Buscar

politica comparada apol objetiva 2

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 9 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 9 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 9 páginas

Continue navegando


Prévia do material em texto

Questão 1/10 - Política Comparada
Leia o trecho a seguir, de Bohn (2015): «Desde pelo menos a década de 1960, tem havido  uma  intensificação na produção de estudos comparativos em ciência política (e também em sociologia e antropologia), sobretudo na literatura anglo-saxã. De fato, um número bastante significativo de trabalhos contemporâneos de grande qualidade emprega a análise comparada. [...] Apesar do uso recorrente da análise comparada, poucos são os pontos consensuais no que se refere à metodologia de pesquisa e às diferentes  soluções  para  as  suas  principais debilidades.  Pelo contrário, há um debate profícuo  em  torno  de  propostas  de  metodologias distintas». 
FONTE: BOHN, Simone. Política Comparada: Um Mapeamento do Debate entre Propostas Teóricas e Metodologias de Pesquisa Alternativas. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, n. 59, p. 61-80, 2015.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina, examine as assertivas abaixo acerca dos “cinco i’s” que representam as possibilidades de análise em política comparada, e assinale a alternativa que faz uma análise correta.
I. Duas dimensões que podem ser analisadas pela política comparada são as instituições e os indivíduos.
II. Uma dimensão que compõe os “cinco i’s” da política comparada é a dos interesses.
III. O ambiente internacional é uma das dimensões que podem ser abordadas pela política comparada.
Nota: 10.0
	
	A
	Apenas as assertivas I e II estão corretas
	
	B
	Apenas as assertivas II e III estão corretas
	
	C
	Todas as assertivas estão corretas
Você acertou!
As perspectivas de análise são utilizadas para instrumentalizar os pesquisadores a saber como comparar a política, Guy Peters (2008) as denomina “os cinco I’s”, que elencam todas as possibilidades de análise da política: instituições; interesses e estratégias; ideias; indivíduos e ambiente internacional. Essas cinco formas de abordagens são independentes umas das outras, já que a pesquisa pode ser exclusivamente de uma delas ou de várias combinadas, interagindo. FONTE: Material para impressão (aula 5, p. 2).
	
	D
	Apenas a assertiva I está correta
	
	E
	Apenas a assertiva II está correta
Questão 2/10 - Política Comparada
Acompanhe o trecho a seguir, de O’Donnel (1999, p. 656): “A recente emergência de países que são ou dizem ser democráticos colocou importantes desafios ao estudo comparativo dos regimes políticos e, inclusive, à própria teoria da democracia, embora nem sempre se perceba isto. Classificar um caso como ‘democrático’ ou não é mais que um mero exercício acadêmico; tem implicações morais, na medida em que na maior parte do mundo contemporâneo existe um consenso de que a democracia, independente de como é definida, é um tipo de governo normativamente preferível. Essa qualificação também traz conseqüências práticas, pois no atual sistema internacional o acesso a importantes benefícios tem estado dependente da avaliação da condição democrática de um país”. 
Fonte: O'DONNELL, Guillermo. Teoria democrática e política comparada. Dados, Rio de Janeiro, v. 42, n. 4, p. 655-690, 1999.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina Política Comparada, examine as assertivas abaixo, acerca da utilização do método comparativo por autores como Huntington e Skocpol, e assinale a alternativa que faz uma análise correta.
I. Samuel Huntington comparou, no livro Ordem Política nas Sociedades em Mudança, diferentes países, chegando à conclusão de que a estabilidade política é mais importante para o desenvolvimento de um país do que a modernização.
II. Theda Skocpol analisa os países comparativamente, utilizando o método da diferença e da semelhança, sistematizado anteriormente por John Stuart Mill.
III. Samuel Huntington e Theda Skocpol oferecem uma explicação marxista, baseada nas relações de classe, para a diferença no desenvolvimento político e econômico dos vários países.
Nota: 10.0
	
	A
	Apenas as assertivas I e II estão corretas
Você acertou!
Samuel Huntington lança, em 1968, a obra Ordem Política nas Sociedades em Mudança, faz uma revisão da teoria da modernização de Lipset, e do pressuposto de que o avanço do desenvolvimento levaria à democratização. O autor coloca que a ordem é responsável por tornar uma sociedade bem-sucedida, e não a modernização. A modernização é, segundo esse autor, desestabilizadora, já que estabelece o caos. Theda Skocpol compara França, Rússia e China, identificando por que alguns países passaram por experiências revolucionárias do século XVIII para o XX e outros, não. Para tanto, Skocpol vale-se do método indutivo e com base em uma perspectiva estrutural analisa os países comparativamente nos moldes de Mill (1886), do método da diferença e da semelhança. Como uma alternativa às perspectivas marxistas, da psicologia de massas, do conflito político e da homogeneidade dos sistemas, a cientista política sugere que as causas suficientes para as revoluções naqueles países foram o colapso militar e administrativo do Estado autocrático. FONTE: Material para impressão (aula 6, p. 5-6).
	
	B
	Apenas as assertivas II e III estão corretas
	
	C
	Todas as assertivas estão corretas
	
	D
	Apenas a assertiva I está correta
	
	E
	Apenas a assertiva III está correta
Questão 3/10 - Política Comparada
De acordo com Brandão (1998): “A Ciência Política em especial, ainda quando admite tacitamente a pertinência de outras variáveis, tem se desenvolvido postulando que a dinâmica do conflito político e institucional guarda relações essencialmente externas e formais com processos que se dão "fora" dela, não sendo relevante nem possível a reconstituição da totalidade e a reciprocidade das determinações em jogo. Em consequência, tem operado em dois registros distintos, mas complementares: tem recusado as análises das estruturas (privilegiando a ação coletiva e as conjunturas) e abandonado o campo da longa duração aos historiadores; e tem deixado de lado a pretensão de formular teorias globais em benefício de teorias regionais e de alcance relativo, preocupadas em abarcar uma diversidade de casos empíricos sob um princípio geral (o que penetrou inclusive num terreno tradicionalmente refratário a essa orientação, como o marxismo, a julgar pelo que diz um de seus remanescentes, Jon Elster, para quem esta corrente precisa é do desenvolvimento do que Robert K. Merton chamava de "teorias de alcance médio")”. 
Fonte: BRANDÃO, Gildo Marçal. A teoria política é possível? Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 13, n. 36, 1998.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina, assinale a alternativa que descreve corretamente as características do pós-comportamentalismo na Política Comparada.
Nota: 10.0
	
	A
	O pós-comportamentalismo é marcado por um retorno ao estudo dos atores, em detrimento da análise de instituições e regras políticas.
	
	B
	O pós-comportamentalismo é marcado por análises que consideram o Estado como um instrumento de dominação de classe.
	
	C
	O pós-comportamentalismo é caracterizado pela ascensão de variáveis institucionais e pela análise do Estado como ator político dotado de autonomia.
Você acertou!
O pós-comportamentalismo caracteriza-se por um retorno a variáveis institucionais (sem, contudo, abandonar os atores como variável explicativa), pela concepção do Estado como ator político autônomo (e não como mero reflexo de variáveis societais ou econômicas) e pela utilização de teorias de médio alcance e de comparações entre um pequeno número de casos.
FONTE: Material para impressão (aula 4, p. 2-3).
	
	D
	O pós-comportamentalismo caracteriza-se pelo abandono das teorias de médio alcance vigentes durante o período de hegemonia do comportamentalismo.
	
	E
	O pós-comportamentalismo caracteriza-se pela utilização exclusiva de comparações com grandes números de casos.
 
Questão 4/10 - Política Comparada
De acordo com Lijphart (1971), a análise comparativa não se reduz a uma técnica de pesquisa. Pelo contrário, trata-se de um conjuntode metodologias ou estratégias de pesquisa que se utiliza do estudo de contextos societários diferentes (em uma ou várias de suas dimensões: política, econômica, social, cultural, valorativa) para validar ou rejeitar hipóteses. Apesar de essa definição minimalista ser consensual, há divergências na definição do que sejam contextos societários diferentes.
Fonte: BOHN, Simone “Política Comparada: Um Mapeamento do Debate entre Propostas Teóricas e Metodologias de Pesquisa Alternativas”. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais – BIB, nº 59, p. 61, 2015.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos trabalhados na aula 6 de Política Comparada, examine as assertivas abaixo, e assinale a alternativa que faz uma análise correta.
I. Samuel Huntington lança, em 1968, a obra Ordem Política nas Sociedades em Mudança (1975), fazendo uma revisão da teoria da modernização de Lipset, e do pressuposto de que o avanço do desenvolvimento levaria à democratização.
II. De acordo com Huntington, a modernização leva necessariamente à ordem. A modernização das sociedades é o caminho para a estabilização das instituições políticas, colocando fim ao caos das sociedades que não se modernizaram.
III. Para Huntington a ordem é responsável por tornar uma sociedade bem-sucedida, e não a modernização. A modernização é, segundo esse autor, desestabilizadora, já que estabelece o caos. 
IV. Huntington compara diferentes países que, na época, possuíam instituições fortes, como EUA, Grã-Bretanha e União Soviética. Apesar de diferentes, eles dispunham de eficiência em seus governos para manter uma ordem política e estabilidade.
Nota: 10.0
	
	A
	Apenas as assertivas I e III estão corretas
	
	B
	Apenas a assertiva II está correta
	
	C
	Apenas as assertivas I, III e IV estão corretas
Você acertou!
Apenas as assertivas I, III e IV estão corretas. Samuel Huntington lança, em 1968, a obra Ordem Política nas Sociedades em Mudança (1975), fazendo uma revisão da teoria da modernização de Lipset, e do pressuposto de que o avanço do desenvolvimento levaria à democratização. Para Huntington a ordem é responsável por tornar uma sociedade bem-sucedida, e não a modernização. A modernização é, segundo esse autor, desestabilizadora, já que estabelece o caos (o que torna falsa a assertiva II). Huntington compara diferentes países que, na época, possuíam instituições fortes, como EUA, Grã-Bretanha e União Soviética. Apesar de diferentes, eles dispunham de eficiência em seus governos para manter uma ordem política e estabilidade. O grau de estabilidade dos governos aqui era colocado como uma característica-chave. A falta de estabilidade entre os países estudados reside na ausência de ordem, já que os países dos três continentes estudados são marcados por revoltas, golpes militares, conflitos étnicos etc. Com o declínio da ordem política, houve o enfraquecimento da burocracia, da legitimidade dos legislativos, tribunais etc. Esses países, em processo de modernização, são instáveis pelo fato de ter havido uma rápida mudança social e mobilização de novos grupos políticos, ao mesmo tempo que havia um lento desenvolvimento das instituições. FONTE: Material para impressão da aula 6, TEMA 4 – Huntington (1968) e Skocpol (1976).
	
	D
	Apenas as assertivas III e IV estão corretas
	
	E
	Apenas as assertivas I, II e III estão corretas
Questão 5/10 - Política Comparada
Reflita sobre o trecho a seguir: “Autor d’O Espírito das Leis (2000), Montesquieu apresenta de forma sistemática a ideia de separação de poderes. A separação de poderes é colocada como uma forma de impedir a concentração de poder nas mãos de apenas uma pessoa. A instituição aqui analisada é a transição do Estado absolutista para o Estado liberal. Montesquieu distingue os governos em repúblicas, monarquias e regimes despóticos e os descreve falando sobre momentos históricos. Podemos dizer que esse autor foi pioneiro na análise sociológica da política. ” (Fonte: Rota de Aprendizagem 6. Aula de Política Comparada com a Karolina Mattos Roeder).
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina, assinale a alternativa que analisa corretamente o tipo de comparação presente na obra A Democracia na América de Tocqueville.
Nota: 10.0
	
	A
	Tocqueville compara a democracia na França ao caso da Revolução Russa.
	
	B
	Tocqueville compara a democracia no Brasil com a fundação do império na América Central.
	
	C
	Tocqueville compara a democracia nos Estados Unidos com a monarquia indiana.
	
	D
	Tocqueville compara a democracia nos Estados Unidos a um “caso ausente”, ou seja, a falta de democracia na França.
Você acertou!
Segundo a aula 6 de Política Comparada a obra de Aléxis de Tocqueville, “A Democracia na América” (2004), é um estudo de caso, mas compara com um “caso ausente”, a França e a Europa, de uma forma mais geral. Esse autor analisa as condições na sociedade e na geografia americana que foram favoráveis ao desenvolvimento da democracia. Tocqueville é o primeiro a qualificar o regime representativo de maneira sistemática por democracia no lugar de República. (Fonte: Rota de Aprendizagem 6. Aula de Política Comparada com a Karolina Mattos Roeder. Slide 8).
	
	E
	Tocqueville compara a monarquia nos Estados Unidos com a monarquia na França.
Questão 6/10 - Política Comparada
Leia com atenção o trecho a seguir, de Cesário (2016): “Como parte do mesmo ambiente político, grupos de interesse possuem relações de cooperação ou competição entre si. Formam, assim, uma ampla rede que liga desde os movimentos locais até as organizações nacionais que funcionam como ponta de lança de interlocução com autoridades políticas, ou mesmo órgãos internacionais”. 
Fonte: CESARIO, Pablo Silva. Redes de influência no Congresso Nacional: como se articulam os principais grupos de interesse. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 24, n. 59, p. 109-127, 2016.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina Política Comparada, examine se os enunciados abaixo, acerca das pesquisas comparativas centradas nos interesses dos atores, são verdadeiros (V) ou falsos (F), e depois assinale a alternativa que apresenta a sequência correta: 
(  ) Essa perspectiva parte do pressuposto de que os indivíduos interessados na maximização da utilidade se envolvem na ação política para receber benefícios (normalmente materiais) ou evitar custos.
(  ) As pesquisas comparadas com essa abordagem buscam entender como os vários interesses da sociedade afetam as escolhas dos atores políticos. 
(  ) As pesquisas comparadas com essa abordagem analisam sobretudo instituições políticas, como o sistema de governo e a forma do Estado.
(  ) As pesquisas comparadas com essa abordagem analisam sobretudo a cultura política e as ideias que orientam as condutas dos atores.
Nota: 0.0
	
	A
	V, V, F, V
	
	B
	V, V, F, F
A segunda abordagem para analisar a política de forma comparada é a que considera os interesses que os atores estão buscando por meio da ação política, que tem aumentado com o predomínio do paradigma da escolha racional. Essa teoria parte do pressuposto de que os indivíduos interessados na maximização da utilidade se envolvem na ação política para receber benefícios (normalmente materiais) ou evitar custos. Os interesses da sociedade são representados no setor público, sendo que as pesquisas comparadas com essa abordagem buscam então entender como eles afetam as escolhas políticas, como grupos de interesse agem, como se dá a mediação de interesses entre sociedade e Estado. FONTE: Material para impressão (aula 5, p. 3-4).
	
	C
	F, V, V, F
	
	D
	V, V, V, V
	
	E
	F, F, F, F
Questão 7/10 - Política Comparada
Leia com atenção o trecho a seguir, de Melo (2005): “Segundo o autor, as instituições brasileiras funcionam mal. Entre as instituições ‘disfuncionais’ devem ser incluídos ‘o sistema eleitoral, as regras de formação de partidos, a natureza da presidência e a separação de poderes entre o governo federal, governos estaduais e prefeituras’”. 
FONTE:MELO, Carlos Ranulfo. As instituições políticas brasileiras funcionam? Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 25, p. 199-203, 2005.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina Política Comparada, assinale a alternativa que descreve corretamente algumas das variáveis utilizadas pelas análises comparativas centradas em instituições. 
Nota: 10.0
	
	A
	O sistema de governo; as relações entre o setor público e o privado; a forma de Estado.
Você acertou!
Desde o fim da era comportamentalista, a análise de instituições de sistemas de governo distintos, parlamentarismo e presidencialismo, por exemplo, ocuparam as agendas da área, sendo uma das variáveis (tanto dependente, como independente) mais utilizadas nos estudos de instituições comparadas. Outra forma utilizada para analisar instituições é utilizar como variável a forma de Estado, se unitário ou federalista. Um terceiro foco que as análises institucionais têm tomado refere-se às relações entre o setor público e o privado, como a literatura de corporativismo tem tratado. FONTE: Material para impressão (aula 5, p. 2-3).
	
	B
	Os interesses dos atores políticos; a cultura política; as ideias políticas.
	
	C
	As ideias econômicas; os interesses dos governantes; o ambiente internacional.
	
	D
	O ambiente internacional; a cultura política; os interesses econômicos.
	
	E
	A estrutura de classes; a cultura política; as ideologias políticas.
Questão 8/10 - Política Comparada
Leia com atenção o trecho a seguir, de autoria de Bohn (2015, p. 72): “Segundo Van Evera (1997, p. 55), não há regras predeterminadas para a escolha da metodologia de pesquisa — em muitos casos é decorrência direta da natureza do objeto de investigação e dos dados disponíveis a seu respeito. ParaMcKeown (1999, p. 169), mais do que um seguidor de regras, o cientista social deve ser visto como um artesão, já que o fundamental na pesquisa em ciências sociais, segundo ele, não é a mera aplicação de parâmetros lógicos  preestabelecidos, mas craftsmanship: ou seja, a habilidade tanto  na tessitura do desenho de pesquisa como em sua realização”. 
Fonte: BOHN, Simone. Política Comparada: Um Mapeamento do Debate entre Propostas Teóricas e Metodologias de Pesquisa Alternativas. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, n. 59, p. 61-80, 2015.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina Política Comparada, examine se os enunciados abaixo são verdadeiros (V) ou falsos (F), e depois assinale a alternativa que apresenta a sequência correta 
(  ) Na atualidade, a política comparada é caracterizada pela influência da teoria da escolha racional e pelo aumento da utilização de recursos estatísticos nas comparações.
(  ) O aumento de dados disponíveis sobre os países e o contexto de ampla democratização a partir de 1989 colaboraram para a guinada quantitativa na política comparada atual.
(  ) Em relação aos períodos anteriores, a política comparada atual é marcada por um menor pluralismo teórico e metodológico.
(  ) No período atual da Política Comparada, há maior consciência sobre questões de teoria e método e uma considerável variedade de desenhos de pesquisa (quantitativos e qualitativos).
Nota: 10.0
	
	A
	V, V, F, V
Você acertou!
A sequência correta é V, V, F, V. Ocorre, a partir de 1989 e até os dias atuais, a segunda revolução científica na política comparada: aqui há a influência da teoria da escolha racional e um viés mais economicista nas análises, assim como o aumento da utilização de recursos estatísticos. Com a expansão de conjuntos de dados disponíveis sobre os países, no que diz respeito à infraestrutura de pesquisa quantitativa na comparada, e um novo contexto de ampla democratização, novos problemas de pesquisa puderam ser analisados com maior grau de sofisticação. Em relação à abordagem teórica, há maior pluralidade e os estudos não se concentram mais na abordagem estrutural-funcionalista. FONTE: Material para impressão (aula 4, p. 3-4).
	
	B
	V, V, F, F
	
	C
	F, V, V, F
	
	D
	V, V, V, V
	
	E
	F, F, F, F
Questão 9/10 - Política Comparada
Embora o método experimental seja percebido como uma das mais profícuas estratégias de pesquisa para a produção de estudos científicos, há, no seio das ciências sociais, uma concordância geral de que sua aplicação nesse campo do conhecimento é inapropriada. Isso porque a metodologia experimental usualmente se baseia na premissa de que, na busca da causa dos fenômenos, é possível isolar dois conjuntos de eventos — um exposto a um determinado estímulo (grupo experimental) e outro não (grupo de controle) — e observar suas similaridades e, em seguida, aceitar ou rejeitar o papel do estímulo na produção dos fenômenos estudados.
Fonte: BOHN, Simone “Política Comparada: Um Mapeamento do Debate entre Propostas Teóricas e Metodologias de Pesquisa Alternativas” Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais – BIB, nº 59, p. 61, 2015.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos trabalhados na aula 6 de Política Comparada, examine as assertivas abaixo, e assinale a alternativa que faz uma análise correta.
I. Barrington Moore Jr. publica, em 1966, a obra As Origens Sociais da Ditadura e da Democracia: senhores e camponeses na construção do mundo moderno (1967), e nela compara a modernização na Grã-Bretanha, França, Estados Unidos, China, Japão e Índia, analisando a forma com que as estruturas de relações entre senhores e camponeses levou à formação de regimes totalitários ou democráticos.
II. O autor considera o contexto histórico e sociológico dos países – trata-se de uma análise que se enquadra no institucionalismo histórico – e identifica que alguns deles passaram por uma transição de sociedade agrária pré-industrial para um Estado democrático moderno e industrial, por meio do capitalismo (EUA, França, Inglaterra), com as revoluções burguesas e os regimes representativos europeus, tirando o poder comercial da monarquia.
Nota: 10.0
	
	A
	As duas assertivas estão incorretas
	
	B
	A primeira assertiva está correta e a segunda está incorreta
	
	C
	A primeira assertiva está incorreta e a segunda está correta
	
	D
	As duas assertivas estão corretas, porém elas abordam assuntos que são completamente distintos, e não existe nenhuma relação entre elas
	
	E
	As duas assertivas estão corretas, e a segunda contém elementos que complementam a primeira
Você acertou!
As duas assertivas estão corretas, e a segunda contém elementos que complementam a primeira. Barrington Moore Jr. publica, em 1966, a obra As origens sociais da Ditadura e da Democracia: senhores e camponeses na construção do mundo moderno (1967), e nela compara a modernização na Grã-Bretanha, França, Estados Unidos, China, Japão e Índia, analisando a forma com que as estruturas de relações entre senhores e camponeses levou à formação de regimes totalitários ou democráticos. O autor considera o contexto histórico e sociológico dos países – trata-se de uma análise que se enquadra no institucionalismo histórico – e identifica que alguns deles passaram por uma transição de sociedade agrária pré-industrial para um Estado democrático moderno e industrial, por meio do capitalismo (EUA, França, Inglaterra), com as revoluções burguesas e os regimes representativos europeus, tirando o poder comercial da monarquia. FONTE: Material para impressão da aula 6, TEMA 3 – Lipset (1958) E Moore JR. (1966).
Questão 10/10 - Política Comparada
De acordo com Braga (2011, p. 132): “Ainda falta à teoria política marxista, tanto em sua versão "estrutural" como em suas demais versões, um estoque de conceitos gerais e claramente articulados entre si destinado à constituição de uma sociologia política marxista com o mesmo grau de abrangência da sociologia política funcionalista e pluralista. Conceitos que abranjam não apenas as sociedades de classe, inclusive as capitalistas, mas também sociedades sem Estado do passado, e tipos ideais possíveis de sociedade sem Estado do futuro (na melhor das hipóteses),ou sociedades com uma burocracia regulada e controlada por instituições civis de trabalhadores, ou mesmo de "democracia participativa" exercida pela via não-estatal num futuro próximo previsível”.
Fonte: BRAGA, Sérgio. Poder, formas de dominação e Estado no diálogo entre Nicos Poulantzas e a sociologia política norte-americana. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 5, p. 109-137, 2011.
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina, examine as assertivas abaixo acerca das correntes marxista e corporativista em Política Comparada, e assinale a alternativa que faz uma análise correta.
I. As pesquisas comparadas que utilizam a abordagem marxista costumam analisar o conflito de classes, para verificar as diferenças entre os sistemas políticos.
II. O corporativismo destaca o papel central das interações, mediações entre a sociedade, o Estado e o governo, com foco no papel dos interesses sociais na influência de políticas públicas. 
III. O corporativismo é um sistema de representação de interesses que são reconhecidos pelo Estado e que disputam por políticas.
Nota: 10.0
	
	A
	Apenas as assertivas I e II estão corretas.
	
	B
	Apenas as assertivas II e III estão corretas.
	
	C
	Todas as assertivas estão corretas.
Você acertou!
Todas as assertivas estão corretas. As pesquisas comparadas que utilizam a abordagem marxista costumam analisar o conflito de classes, para verificar as diferenças entre os sistemas políticos. As análises marxistas costumam oferecer predições empíricas sobre as diferenças entre sistemas e postulam um padrão de desenvolvimento por meio da revolução e ditadura do proletariado. Já o corporativismo destaca o papel central das interações, mediações entre a sociedade, o Estado e o governo, com foco no papel dos interesses sociais na influência de políticas públicas. O corporativismo é um sistema de representação de interesses que são reconhecidos pelo Estado e que disputam por políticas, sendo ele um sistema, ao mesmo tempo, de formulação de políticas e de intermediação de interesses.
FONTE: Material para impressão (aula 4, p. 7).
	
	D
	Apenas a assertiva I está correta.
	
	E
	Apenas a assertiva II está correta.