LISTA EXERCICIO DINAMICA DOS SISTEMAS UNIP
9 pág.

LISTA EXERCICIO DINAMICA DOS SISTEMAS UNIP


DisciplinaDinâmica1.974 materiais9.856 seguidores
Pré-visualização6 páginas
Página 1 de 18 
Professor Clodoaldo Valverde é Pós-Doutor pela Universidade de Brasília UnB. 
 
 
 
 
 
 
MÓDULO 00 - EXERCÍCIOS 
 
1 - As placas ilustradas em anexo, estão 
soldadas ao eixo fixo AB; o conjunto assim 
constituído, gira com velocidade angular 
constante \u3c9 = 0,5 rad/s; no instante ilustrado o 
ponto C está descendo. O vetor velocidade 
angular (versores indicados em \u201cnegrito\u201d), 
expresso em rad/s, é aproximadamente: 
 
R: 0,43.i \u2013 0,26.j +0,00.k 
 
 MÓDULO 01 - EXERCÍCIOS 
 
1 - As placas ilustradas em anexo, estão 
soldadas ao eixo fixo AB; o conjunto assim 
constituído, gira com velocidade angular 
constante w = 0,5 rad/s; no instante ilustrado o 
ponto C está descendo. O vetor velocidade do 
ponto C (versores indicados em \u201cnegrito\u201d), 
expresso em rad/s, é aproximadamente: 
 
R: -0,14.i \u2013 0,24.j +0,00.k 
 
2 - As placas ilustradas em anexo, estão 
soldadas ao eixo fixo AB; o conjunto assim 
constituído, gira com velocidade angular 
constante w = 0,5 rad/s; no instante ilustrado o 
ponto C está descendo. O vetor velocidade 
angular (versores indicados em \u201cnegrito\u201d), 
expresso em rad/s, é aproximadamente: 
 
R: 0,43.i \u2013 0,26.j +0,00.k 
 
3 - As placas ilustradas em anexo, estão 
soldadas ao eixo fixo AB; o conjunto assim 
constituído, gira com velocidade angular 
constante w = 0,5 rad/s; no instante ilustrado o 
ponto C está descendo. O vetor aceleração do 
ponto C (versores indicados em \u201cnegrito\u201d), 
expresso em rad/s2, é aproximadamente: 
 
R: 0,00.i + 0,00.j \u2013 0,14.k 
 
Aluno (a):................................................................................................................................. RA:........................ 
Universidade Paulista - UNIP 
 Prof.: Dr. Clodoaldo Valverde 
Assunto: Dinâmica dos Sistemas 
Curso: Engenharia Mecânica 
Goiânia _08 /03 / 2013 
 
Página 2 de 18 
Professor Clodoaldo Valverde é Pós-Doutor pela Universidade de Brasília UnB. 
 
4 - A haste ABCD ilustrada, gira apoiada em 
duas articulações esféricas em A e D, no 
sentido horário, quando a mesma é observada 
do ponto de vista da articulação A . A 
velocidade angular da barra, no instante 
considerado, é igual a 12 rad/s, e diminui de 
forma constante, à razão de 3 rad/s2 ; o vetor 
velocidade angular (versores indicados em 
\u201cnegrito\u201d), em rad/s, é aproximadamente: 
 
R: 9,5i - 6,1j \u2013 4,0k 
5 - A haste ABCD ilustrada, gira apoiada em 
duas articulações esféricas em A e D, no 
sentido horário, quando a mesma é observada 
do ponto de vista da articulação A . A 
velocidade angular da barra, no instante 
considerado, é igual a 12 rad/s, e diminui de 
forma constante, à razão de 3 rad/s2. Ovetor 
aceleração angular (versores indicados em 
\u201cnegrito\u201d), em rad/s, é aproximadamente: 
 
R:-2,4i + 1,5j +1,0k 
 
6 - Um rebolo de esmeril, de formato cilíndrico, 
com raio R = 0,45 m, gira com frequência 
constante fo = 1500 rpm; quando se desliga o 
motor elétrico do esmeril, a pedra gasta 8 s até 
parar; considerar movimento uniformemente 
acelerado. A aceleração angular do rebolo, em 
rad/s2, é aproximadamente: 
 
R:-19,63 
 
7 - Um rebolo de esmeril, de formato cilíndrico, 
com raio R = 0,45 m, gira com frequência 
constante fo = 1500 rpm; quando se desliga o 
motor elétrico do esmeril, a pedra gasta 8 s até 
parar; considerar movimento uniformemente 
acelerado. O número de voltas até a parada, é 
aproximadamente: 
 
R:100 
 
8 - Na figura anexa são ilustrados duas 
engrenagens A e B, com raios RA = 0,75 m e 
RB = 0,45 m, respectivamente. A 
engrenagem A parte do repouso com 
aceleração angular constante \u3b1 = 5 rad/s2, até 
atingir velocidade angular \u3c9 = 200 rad/s, que 
mantêm posteriormente. A velocidade angular 
final da engrenagem B, em rad/s, é 
aproximadamente: 
 
R: 333 
 
9 - A parte do repouso com aceleração angular 
constante \u3b1 = 5 rad/s2, até atingir velocidade 
angular \u3c9 = 200 rad/s, que mantêm 
posteriormente. O número de voltas da 
engrenagem B até atingir sua velocidade final, é 
aproximadamente: 
 
 
 
Página 3 de 18 
Professor Clodoaldo Valverde é Pós-Doutor pela Universidade de Brasília UnB. 
 
R: 1061 
 
10 - O movimento plano de um sólido pode ser 
entendido de duas formas diferentes: a) 
movimento de translação, superposto ao 
movimento de rotação em torno de eixo que 
passe pelo seu centro de massa; b) movimento 
de rotação em torno de um eixo que passe pelo 
CIR - Centro Instantâneo de Rotação. A 
segunda forma tem vantagens quando se 
objetiva calcular velocidades, e o CIR será um 
ponto do sólido instantaneamente com 
velocidade zero ou quando isso não é viável é 
um ponto que pertence à linhas ortogonais às 
velocidades de pontos do sólido. Assim posto, 
na figura ilustrada encontram-se três barras 
articuladas entre si, todas rígidas, sendo que 
duas possuem eixos fixos. No instante ilustrado, 
a barra AB gira no sentido horário, com 
velocidade angular \u3c9AB = 4 rad/s. A a 
velocidade angular da barra BC, expressa em 
rad/s, é aproximadamente: 
 
R: 1,38 
 
11 - O movimento plano de um sólido pode ser 
entendido de duas formas diferentes: a) 
movimento de translação, superposto ao 
movimento de rotação em torno de eixo que 
passe pelo seu centro de massa; b) movimento 
de rotação em torno de um eixo que passe pelo 
CIR - Centro Instantâneo de Rotação; A 
segunda forma tem vantagens quando se 
objetiva calcular velocidades, e o CIR será um 
ponto do sólido instantaneamente com 
velocidade zero ou quando isso não é viável é 
um ponto que pertence à linhas ortogonais às 
velocidades de pontos do sólido. Assim posto, 
na figura ilustrada encontram-se três barras 
articuladas entre si, todas rígidas, sendo que 
duas possuem eixos fixos. No instante ilustrado, 
a barra AB gira no sentido horário, com 
velocidade angular \u3c9AB = 4 rad/s. A velocidade 
angular da barra CD, expressa em rad/s, é 
aproximadamente: 
 
R: 2,19 
 
12- As barras ilustradas são articuladas entre si; 
sabe-se que a barra AB gira no sentido horário 
com velocidade angular \u3c9AB = 11 
rad/s. A velocidade angular da barra BC, 
expressa em rad/s, é aproximadamente: 
 
R: 4,68 
 
13 - As barras ilustradas são articuladas entre 
si; sabe-se que a barra AB gira no sentido 
horário com velocidade angular \u3c9AB = 11 
rda/s. A velocidade angular da barra CD, 
expressa em rad/s, é aproximadamente: 
 
R: 1,56 
 
14 - No arranjo ilustrado, o eixo de manivela AB 
gira com velocidade angular constante, no 
sentido horário: \u3c9AB = 16 rad/s. O pistão tem 
seus movimentos limitados pelo 
cilindro. A velocidade angular da barra BD, 
expressa em rad/s, é aproximadamente: 
 
 
Página 4 de 18 
Professor Clodoaldo Valverde é Pós-Doutor pela Universidade de Brasília UnB. 
 
 
 
R: zero 
 
15 - No arranjo ilustrado, o eixo de manivela AB 
gira com velocidade angular constante, no 
sentido horário: \u3c9AB = 16 rad/s. O pistão tem 
seus movimentos limitados pelo cilindro. 
A aceleração do cursor D, expressa em m/s2, é 
aproximadamente: 
 
R: 18,43 
 
16 - Na figura anexa são ilustrados duas 
engrenagens A e B, com raios RA = 0,75 m e 
RB = 0,45 m, respectivamente. A 
engrenagem A parte do repouso com 
aceleração angular constante \u3b1 = 5 rad/s2, até 
atingir velocidade angular \u3c9 = 200 rad/s, que 
mantêm posteriormente. O tempo necessário 
para a engrenagem A atingir sua velocidade 
final, em s, é aproximadamente: 
 
R: 1061 
 
17 - Na figura anexa são ilustrados duas 
engrenagens A e B, com raios RA = 0,75 m e 
RB = 0,45 m, respectivamente. A 
engrenagem A parte do repouso com 
aceleração angular constante a = 5 rad/s2, até 
atingir velocidade angular w = 200 rad/s, que 
mantêm posteriormente. A aceleração angular 
da engrenagem B, até atingir sua velocidade 
final, expressa em rad/s2, é aproximadamente: 
 
R: 8,3 
 
18 - No esquema ilustrado as barras AB e BC 
são articuladas entre si. A barra AB tem eixo 
fixo passando pelo ponto A. A barra BC é 
articulada em C a um cursor que desliza 
livremente em guia fixa inclinada de 450 em 
relação ao horizonte. A