A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Relação escola e sociedade

Pré-visualização | Página 1 de 4

Educar em Revista
ISSN: 0104-4060
educar@ufpr.br
Universidade Federal do Paraná
Brasil
Bezerra, Zedeki Fiel; Sena, Fernanda Alves; Dantas, Osmarina Maria dos Santos; Cavalcante, Alden
Rodrigues; Nakayama, Luiza; Santana, André Ribeiro de
Comunidade e escola: reflexões sobre uma integração necessária
Educar em Revista, núm. 37, mayo-agosto, 2010, pp. 279-291
Universidade Federal do Paraná
Paraná, Brasil
Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=155015821016
 Como citar este artigo
 Número completo
 Mais artigos
 Home da revista no Redalyc
Sistema de Informação Científica
Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal
Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto
http://www.redalyc.org/revista.oa?id=1550
http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=155015821016
http://www.redalyc.org/comocitar.oa?id=155015821016
http://www.redalyc.org/fasciculo.oa?id=1550&numero=15821
http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=155015821016
http://www.redalyc.org/revista.oa?id=1550
http://www.redalyc.org
Educar, Curitiba, n. 37, p. 279-291, maio/ago. 2010. Editora UFPR 279
Comunidade e escola: reflexões sobre uma 
integração necessária
The school and the comumnity: reflections 
about a necessary integration
Zedeki Fiel Bezerra1
Fernanda Alves Sena2
Osmarina Maria dos Santos Dantas3
Alden Rodrigues Cavalcante4
Luiza Nakayama5
1 Especialista em História da Amazônia pela Universidade da Amazônia (UNAMA). 
Professor da Secretaria de Educação do Pará (SEDUC/PA). Integrante do Grupo de Pesquisas e 
Estudos em Educação Ambiental (GPEEA)-Sala Verde Pororoca-Núcleo Pedagógico de Apoio ao 
Desenvolvimento Científico (NPADC) da Universidade Federal do Pará, Brasil. E-mail: zedeki@
ig.com.br.
2 Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Pará, Brasil. Integrante do Grupo 
de Pesquisas e Estudos em Educação Ambiental (GPEEA)-Sala Verde Pororoca-Núcleo Pedagógico 
de Apoio ao Desenvolvimento Científico (NPADC) da Universidade Federal do Pará, Brasil. E-mail: 
fasena1@hotmail.com.
3 Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas pelo Programa de Pós-Graduação 
em Educação em Ciências e Matemáticas (PPGECM), Núcleo Pedagógico de Apoio ao Desen-
volvimento Científico (NPADC) da Universidade Federal do Pará, Brasil. Integrante do Grupo de 
Pesquisas e Estudos em Educação Ambiental (GPEEA)-Sala Verde Pororoca-Núcleo Pedagógico de 
Apoio ao Desenvolvimento Científico (NPADC) da Universidade Federal do Pará, Brasil. E-mail: 
osmarinamaria@yahoo.com.br.
4 Licenciado Pleno em História e Bacharel em Psicologia – Faculdades Integradas do 
Colégio Moderno (Ficom). Professor da Secretaria de Educação do Pará (SEDUC/PA). Integrante 
do Grupo de Pesquisas e Estudos em Educação Ambiental (GPEEA)-Sala Verde Pororoca-Núcleo 
Pedagógico de Apoio ao Desenvolvimento Científico (NPADC) da Universidade Federal do Pará, 
Brasil. E-mail: cavalcantealden@yahoo.com.br.
5 Doutora em Genética Bioquímica e Molecular, Núcleo Pedagógico de Apoio ao Desen-
volvimento Científico (NPADC) da Universidade Federal do Pará, Brasil. Professora do Programa 
de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas (PPGECM), Núcleo Pedagógico de 
Apoio ao Desenvolvimento Científico (NPADC) da Universidade Federal do Pará, Brasil. Coorde-
nadora do Grupo de Pesquisas e Estudos em Educação Ambiental/Sala Verde Pororoca e professo-
ra orientadora no Projeto Clube de Ciência da Universidade Federal do Pará (CCIUFPA), Brasil. 
E-mail: lunaka@ufpa.br, sverdepororoca@ufpa.br.
BEZERRA, Z. F. et al. Comunidade e escola ...
Educar, Curitiba, n. 37, p. 279-291, maio/ago. 2010. Editora UFPR280
André Ribeiro de Santana6
RESUMO
Este estudo apresenta reflexões acerca do estabelecimento de parceria 
entre a escola e a sua comunidade. Com o objetivo de avaliar essa par-
ceria, efetivamos pesquisas em uma escola pública e outra conveniada, 
utilizando questionários e entrevistas. As respostas dos alunos e mem-
bros da comunidade evidenciaram diferenças de posicionamentos. Por 
exemplo: na escola pública houve queixas de ausência de interações o 
que resultou em sentimentos de não pertencimento e indiferença; já na 
escola conveniada a comunidade sente-se responsável pela escola, graças 
principalmente às oportunidades de interações estabelecidas. Concluímos 
que a comunidade reconhece a importância de se envolver nas ações es-
colares, cabendo a escola viabilizar esse acesso, estruturando um ensino 
efetivamente significativo.
Palavras-chave: escola; comunidade; educação; parceria.
ABSTRACT
This study presents reflections regarding the establishment of a partnership 
between the school and its community. With the objective of evaluating 
such partnership, researches were carried out in a public school and other 
in agreement, using questionnaires and interviews. The answers from 
the students and community members indicated different positions. For 
example: in the public school there were complains about the absence of 
interaction which led to a sensation of not belonging and indifference. On 
the other hand, in the university partnership school the community feels 
responsible for the school, thanks mainly to the possibilities of interaction 
that have been established. We have reached the conclusion that the com-
munity recognizes the importance of becoming involved in school actions, 
being school’s responsibility to provide such access, by structuralizing an 
effectively significant teaching.
Keywords: school; community; education; partnership.
6 Mestre em Educação em Ciências e Matemáticas pelo Núcleo Pedagógico de Apoio 
ao Desenvolvimento Científico (NPADC) da Universidade Federal do Pará, Brasil, professor da 
Secretaria de Educação do Pará (SEDUC/PA), membro do Grupo de Pesquisas e Estudos em Edu-
cação Ambiental (GPEEA)/Sala Verde Pororoca, Brasil. E-mail: mestredeo@yahoo.com.br.
BEZERRA, Z. F. et al. Comunidade e escola ...
Educar, Curitiba, n. 37, p. 279-291, maio/ago. 2010. Editora UFPR 281
Introdução
A escola pública tem como compromisso oportunizar condições para sua 
clientela construir conhecimentos, atitudes e valores, contribuindo na formação 
de cidadãos críticos, éticos e participativos nos contextos que integram (BRA-
SIL, 2004). No entanto, que requer superação de obstáculos, pois segundo 
Atié (1999, p. 3), em sua análise sobre a escola pública: “Hoje, o desafio que 
se coloca diante da escola é fornecer educação e informação para toda a vida... 
ela precisa romper seus muros e estar plenamente inserida no seu tempo e na 
comunidade a qual pertence.”
Ações escolares devem ser consolidadas em um contexto participativo, 
integrador de todos seus segmentos, sincronizadas com o contexto atual, que 
requer uma política educacional capaz de contribuir na condução do país ao 
pleno desenvolvimento, em conformidade com os princípios democráticos em 
evolução.
Mais de vinte anos se passaram desde o término da ditadura militar, e o 
povo brasileiro vem reconquistando sua atuação nas decisões políticas, portanto, 
a escola deve investir em projetos político-pedagógicos que contribuam com a 
ação cidadã consciente e responsável. Esse pressuposto é reforçado por Freire 
(2005, p. 79), o qual enfatiza que contextos não são imutáveis.
Não se trata obviamente de impor à população espoliada e sofrida que se 
rebele, que se mobilize, que se organize para defender-se, vale dizer, para 
mudar o mundo. Trata-se na verdade – não importa se trabalhamos com 
alfabetização, com saúde, com evangelização ou com todas elas –, de, 
simultaneamente com o trabalho específico de cada um desses campos, 
desafiar os grupos populares para que percebam, em termos críticos a 
violência e a profunda injustiça que caracterizam a sua situação concreta. 
Mais ainda, que sua situação concreta não é destino certo ou vontade de 
Deus, algo que não pode ser mudado.
Certamente a escola, nicho tradicional de socialização de conhecimentos 
(NOGUEIRA, 1999) é espaço privilegiado

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.