A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
TEORIA GERAL DA PROVA

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO PROCESSUAL PENAL II
Profª Lúcia Merlin
SEMANA 02 – NR 01 – 1º CICLO DE ESTUDOS
TEORIA GERAL DA PROVA
PROVA NO PROCESSO PENAL
Demonstração, no processo, da existência ou 
inexistência de um fato, a falsidade ou a veracidade 
de uma afirmação.
Aquilo que autoriza a afirmar ou negar determinada 
suposição.
OBJETO DA PROVA
 Todos os fatos, acontecimentos, coisas e circunstâncias 
relevantes e úteis para formar a convicção do julgador acerca do 
ocorrido, a fim de que se possa dar solução à lide penal.
MEIOS DE PROVA
Tudo o que, direta ou indiretamente, seja útil na 
apuração da verdade real.
Provas nominadas e inominadas.
PRINCÍPIOS 
1. Inadmissibilidade de provas obtidas por meio 
ilícito
(Art. 5º, LVI CF e Art. 157 CPP) 
 São inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por 
meios ilícitos.
Prova ilícita é a obtida em violação às normas 
constitucionais ou infraconstitucionais.
Prova ilícita por derivação
Teoria dos frutos da árvore envenenada (Fruits of 
poisonous tree) – mesmo a prova lícita, que tenha sido 
obtida por intermédio de ação ilícita, também deve ser 
considerada ilícita.
Para que haja ilicitude deve haver inequívoco nexo de 
causalidade entre ela e a ação ilegal.
Não será considerada ilícita a prova obtida por meio 
de fonte independente (art. 157, § 1º CPP).
Lei 9296/96 – Interceptação telefônica.
OUTRAS TEORIAS SOBRE POSSIVEL UTILIZAÇÃO DA 
PROVA ILÍCITA
✔ Teoria ou Exceção da Fonte Independente – 1960;
✔ Teoria da Limitação da Descoberta Inevitável – art. 157, § 2º 
CPP – 1984;
✔ Teoria do Nexo Causal Atenuado ou Tinta diluída ou Mancha 
Purgada – 1963 – art. 157, § 1º CPP;
✔ Teoria do Encontro Fortuito
2. Princípio da Comunhão da Prova
3. Princípio da relativização da prova
SISTEMAS DE VALORAÇÃO DA PROVA
✔ Sistema da íntima convicção ou da certeza moral do 
juiz;
✔ Sistema de regras legais, certeza moral do legislador ou 
da prova tarifada;
✔ Sistema da livre convicção do juiz ou persuasão 
racional (art. 155 CPP);
CLASSIFICAÇÃO DA PROVA
1. Qto ao objeto:
✔ Direta – refere ao fato probando;
✔ Indireta – não se refere ao fato – construção lógica.
2. Qto ao sujeito:
✔ Pessoal – afirmativa emana da pessoa;
✔ Real – origina-se dos vestígios deixados pelo crime.
3. Qto à forma:
✔ Testemunhal – indivíduo chamado a depor sobre existência, natureza e 
características do fato;
✔ Documental – produzida por afirmação gravada ou escrita;
✔ Material – qualquer materialidade que sirva como elemento de 
convicção.
4. Qto ao valor: 
✔Plena - convincente;
✔Indiciária - juízo de probabilidade.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.