A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
40 pág.
O PRINCÍPIO DA VULNERABILIDADE DO CONSUMIDOR COMO REMÉDIO PARA AS CLÁUSULAS ABUSIVAS NOS CONTRATOS DE ADESÃO

Pré-visualização | Página 1 de 10

UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP 
INSTITUTO DE CIÊNCIAS JURIDICAS - ICJ 
CURSO DE DIREITO 
 
 
 
 
FERNANDA UCHOA BIZERRA 
 
 
 
 
 
 O PRINCÍPIO DA VULNERABILIDADE DO CONSUMIDOR COMO REMÉDIO 
PARA AS CLÁUSULAS ABUSIVAS NOS CONTRATOS DE ADESÃO 
 
 
 
 
 
 
 
MANAUS 
2019 
 
 
FERNANDA UCHOA BIZERRA 
 
 
 
 
 
 
 
O PRINCÍPIO DA VULNERABILIDADE DO CONSUMIDOR COMO REMÉDIO 
PARA AS CLÁUSULAS ABUSIVAS NOS CONTRATOS DE ADESÃO 
 
 
 
Trabalho de conclusão de curso para obtenção 
do título de graduação em Bacharel em Direito, 
apresentando à UNIP. 
Orientador (a) Professor Mestre Douglas 
Abreu. 
 
 
 
 
 
 
 
Manaus 
2019 
 
 
FERNANDA UCHOA BIZERRA 
 
 
 
 
 
 
O PRINCÍPIO DA VULNERABILIDADE DO CONSUMIDOR COMO REMÉDIO 
PARA AS CLÁUSULAS ABUSIVAS NOS CONTRATOS DE ADESÃO 
 
 
Trabalho de conclusão de curso para obtenção 
do título de graduação em Bacharel em Direito, 
apresentando à UNIP. 
 
Aprovado em ____/____/____ 
 
____________________________________________________ 
Professor Mestre Douglas Abreu – Orientador (a) 
Universidade Paulista 
 
____________________________________________________ 
1º Membro da Banca UNIP 
Universidade Paulista 
 
____________________________________________________ 
2º Membro da Banca UNIP 
Universidade Paulista 
 
 
 
AGRADECIMENTOS 
 
Agradeço primeiramente a Deus pai, todo poderoso, por ter me concedido a 
vida, saúde e a possibilidade de cursar o tão sonhado Curso de Direito. 
À minha querida Mãe, Tatyana Rodrigues Uchoa, por ser uma mulher 
guerreira, perseverante e sensível, que sempre deu sua vida em prol da criação de 
seus filhos; 
Ao meu querido Pai, Francisco Neilson Bizerra, por se meu maior exemplo de 
vida e ter me ensinado a ser batalhadora, a ter coragem e a ser uma Mulher 
honesta, ao qual tenho gratidão eterna que não cabem em palavras. 
Ao meu irmão, Neilson Edgar Uchoa Bizerra, que sempre foi meu 
companheiro, camarada. 
 E por fim, ao meu Ilustre Professor e Orientador, Douglas Abreu, por ter me 
repassado conhecimento ao longo da jornada acadêmica e, principalmente, por me 
direcionar na confecção deste trabalho. 
 
 
 
 
 
RESUMO 
 
O Direito acompanha a evolução da sociedade, e neste contexto surge o contrato de 
adesão, que visa suprir as necessidades de contratação em massa de produtos e/ou 
serviços. Devido à forma de como se dá essa contratação, surge um problema que 
prejudica os consumidores, uma vez que o fornecedor, que é quem elabora o 
contrato de adesão, tem a prerrogativa de estabelecer as normas de como será 
disposta tal relação, e com isso tem a oportunidade de inserir termos que o 
beneficie, mas que prejudique a parte vulnerável. Nessa linha de pensamento, a Lei 
nº 8.078 de 1990 busca regular as relações contratuais por adesão, além de 
proteger a parte vulnerável da relação, sempre procurando impor a boa-fé como 
fonte de tais relações. 
Palavras-chave: Contrato de Adesão. Cláusula Abusiva. Boa-fé. Código de Defesa 
do Consumidor. Vulnerabilidade. 
 
 
 
ABSTRACT 
The Law accompanies the evolution of society, and in this context the contract of 
adhesion arises, which aims to meet the needs of mass contracting of products and / 
or services. Due to the way this hiring takes place, a problem arises that harms 
consumers, since the supplier, who is the one who draws up the contract of 
adhesion, has the prerogative to establish the norms of how such a relationship will 
be arranged, and with that you have the opportunity to insert terms that benefit you, 
but that will harm the vulnerable party. In this line of thought, Law No. 8,078 of 1990 
seeks to regulate contractual relations by adhesion, in addition to protecting the 
vulnerable part of the relationship, always seeking to impose good faith as the source 
of such relations. 
KeyWords: Adhesion contract. Abusive Clause. Good faith. Code of Consumer 
Protection. Vulnerability. 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
1. INTRODUÇÃO ...............................................................................................................................8 
2. BREVE RELADO ACERCA DOS CONTRATOS CONSUMERISTAS EM GERAL ....... 10 
3. CONTRATOS DE ADESÃO.........................................................................................................16 
3.1 Contratos de Adesão sob a ótica do Código de Defesa do Consumidor ......... 18 
3.1.1 Princípio da Transparência ....................................................................................... 21 
4. CLÁUSULAS ABUSIVAS INCOMPATÍVEIS COM A BOA-FÉ NOS CONTRATOS DE 
ADESÃO .............................................................................................................................................25 
4.1. Da Cláusula abusiva incompatível com a boa-fé na Lei 8.078 de 1990 .................. 25 
4.2. Cláusulas Abusivas que ferem a boa-fé no contrato de Adesão ............................ 29 
4.3. Contrato de Adesão e o princípio da Vulnerabilidade do Consumidor ................. 32 
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS ......................................................................................................... 37 
REFERÊNCIAS .................................................................................................................................. 38 
 
 
 
 
8 
 
1. INTRODUÇÃO 
 
Este trabalho tem como objetivo demonstrar a aplicação dos institutos 
estabelecidos no Código de Defesa do Consumidor nas relações contratuais por 
adesão, explorando os princípios e normas estabelecidas por tal Códex. 
A importância dessas relações se dá pela incessante contratação por adesão, 
e pela cultura brasileira em manter-se inerte quando se trata de conhecer seus 
direitos, além do monopólio do poder de produção e escolha do fornecedor, o que 
torna vulnerável os consumidores e necessário a uma proteção legislativa e ampla 
para eles. 
Será explorado neste trabalho a supremacia do instituto da boa-fé nas 
relações contratuais pelo contrato de adesão, e como sua aplicação é indiscutível 
quando se fala de promover a equidade entre as partes pactuantes, pois o alicerce 
das relações contratuais nasce do Princípio da boa-fé, e nesse contexto, será 
abordado a boa-fé objetiva. 
Também será apontado como fator necessário ao negócio jurídico perfeito o 
princípio da função social do contrato e como sua aplicação é necessária, não 
somente ao interesse particular, mas de forma coletiva. 
Abordar-se-á o fundamento dos contratos de adesão, e a preocupação do 
legislador consumerista em evitar que tal espécie contratual ocorra de forma abusiva 
ao consumidor, fazendo referência ao Princípio da Transparência, uma vez que ele é 
a parte frágil da relação contratual consumerista. 
As cláusulas abusivas que ferirem a boa-fé serão abordadas para sob a ótica 
do Código de Defesa do Consumidor, sempre em parâmetro com o Contrato de 
Adesão. 
O princípio da Vulnerabilidade do Consumidor será apontado como remédio 
contra a imposição das Cláusulas Abusivas, sob análise de sua importância e 
amparo legal. 
A análise desse tema possui importante relevância no âmbito jurídico-social, 
pois a prática desse instituto pelos consumidores brasileiros é numerosa e rotineira, 
devido a sua busca por adquirir produtos, e somente o podem fazê-lo através do 
contrato de adesão. 
9 
 
Ademais, serão apontados referência doutrinárias, julgados e normas 
jurídicas sobre o tema discutido, buscando firmar a tese de que o consumidor é a 
parte vulnerável e precisa ser protegida dos absurdos maldosos do fornecedor 
ambicioso e ganancioso. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
10 
 
2. BREVE RELADO ACERCA DOS CONTRATOS CONSUMERISTAS EM 
GERAL 
 
As relações de consumo são cristalinas no cotidiano das pessoas em geral, 
uma vez que o ser humano está constantemente consumindo produtos e/ou 
serviços. 
Devido a esse ritmo de consumo,