A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Necrose e Apoptose

Pré-visualização | Página 1 de 3

NECROSE E APOPTOSE – LARISSA LESLYE 
→ A célula está inserida em um ambiente social, ela está o tempo todo 
respondendo a estímulos internos e externos. E ela está sujeita a 
modificações no ambiente fisiológico como a instalação de processos 
patológicos. 
→ Nesse cenário ela pode conseguir se modificar (hipertrofia, hiperplasia, 
metaplasia, atrofia) e se adaptar a esse meio, e se ela não conseguir se 
adaptar ela vai ser lesada, pode ser uma lesão de dois tipos: 
- Menos intensa e reversível 
- Mais intensa, por um período prolongado e ela morre 
 
MORTE CELULAR dividimos em dois tipos - necrose e apoptose 
Causas de lesão celular: estímulos nocivos (todos podem danificar 
reversível ou irreversível, depende da intensidade e duração) como 
privação de O2 – hipóxia (diminui o aporte de oxigênio); anoxia (cessa o 
aporte de oxigênio) → O2 para gerar de ATP, na ausência a fosforilação 
oxidativa vai parar e a célula vai ser lesada; a célula utiliza o O2 para 
guardar compostos lesivos para o citoplasma, por exemplo, o cálcio em 
altas quantidade é lesivo, então o cálcio está o tempo todo “sequestrado” 
no Reticulo endoplasmático e nas mitocôndrias e para isso precisamos do 
O2; as próprias enzimas do lisossomo dependem do O2 para gerar ATP e 
serem mantidas dentro do lisossomo, se elas extravasarem causa 
destruição celular. 
 
Principais causas que levam a Hipóxia na célula? 
Isquemia: redução no fluxo de sangue; é um processo localizado, um vaso 
vai ser obstruído, faltando O2 e nutrientes para aquela região, para aquele 
órgão 
Obs: Hipoxia – diminuição de O2; Isquemia é a diminuição do aporte de 
sangue. Se tivermos isquemia teremos hipóxia, e redução de nutrientes. 
Mas se tivermos falando de outras causas de hipóxia, não 
necessariamente causa isquemia. Se nossas hemácias estiverem 
impossibilitadas de transportar O2, teremos uma hipóxia mas não uma 
isquemia 
Ex: Intoxicação por monóxido de carbono, ele se liga a hemoglobina 
impedindo que o O2 se ligue – as células vão morrer por hipóxia, mas sem 
que haja a isquemia. 
Insuficiência Cardiorrespiratória: processo generalizado; processo 
generalizado, todos os órgãos do corpo estarão sujeitos a hipóxia 
Redução no transporte de O2: processo generalizado, todos os órgãos do 
corpo estarão sujeitos a hipóxia 
 
As células aguentam mais a situação de hipóxia dependendo das suas 
capacidades: 
- Tipo celular 
- Grau de metabolismo desse tecido 
- Qual a Vulnerabilidade desse tecido 
 
Ex: Neurônios: são células extremamente frágeis, que precisam de ATP 
para fazer os impulsos nervosas, eles não tem nenhuma forma de 
armazenar nutriente no citoplasma, portanto ele é altamente dependente 
do fluxo sanguíneo; eles sofrem lesão irreversível por necrose 
Ex: Musculo cardíaco: mais resistente, dura 20 a 30 min 
Ex: Já os fibroblastos não demandam tanto ATP, consegue durar sem O2 
horas – são mais resistentes a lesão celular 
 
→ Velocidade de Instalação dessa Hipóxia 
Lenta – anos; o tecido vai se adaptando a isso, a morte celular não 
acontece tão rapidamente, 
Ex: Aterosclerose dos vasos da base do encéfalo que se desenvolve ao 
longo de décadas 
Rápida – minutos – AVC isquêmico – redução acentuada da quantidade de 
O2 para o cérebro de forma rápida e em poucos minutos esse cérebro vai 
sofrer necrose. 
 
→ Taxa metabólica: alguns órgãos conseguem alterar seu metabolismo; 
ora vai ta mais acentuado ora essa taxa metabólica estará baixa 
Ex: músculo esquelético: desde que imobilizamos e não fazemos ele 
trabalhar, não vai haver lesão celular pois conseguimos diminuir a taxa 
metabólica 
Ex: musculo cardíaco: não tem como imobilizar/colocar em repouso, 
diminuir o metabolismo dele, portanto haverá morte celular, 
 
OUTRAS CAUSAS DE LESÃO CELULAR PODENDO LEVAR A MORTE CELULAR 
- Agentes físicos: trauma mecânico de um acidente automobilístico; calor 
e frio (queimaduras e geladuras podem causar necrose); alterações na 
pressão atmosférica (leva lesão dos órgãos ocos, podem romper e sofrer 
morte celular); radiação (ultravioleta como luz solar; radioterapia – 
objetivo de causar morte celular nas células tumorais); choque elétrico 
- A gentes químicos e drogas: as nossas próprias moléculas que nossa 
célula possui, se alterarmos a concentração delas elas se tornam nocivas. 
A própria glicose se enchermos o sangue de glicose isso lesa as células por 
mudar o metabolismo fisiológico. A ureia em grande quantidade causa 
lesões tbm nos neuronios, fígado, intestino, rim. O cálcio precisa ser baixo 
no citoplasma, se ele aumentar ele causa necrose; produtos tóxicos 
(cianeto – bloqueia a fosforilação oxidativa na mitocôndria e para de gerar 
ATP); medicamentos; drogas de abuso 
Ex: Esteatose Hepática – degeneração gordurosa do fígado – acúmulo de 
TAG no citoplasma dos hepatócitos sempre que eles sofrem uma lesão 
crônica, isso é a causa mais comum do consumo exagerado do álcool. Mas 
pode ser medicamentosa ou viral. 
 
→ A resposta aos agentes químicos e as drogas vai ser variável entre 
indivíduos, de acordo com a idade e a capacidade de metabolização 
dessas substâncias. 
 
Agentes Biológicos: todos os microrganismos podem causar lesão celular, 
as bactérias, vírus, fungos, protozoários. 
Ex: Meninséria Meningitidis – gera uma lesão sistêmica do endotélio pela 
liberação de proteínas tóxicas ao endotélio - Meningite 
Sistema imunológico: algumas doenças a lesão tecidual não ocorrem pela 
ação do microrganismo, ocorre pela tentativa de resposta do nosso 
sistema imunológico ao eliminar esse organismo, e essa resposta imune 
descontrolada e exagerada que lesa nossos tecidos ou ainda um erro 
desse sistema imune de tolerância de proteínas próprias – doenças 
autoimunes. 
Ex: Lupus Eritematoso Sistêmico 
Alterações Genéticas: sabemos que um gene codifica um RNA mensageiro 
e este codifica uma proteína, que é importante, se tivermos uma mutação 
dessa proteína ou enzima ela perde sua função e a célula se lesa de 
maneira irreversível → causando morte celular 
Ex: Temos doenças de acumulo onde perdemos a enzima para metabolizar 
algum substrato e o que vai acontecer é o acumulo dessa substancia no 
citoplasma da célula e essa célula vai ser lesada de maneira irreversível - 
Mucopolissacridoses – célula perde a capacidade de sintetizar as 
glicosaminoglicanas que elas sintetiza e ela se acumula no citoplasma 
causando morte celular 
Ex: Anemia Falciforme: um par de base trocado formando uma 
hemoglobina S que não tolera dessaturação, ficando no formato de foice e 
obstruindo vasos. 
 
Distúrbios Nutricionais: deficiências de proteínas ou calorias; falta de 
vitaminas (A – úlcera de córnea; C – escorbuto) causando lesão celular por 
essas alterações nutricionais. Ex: a obesidade causa esteatose dos 
hepatócitos, e a esteatose leva a necrose dos hepatócitos e a deficiência 
também causa morte celular – desnutrição proteica e calórica; 
hipercolesterolemia – O LDL se deposita na túnica intima dos vasos, 
obstruindo-o causando lesões isquêmicas. 
 
 
LESÃO CELULAR 
Demora um tempo para se estabelecer; 
→ A primeira coisa que ocorre após uma instalação de um agente lesivo 
na célula é um déficit na função da célula, ela para de desempenhar sua 
atividade, e isso pode levar a lesão celular reversível ou irreversível. A 
partir do momento que ocorreu uma lesão bioquímica surge uma lesão 
ultraestrutural, que é uma lesão na microscopia eletrônica mudando a 
morfologia microscópica e só por fim teremos alterações macroscópicas 
vistas a olho nu. 
 
LESÕES REVERSIVEIS 
Sempre que a célula sofre uma alteração, em pouco tempo, ela consegue 
reverter sua normalidade (se revertermos a causa daquela lesão). Vemos 
isso em dois exemplos: 
Balonização celular = Degeneração hidrópica/tumefação celular/ 
esteatose / degeneração gordurosa 
→ O que causa essa Tumefação celular? Principalmente redução de ATP – 
hipóxia reversível;