Buscar

Peróxido de o hidrogenio

Prévia do material em texto

z
Peróxido
de 
Hidrogênio
z COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE 
OS INGREDIENTES:
 Nome químico: Peróxido de hidrogênio 
 Sinônimos: Água oxigenada, dióxido 
de hidrogênio
 Fórmula química: H2O2
 Natureza química: Peróxido 
 Peso molecular: 34,0 g/mol
 Número CAS (NÚMERO DE 
REGISTRO): 7722-84-1 
 Estado físico: Líquido
 Cor: Incolor.
 Odor: Característico
 pH: Ácido.
 Solubilidade: Solúvel em água e 
solventes orgânicos polares
 Saúde: 2;
 Inflamabilidade: 0;
 Reatividade: 1;
z
 As ligações entre as moléculas de peróxido de hidrogênio são fracas e, por 
este motivo, a substância é bastante instável. Quando perturbada, 
decompõe-se rapidamente em água (H2O) e oxigênio (O2), de acordo com a 
seguinte reação:
 Quando a substância é transformada em água e oxigênio pela catalase, 
acaba matando bactérias e vírus anaeróbicos, adquirindo a função de 
“desinfetante oxidante”.
2 H2O2 ————-à 2 H2O + O2
COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE OS 
INGREDIENTES:
z TOXICIDADE:
 Baixa toxicidade uma vez que é degradado em água e oxigênio.
 CUIDADOS NO USO: 
 O artigo a ser esterilizado necessita de limpeza prévia;
 o produto é corrosivo, portanto necessita de cuidados no manuseio;
 a solução deve ser utilizada logo após sua preparação e armazenada 
protegendo-a da luz;
 não deve ser usada em artigos de cobre, zinco, alumínio e bronze.
z MECANISMO DE AÇÃO
 Oxidação dos grupos sulfidrilo ;
 Duplas ligações dos enzimas das 
bactérias, provocando uma modificação na 
estrutura das proteínas que formam essas 
enzimas, com a perda da sua função e, 
consequentemente, a morte celular; 
 Baseia-se em vulnerabilizar as estruturas 
de proteção destas formas microscópicas;
 Alterar a estrutura das paredes celulares 
ou das cápsides permite aceder ao interior 
destes organismos, para que o peróxido 
prossiga com o seu poder oxidante perante 
outras estruturas como o ADN;
 Alguns microrganismos aeróbios são 
capazes de produzir catalase ou 
superóxido dismutase, assim eles se 
protegem da atividade microbicida 
transformando o peróxido de hidrogênio em 
oxigênio e água.
z APLICAÇÃO
 Apresentam forte ação oxidante devido à 
liberação de oxigênio, que possui atividade 
sobre microrganismos Gram-positivos e 
Gram-negativos;
 Na indústria de alimentos é usado como 
sanitizante quando se encontra nas 
concentrações entre 0,3% e 6%, pH 4,0, e 
desde a temperatura ambiente até 80°C, 
durante 5 a 20 minutos de contato.;
 O uso principal de peróxido de hidrogênio 
na indústria de alimentos é na 
esterilização de embalagens de produtos 
envasado assepticamente. Nessa última 
aplicação, as soluções contêm cerca de 
30% do princípio ativo, 
 Comercialmente, encontram-se soluções 
aquosas de peróxido de hidrogênio 
contendo cerca de 6%, 12% ou 30% de 
peróxido de hidrogênio, denominadas 20V, 
40V e 100V (volumes), respectivamente;
 O peróxido de hidrogénio é muito eficiente 
para a desincrustação, limpeza e 
manutenção desta, em sistemas de 
condução e distribuição de água.
z
APLICAÇÃO
 É muito importante combater estes pontos 
dado que é aqui que se dá a multiplicação 
de agentes patogénicos que, escondidos 
neste biofilme, não reagem com os 
desinfetantes habituais, e podem reinfectar
a água que fornecemos aos animais;
 Este efeito de limpeza é tanto mais intenso 
que nas instalações onde se aplica, 
inicialmente podem haver problemas de 
obstrução de bebedouros e pontos de 
saída de água devido à acumulação de 
materiais sólidos arrastados pelo efeito de 
limpeza do peróxido de hidrogênio;
 Ademais, pode ser utilizado como opção 
para esterilização de materiais termo-
sensíveis. 
 Indicado na desinfecção de nebulizadores 
o que é feito através de nebulização de 
peróxido de hidrogênio a 7,5% por 30 
minutos;
 É também utilizado para desinfecção de 
materiais contaminados pelo HIV, a uma 
concentração de 6%, numa imersão por 15 
a 30 minutos.
z
Quadro comparativo entre peróxido de 
hidrogênio e compostos clorados
Peróxido de 
hidrogénio
Compostos 
clorados
Homogeneidade na distribuição 
do produto
Alta
De média a 
baixa
Possibilidade de medição
Sim Sim
Sobre dosagem
Inócuo Nocivo
Odor da dose aplicada
Inodoro Sim
Depósitos de calcário
Diminuem Aumentam
Atividade na presença de 
matéria orgânica Boa Boa
Carcinogenicidade
Nula Alta
Cinética de atuação Muito rápida Lenta
Peróxido de 
hidrogénio
Composto
s clorados
z
MICRORGANISMOS:
 O peróxido de hidrogênio atua através da 
oxidação de componentes vitais ao 
metabolismo microbiano;
 É um produto com um grande poder 
oxidante, o que o torna muito reativo 
perante a matéria orgânica e lhe confere 
um amplo raio de ação perante os 
microrganismos: tem bom poder 
bactericida, virucida e também esporicida; 
 Possui atividade tanto sobre 
microrganismos Gram positivos quanto 
Gram negativos, especialmente sobre 
esporos bacterianos. Ademais, os 
microrganismos anaeróbios são mais 
sensíveis à ação deste produto, uma vez 
que não são capazes de sintetizar a 
catalase, um enzima que pode decompor o 
peróxido;
 Este grande poder oxidante garante uma 
rápida velocidade de ação, ainda que seja 
necessário, devido a esta mesma 
característica, que na sua formulação se 
juntem produtos que o estabilizem, como o 
ácido peracético.
z
z
Ficha técnica 
 PROXITANE ALFA favorece a retirada de 
resíduos orgânicos de superfícies, inibe a 
criação de formas resistentes de 
microrganismos e oxida componentes 
indispensáveis à sua sobrevivência, 
dispensando, assim, o rodízio de sanitizante;
 Vantagens: é esporicida, não é inativado por 
matéria orgânica, não é inflamável e não 
degrada materiais sintéticos (PVC, plásticos, 
acrílicos, tintas, etc.), sendo um substituto 
ideal para o álcool na desinfecção de 
ambientes e equipamentos nas áreas 
farmacêutica, hospitalar, veterinária, 
odontológica, cosmética e em laboratórios;
 Solução equilibrada de ácido peracético, 
peróxido de hidrogênio e água. É 
ambientalmente compatível e sua utilização 
não gera resíduos tóxicos, restando apenas 
oxigênio e água após sua decomposição.
z
z
z Referências 
 ANDRADE, Nélio José de. Controle da Higienização na Indústria de Alimentos: Agentes Químicos. In: ANDRADE, Nélio 
José de. Higiene na indústria de alimentos: Avaliação e controle da adesão e formação de biofilmes bacterianos. Viçosa: 
Livraria Varela e Revista Higiene Alimentar, 2008. Cap. 4. p. 206-214.
 ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE ESTUDOS E CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (APECIH). Esterilização de Artigos 
em Unidades de Saúde. São Paulo, 1998.
 COSTA, A.O.; CRUZ, E.A.; GALVÃO, M.S.S.; MASSA, N.G. Esterilização e desinfecção: Fundamentos básicos, processos 
e controles. São Paulo. Cortez, 1990.
 DOMINGUES, Prof. Paulo Francisco. Higiene Zootécnica. [20-]. Disponível em: <http:// 
www.fmvz.unesp.br/paulodomingues/graduacao/aula5-texto.pdf>. Acesso em: 05 abr. 2018.
 MATTOS, Ivanildo Luiz de et al. Peróxido de Hidrogênio: Importância e determinação. 2003. Disponível em: 
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-404220030 00300015>. Acesso em: 05 abr. 2018.
 ROMANO, Juliana Capellazzo; QUELHAS, Maria Cristina Ferreira. ESTERILIZAÇÃO POR PERÓXIDO DE 
HIDROGÊNIO.1998. Disponível em: <http://www.hospvirt.org.br/enfermagem/ port/perox.html>. Acesso em: 05 abr. 2018.
 VILAMAJÓ, Marc. O peróxido de hidrogénio na desinfecção e a manutenção da higiene nas instalações de água das 
explorações. 2008. Disponível em: <https://www.3tres3. com.pt/artigos/o-peroxido-de-hidrogenio-na-desinfeccão-e-a-
manutencão-da-higiene-nas_801/>. Acesso em: 05 abr. 2018.
z
OBRIGADO

Continue navegando

Outros materiais