A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
RESUMO PBL UCII Sistema Reprodutor

Pré-visualização | Página 1 de 4

Guilherme Tognon de Mello 
 A Oligospermia: é uma das principais 
causas de infertilidade nos homens, 
apresentando concentração de 
espermatozoides menor que 20 
milhões por mililitro. Testado através do 
espermograma, pode estar relacionada 
com a inflamação dos testículos, 
alcoolismo, uso de drogas ou 
varicocele (inflamação dos ductos 
deferentes) impedindo a passagem do 
esperma. 
 Atenospermia: Mobilidade deficiente 
dos espermatozoides. 
 Teratospermia: Alteração 
morfológicas. 
 30 Á 50% dos casos de infertilidade 
são em decorrência de problemas dos 
homens. 
 A infertilidade ocorre quando o casal 
está a mais de 1 ano tentando 
engravidar sem o uso de preservativos 
e não consegue obter uma gravidez. 
 Infertilidade Primária: Não há caso de 
gravidez anterior. 
 Infertilidade Secundária: Há 
ocorrência de gravidez anterior. 
 Pode estar relacionada com a 
Síndrome do Ovário Policistico (SOP) e 
hiperprolactinemia (Hiper produção de 
prolactina pela hipófise gerando 
contrações uterinas excessivas). 
 80 á 90% estão relacionadas a 
Síndrome do Ovário Policístico. 
 
Métodos de Investigação 
 Padrão Menstrual: o Histórico 
menstrual é um ótimo preditor de 
ovulação normal. 
 Progesterona Sérica: Método de 
testar a ovulação, o soro deve ser 
obtido no 21º dia de ovulação, valores 
acima de 4 indicam ovulação. 
 Biópsia Endometrial: Avalia a 
mudança histológica do tecido 
endometrial, levando o endométrio a 
um padrão secretor que confirma a 
ovulação. 
 Ultrassonografia (USG): Mostram a 
quantidade de folículos antrais em 
desenvolvimento e seu colapso na 
ovulação.
 
 
AVALIAÇÃO DA RESERVA 
OVARIANA 
 
 Hormônio Antimulleriano: é expresso 
por células da granulosa com 6 mm. 
Portanto estima a quantidade de fóliculos 
primordiais (1ng/ml é normal) níveis 
abaixo disso indicam baixa resposta 
ovariana. 
 Dosagem de FSH: A dosagem de FSH 
no 3º dia do ciclo é um método simples e 
de menor custo. Valores abaixo de 10 
ng/ml refletem boa reserva. 
 
 
FATORES UTERINOS 
 As anormalidades uterinas podendo ser 
hereditárias ou adquiridas são um 
importante fator de infertilidade 
feminina. 
 As anormalidades mais comuns são: 
 
 Septo Uterino
 
 Útero Bicorno: 
 
 Útero Didelfo ou útero duplo
 
 Consistem em pólipos adquiridos 
(tumores). 
 Leiomiomas (tumores uterinos que 
impedem a implantação do zigoto) 
 
 Ligadas á anormalidade na produção 
de espermatozoides, anormalidades 
espermáticas funcionais e obstrução dos 
ductos deferentes. 
 
 
 Principal objeto de informação sobre a 
fertilidade masculina. 
 O paciente deve ficar em abstinência 
sexual de no mínimo 2 dias, coletar a 
amostra através de automasturbação 
a mesma deve ser armazenada em 
um tubo estéril e encaminhada ao 
laboratório em no mínimo 1h, 
aconselha-se que levem o material no 
bolso para a temperatura ficar normal. 
 Anormalidades no exame: 
 Astenozoespermia: Diminuição da 
motilidade dos espermatozoides. 
 Azooespermia: Ausência de 
espermatozoides. 
 Oligozooespermia: Diminuição na 
concentração de espermatozoides. 
 Teratozooespermia: Morfologia dos 
espermatozoides alterada. 
 
) 
 Oócitos maduros provenientes de 
um processo de estimulação. São 
recuperados via transvaginal. 
 Os espermatozoides e o óvulo são 
combinados in vitro para que haja a 
fecundação. 
 Caso a fecundação for bem 
sucedida os embriões vão ser 
transferidos via transvaginal até a 
cavidade endometrial. A implantação 
acontece no 7 dia, na fase de 
clivagem, onde o embrião possui de 
4 á 7 células, o número de embriões 
colocados depende da idade da 
mulher. Para mulheres em idade 
fértil determina-se a implantação de 
até 2 embriões, enquanto em 
mulheres com de idade entre 36 á 
40 anos, recomenda-se até 3. Em 
mulheres com idade maior de 40 
anos recomenda-se a implantação 
de até 4 embriões. 
 As Indicações: Doença tubaria 
grave, doenças genéticas, resultado 
ruim no espermograma e falhas com 
outras técnicas são as principais 
indicações para FIV. 
 O número de fertilizações duplas é 
cerca de 15%, 
 Para ter acesso ao programa é 
preciso ter diagnóstico de 
infertilidade e ter tentado engravidar 
pelo método tradicional por pelo 
menos 2 anos. 
 Existem alguns critérios como: 
Ter até 35 anos, pelo menos 5 
folículos ovarianos. 
 Restrições: Usuárias com 
endometriose profunda, caso 
possua doença infecciosa. 
 Ocorre na ampola da tuba uterina. 
 Fase 1: Penetração na corona radiata 
através da liberação de hialuronidase 
(enzima). 300 a 500 chegam a 
atravessar. 
 Fase 2: É composta pela penetração 
na zona pelúcida (camada de 
glicoproteínas que circunda o 
ovócito), o espermatozoide libera 
acrosina (enzima) que degrada a 
camada e permite a sua entrada, com 
isso ocorre uma impermeabilização 
do ovócito, impedindo que mais 
espermatozoides entrem. 
 Fase 3: Fusão das membranas do 
oócito com as do espermatozoide, a 
partir disso iniciam-se as divisões 
mitóticas. 
 
 Os espermatozoides são obtidos por 
auto masturbação. 
 Nas mulheres é realizada uma 
estimulação hormonal que induz a 
ovulação, injeções com 
gonodotrofinas, depois de coletados 
os espermatozoides e o óvulo, ambos 
são colocados em uma cultura, onde 
a fecundação acontece, com o 
embrião então formado este é 
colocado no útero da mulher. 
 
 Inseminação Intrauterina: 
Utiliza um cateter flexível para 
depositar amostra do sêmen 
preparado dentro da vagina, os 
espermatozoides defeituosos são 
separados dos bons e colocados 
dentro da vagina em data próxima da 
ovulação. 
 Injeção intracitoplasmática de 
espermatozoides: Uso de 
microscópio e micromanipuladores, 
introduzindo os espermatozoides 
dentro do óvulo com uma agulha 7 
vezes mais fina que o diâmetro do 
cabelo humano, utilizada em casos 
de óvulos com a zona pelúcida 
enrijecida. (mulher>40 anos) 
 FIV (Explicada acima) 
 
 A terapia celular é uma função 
importante para o sangue do 
cordão umbilical, que é rico em 
células tronco, as células doentes 
são substituídas por novas 
saudáveis, qualquer doença em 
que for resultante da 
degeneração dos tecidos do 
corpo pode ser tratada através de 
terapia celular. 
 São células que possuem alta 
capacidade de replicação, 
capacidade de gerar novas células 
idêntica a si mesma, além de se 
diferenciar em vários tecidos. 
 
 Totipotentes: São células 
embrionárias, que podem se 
diferenciar nos 3 tecidos 
embrionários são derivados da fase 
em que o embrião tem de 16 á 30 
células ou seja de 3 á 4 dias de vida, 
só podem ser encontradas no 
embrião. 
 
 Pluripotentes ou Multipotentes: 
Células capazes de se diferenciar 
em quase todos os tecidos 
humanos, excluindo a placenta e os 
anexos embrionários, de 32 á 64 
células, aproximadamente no 5º dia 
de vida, fase de blastocisto. 
 
 Oligopotentes: Se diferenciam em 
pouco tecidos. 
 
 Unipotentes:Diferenciam-se em 
apenas um tecido. 
 
 A idade materna possui grande 
influência sobre o desenvolvimento da 
gestação. 
 O período ideal de gravidez é dos 20 
aos 30 anos de idade. 
 Mulheres acima dos 35 anos podem 
apresentar más formações de seus 
conceptos, hemorragias e até a morte 
da mãe. 
 Maiores ocorrências de anomalias 
genéticas também são encontradas 
nessa idade, além de nascimentos 
pré-termo, baixo peso ao nascer e 
baixa vitalidade em neonato. 
 
 O sexo do inidivíduo é determinado 
no momento da fecundação, macho 
(XY) e fêmea (XX). 
 O pai determina o sexo da criança, 
pois doa ou X ou Y. 
 O processo de diferenciação ocorre 
por volta da 7ª semana de vida, por 
volta da 5ª semana de 
desenvolvimento, ocorre o surgimento 
de cordões digitiformes que servirão 
de sustentáculo para as células que 
invadirão a gônoda, de acordo com o 
sexo cromossômico, as células irão