A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
305 pág.
Conhecimentos Técnicos - Bianch

Pré-visualização | Página 4 de 50

da aeronave (asas, empenagem, 
trem de pouso, sistemas, etc.), além de alocar a cabine de comando e o compartimento 
para passageiros e cargas. É também na fuselagem que o motor é fixado, no caso dos 
aviões monomotores. 
Os três principais tipos de estrutura da fuselagem são: tubular ou treliça, 
monocoque e semim onocoque . 
 
Tubular ou treUça: este tipo de estrutura é 
empregado na construção de aviões leves e de pequeno 
porto, ele é geralmente formado por tubos de aço 
soldados entre si, desta forma distribui-se os esforços 
sofridos pela estrutura. Este tipo de fuselagem é 
comumente revestido por uma tela. 
 
 
 
Monocoque: este tipo de estrutura é constituído 
basicamente de cavernas e do revestimento. Como este 
tipo de fuselagem não possui longarinas e reforçadores, 
a maior parte dos esforços estruturais é absorvido pelo 
revestimento, logo, este deve ser bastante resistente 
para suportar tais esforços. Um dos grandes problemas da 
estrutura monocoque é que o material do revestimento 
deve ser muito resistente, o que na maioria das vezes 
resulta num elevado peso da estrutura. 
 
revestimento 
 7 
Empenagem 
Conhecimentos Técnicos (Aviões) - Denis Bianchini 
 
Semimonocoque: este tipo de 
fuselagem derivada da estrutura monocoque, 
porém, há a presença de longarinas e 
reforçadores ao longo da fuselagem, permitindo 
uma melhor distribuição dos esforços sofridos 
pela est rut ur a. Atualmente este é o tipo de 
fuselagem mais utilizado nas construções dos 
aviões. 
 
 
caverna 
 
 
 
Empenagem 
Chamada coloquialmente de "cauda" a empenagem é constituída pelo 
estabilizador ve rtic al, o estab ilizad or horizontal e as respectivas superfícies de 
comando. A principal função dos aerofólios quie compõem a empenagem é manter a 
estabilidade e controlabilidade do voo. Há diversos formatos de empenagem, veja. 
 
-1 
 
/ · 
convencional em forma de V em forma de T 
 
 
 
Estabilizador horizontal: esta 
superfície tem a função de manter a 
controlabilidade e estabilidade longitudinal do 
avião. Esta est rut ur a é basicamente composta 
pelo estabilizador horizont al, profundar e 
compensador. Na maioria dos aviões a estrutura 
do estabilizador horizontal é fixa, sendo móvel 
apenas o profundar e o compensador, poré m, 
em alguns aviões (Seneca PA-34, por exemplo) 
toda a estrutura é móvel. 
 
Estabilizador vertical: esta supe rfície 
tem a função de manter a controlabilidade e 
estabilidade direcional do avião. Esta estrutura 
é basicamente composta pelo estabilizador 
vertical, leme e compe nsador. O estabilizador 
vertical é fixo, sendo móvel apenas o leme e o 
compensador. 
 
 
 
 
 
 
 
 
estabilizador 
horizontal 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
estabilizador 
127 
-E 
-E 
2 8 1 A estrutura dos aviões 
Conhecim entos Técnicos (Aviões) - Edi t or a Bia nch 
 
 
Superficies de comandos 
Neste capítulo abordaremos apenas os aspectos básicos das superfícies de 
comandos, como divisão e localização, e no próximo capítulo analisaremos os controles 
de voo de forma mais aprofundada e abrangente. 
As superfícies de comandos são responsáveis pelo controle dos movimentos do 
avião em voo, e são divididas em: superfícies primárias e superfícies secundárias. 
Basicamente as superfícies primárias são as responsáveis pelo controle efetivo 
dos movimentos da aeronave em voo, enquanto as superfícies secundárias auxiliam 
na diminuição das forças empregadas pelo piloto ao efetuar um movimento com a 
aeronave. Veja abaixo a divisão das superfícies de comandos. 
 
ailerons 
- superfícies primárias profundor 
leme 
 
compensador dos ailerons 
- superfícies secundárias compensador do profundor 
compensador do leme 
 
 
A figura abaixo exibe os três eixos sobre os quais o avião se movimenta, além 
das superfícies de comandos. 
 
 
 
 
 
 
- -
[
u
l _ 
eixo longitudinal 
 
 
 
 
 
 
 
 
Dispositivos hipersustentadores 
Os dispositivos hipersustentadores têm a finalidade de aumentar a sustentação 
produzida pela asa. O uso destes dispositivos é praticamente indispensável durante as 
operações de pouso e decolagem, uma vez que eles permitem a operação da aeronave 
' '' '
 
' 
'° ._.__ _aileron 
, ''0 ,;xo /otecol 
--compensador do aileron 
plano ou comum split flap ou ventral slotted flap fowler 
Dispositivos hipersustentadores 
Conhecimentos Técnicos (Aviões) - Denis Bianchini 
 
com uma velocidade reduzida, o que é primordial nestas duas etapas do voo. Os 
dispositivos hipersustentadores mais utilizados são os flaps e os slats. 
 
 
Flap 
 
 
 
O f\ap é o dispositivo hipersustentador mais 
comum e está presente em praticamente todas 
as aeronaves, desde as mais simples até as mais 
modernas e sofisticadas, variando apenas o tipo de 
f\ap utilizado por cada aeronave. 
Localizados no bordo de fuga da asa, 
os flaps possuem a função básica de aumentar a 
sustentação, o que também acaba gerando mais 
arrasto . Esse aumento de sustentação é obtido com 
a alteração da curvatura do aerofólio, o aumento do ângulo de ataque e, em alguns 
tipos de flaps, com o aumento da área da asa. 
O controle de acionamento do flap pode ser mecânico, hidráulico ou elétrico. 
O modo de acionamento irá variar de acordo com o tamanho e a complexidade da 
aeronave. Abaixo os tipos mais comuns de flap. 
 
 
ou com fenda ' 
 
 
 
 
Slot 
 
Enquanto o flap atua exclusivamente 
no bordo de fuga, o slot é um dispos"itivo 
hipersustentador que irá atuar no bordo de ataque 
da asa. A lógica do slot é a seguinte, ele gerará 
uma fenda no bordo de ataque que permiti r á a 
passagem dos filetes de ar para o extradorso, 
dando mais energia aquela região e retardando o 
turbilhonamento. O seu uso ocorre geralmente em 
ângulos de ataque elevados e em operações de 
baixa velocidade, como o pouso e a decolagem. 
Os tipos mais comum de slots são: 
 
 
 
slots fixos slats móveis leading edge flaps 
\ 
129 
3 O I A estrutura dos aviões 
Conh ecimentos Técnicos (Aviões) - Edit o ra Bianch 
 
 
Spoiler 
Ao contrário do flap e do slot que 
são dispositivos cuja função é aumentar a 
sustentação, o spoiler têm a função de aumentar 
o arrasto. O spoiler é um dispositivo instalado 
no extradorso da asa, que é aberto/fechado 
automaticamente ou manualmente pelo piloto. 
Ao ser aberto, o spoiler reduz a sustentação e 
aumenta o arrasto em determinado ponto da 
asa. O spoiler também auxilia no movimento 
de rolagem da aeronave, ajudando o aileron, 
e eliminado o efeito da guinada adversa. 
Durante o pouso o spoiler é completamente aberto para que se produza 
máximo arrasto e o peso da aeronave seja parcialmente transferido para o trem de 
pouso, aumentando a eficiência dos freios. Em aeronaves a jato a atuação do spoiler é 
essencial durante o pouso, pois ele "segura" a aeronave no solo. 
O spoiler ou speedbrake - como também é chamado - é mais comum em 
aeronaves a jato e em planadores, sendo raramente instalado em aeronave de pequeno 
porte a pistão. 
 
 
 
3 
 
CONTROLES.DE VOO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
N este capítulo analisaremos de forma detalhada os componentes, os 
mecanismos de acionamento e o funcionament o dos controles de voo de um avião. 
Iremos nos ater aos sistemas de controles de voo de um avião de pequeno porte, citando 
apenas algumas características dos mecanismos das aeronaves mais modernas. 
O sistema de controle ou comandos de voo é dividido em dois, o primário e o 
secundário. Basicamente o sistema primário é o responsável pelo controle efetivo dos 
movimentos da aeronave em voo, enquanto o sistema secundário auxilia na performance 
do voo e na diminuição das forças empregadas pelo piloto ao efetuar um movimento 
com a aeronave. 
 
 
 
 
 
Controles primários de voo 
Uma aeronave realiza movimentos em voo sobre três eixos: vertical, lateral 
e longitudinal. O movimento