ara con clui r o envio certifiq ue -se de ter cli cado e m "Enviar Ati vida de".
Q ual qu er vida acesse o tutorial aq ui : T utorial de Entrega da AD ( em an exo)
O u en tre em contato com a Equi pe de Tu toria da Discip li na .
AT ENÇÃO: Caso tenh a algu m p robl ema pa ra en viar o seu arqu ivo, em especia l a qu el es/as que optarem p el a Tri l ha de
Aprendi zage m (3), e ntrem em contato con osco imedi atamente. Por isto, O DEIXE PARA A ÚLT IMA HORA. Não i remos
acei tar traba lh os entregues fora do p razo devi do a di ficul da des no envio do arqui vo ou outro probl ema qu alquer. Enviando
antes, garan timos o aceite e recebi mento da Ativid ad e. Fi que atento/a.
ATIVIDADE DE APRO VEITAMENTO DA DISCIPLINA
[10.0 pontos]
UNIVERSIDADE FEDERAL DO
ESTADO DO R IO DE J ANEIRO

2
R eferên cia B iblio gráfic a:
FR IGOTTO, Gaudên ci o. Trabal ho (p. 399 -404). V ER B E TE do Di ci onári o da edu cação
profissi o nal em saúde .
A escol h a desse texto d eu -se pel a extre ma rel evân ci a del e para a so ci edad e como
um todo em consonância ao i nteresse de me aprofundar no assunto e descobrir quai s são
as i mpli ca ções das rel ações de trabal h o à vida so ci al atual mente. A tri l ha de aprendi zage m
adotada foi a primeira, na qual vi uma oportun i dade de expressar as i dei as qu e contrib ram
para o meu conheci mento através de u ma disse rt ão. Das três opçõ es de tril h as de
aprendi zag em di sponívei s, el a foi a que mai s me ca tivo u, poi s vi a o portu ni dad e de
si ntetizar meus co nheci mentos da di sci p l i na e m uma redação, pod endo posteri o rmente
usar a di ssertação para estuda r para futuras aval i açõ es.
Po de-se obse rvar q ue a s concep ções de trabal h o resultam de u m p rocesso d e
cri ação hi stórica, n o qual seu desenvol vi mento e propag ação são concomitantes à evolu ção
dos modos e relações de produção, da organi zação da sociedade como um todo e das
forma s de conh eci mento humano. O texto enfati za a di mensão do trabal ho como ativi da de
que responde à produção dos el ementos necessários à vida bi ol ógi ca dos seres humanos,
l eva ta mbém à refl exão do trabal ho h umano em ca ráter on tocriativo, no q ual o mesmo se
constitui em um pri ncípi o ed ucativo e se impõe nu m pl ano éti co como um di reito e um de ver.
O “prin pi o e ducativo deri va do fato que todos os se res h umanos são seres da natureza
e, po rtanto, têm necessi d ades fi si o l ógi cas d e al i mentar -se, proteger-se e criar seus meio s
de vida .
N ota-se que, o trabal h o em sua essên ci a ontocri ati va, o po d e ser co nfundi d o com
as formas hi stórica s que passo u a assumi r. D o mesmo modo, a proprieda de co mo d i rei to
i ndivi dual do ser humano, não pode ser confundida com a propriedade capi tali sta. A
di sti nção entre a s dua s nos permi te enxergar as desi g ual da des exi s tentes nas relaçõ es de
trabalho. O trabal hador detém a propri edade sobre obj etos ou coi sas que são para uso
própri o, ou sej a, são para o uso de quem as possui casa, carro, terra etc. -, já o capi tal i sta
(dono dos meios de produção) detém a propriedade pr i vada, que é um capital uti li zado para
i ncorporar trabal h adores assal ari ados que produzam para quem tem este capi tal . D eve-se
sali entar que, estar de um l ado ou de outro não é uma questão de escol ha, mas resultado
de um processo hi stórico que p reci sa ser rep ensad o.
O mais in teressante é o fa to de que ain da hoj e , mui tos trabal h adores não percebem
a exp l oração exi stente ne ssas rel ações. P or conseg ui nte, o de tentor do cap i tal conseg ue

3
comprar o tempo de trabal ho dos trabal had ores através de um contrato sob o p ressuposto
da i gualdade e l iberdade de ambas as partes. Entretanto, sabemos que esse processo é
só aparênci a. O trabal hador desprovido de propri edade de meios e instrumentos de
produção é reduzi do à sua d i mensão de forca de trabal h o, e essa práti ca se torn a um ci clo
vi ci oso sem fi m, mantendo o g ênero humano fadad o à permanecer em cl asses desi gua i s e
sendo expl orado.
Em suma, o texto nos l e va à refl exão acerca das rel açõ es de trabal h o qu e são
mantida s atual mente, é i n teressante estabel ecer um parâmetro en tr e a conce pção d e
trabalho em sua origem, e a que vi vemos agora. É notável que o surgi mento da propriedade
privad a e à di vi são da soci edad e em cl asses sociai s, fe z com que essa no ção negati va do
trabal h o surgisse . O tra bal ho nos d i as atuai s está associ a do a expl oração de mu i tos seres
humanos por uns poucos homens, que são benefici ados pel o trabalho daqueles.
Indubi tavel mente, devemos l utar pe l a emanci pa ção h umana no trabal ho e a nsi ar po r um
outro ti po de soci edad e ou modo de produção, d i ferente do atual , cap i tal i sta.
Opinião s ob re o formato d a AD
Primeiramente, gostaria de parabeni zar a equi pe de Educação e Trabal ho pel o o
forma to di mi co e i no vador da AD . N ã o tenho um parâmetro de como era as ativi da des
anterio rme nte, mas me si nto privi l egi ad a de pode ter ti do a op ortun i dade de cu rsar essa
di sci pl i na com a s presentes mudan ças. C om a di spon i bi l i zação das o pções de tri l has de
aprendizagens eu, como aluna, me senti protagonista da construção do meu próprio
conhe ci mento. C onseg ui sentir a preocup ação para c o m os di scentes, possi bi l i tando assim
uma construção do saber mais dial ógi ca, sendo modi ficável para a adaptação do aluno.
Se ri a interessante para as p róximas aval i a ções, p ropostas q ue nos l eve a vi venci a r o qu e
estamos estudan do na p rática, co mo uma possí vel vi si ta à uma i nstitui ção ou e mpresa,
onde pudéssemos vi venciar as relações de trabalhados que lá são estabel ecidas.