A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
APOL2 - ANALISE DE POLITICA EXTERNA

Pré-visualização | Página 1 de 4

Questão 1/10 - Análise de Política Externa
Leio o texto a seguir:
Em The essence of decision: explaining the Cuban missile crisis Allison (1999) relata o estudo de caso sobre as decisões tomadas pelos governos norte-americano e soviético, durante a famosa Crise dos Mísseis de 1962, provocada pela instalação de mísseis soviéticos de ataque em território cubano. Nesse estudo, o processo decisório é analisado sob três diferentes perspectivas.
Fonte: BIN, Daniel; CASTOR, Belmiro Valverde Jobim. Racionalidade e Política no Processo Decisório: Estudo sobre Orçamento em uma Organização Estatal. Rev. adm. contemp. vol.11 no.3 Curitiba, p. 39. 2007. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/rac/v11n3/a03v11n3.pdf>.
 
Tendo como base os conteúdos discutidos na disciplina de Análise de Política Externa, análise as afirmações sobre os modelos propostos por Allison e, depois, assinale a alternativa que indica apenas as corretas: 
I. O modelo racional-legal volta-se à análise dos procedimentos burocráticos e jurídicos de um Estado vinculados à tomada de decisão. Assim, compreende o processo decisório como reflexo dos entraves legais e incentivos burocráticos.
II. O modelo do comportamento organizacional direciona-se a evidenciar como a atuação das empresas transnacionais e das grandes corporações domésticas, em processos decisórios estatais, têm influência no posicionamento de um país no cenário internacional.
III. O modelo do ator racional se concentra em observar como se dá o processo de tomada de decisão a partir dos atores, considerando a atuação dos indivíduos diante dos cálculos estratégicos necessários para a obtenção de um resultado ótimo.
IV. A visão do comportamento organizacional delineia três fatores que devem ser observados, como a relação entre capacidade organizacional e escolhas; a prioridade organizacional; e as implementações como reflexos de procedimentos que já são padrões.
Nota: 10.0
	
	A
	Apenas as afirmativas I e III estão corretas.
	
	B
	Apenas as afirmativas I, II e IV estão corretas.
	
	C
	Apenas as afirmativas I, III e IV estão corretas.
	
	D
	Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
	
	E
	Apenas as afirmativas III e IV estão corretas.
Você acertou!
A alternativa correta é aquela que indica que apenas as afirmativas III e IV estão corretas. A afirmação I está incorreta porque Allison não formula um modelo burocrático-legal para compreender e explicar o processo de tomada de decisão. A afirmação II está incorreta porque o modelo comportamento organizacional observa o Estado a partir das lentes de que ele não é individual, mas sim um conjunto de diversas outras instituições. Por essa visão, o governo, em determinado momento, seria a representação de um conjunto específico de instituições, e suas ações nesse período irão ocorrer de acordo as escolhas dessas instituições. A afirmação III está correta porque o modelo de ator racional observa as decisões tomadas como sendo as mais otimizadas para a situação presenciada (Bignetti, 2009, p. 72). Na visão racional (ou tradicional), se obtêm a concepção de escolha por parte do decisor público. A escolha da ação a ser tomada ocorreria a partir de um grupo de variáveis a serem calculadas, como objetivos e valores. A afirmação IV está correta porque utilizando a visão de comportamento organizacional, Allison apresentaria três fatores a serem compreendidos: a relação entre capacidade organizacional e escolhas; prioridade organizacional como definidoras da implementação organizacional; implementações como reflexos de rotinas e procedimentos operacionais que já são padrões (Bignetti, 2009, p. 73). Nessa visão, a política é um resultado organizacional (Nanci, Pinheiro, 2019, p. 75).
 
Referência: Rota de aprendizagem da aula 4. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 1: Modelos de Allison.
Questão 2/10 - Análise de Política Externa
Leia o texto a seguir:
No decorrer da disciplina de Análise de Política Externa foi possível observar que em qualquer pesquisa científica as variáveis constituem-se em um aspecto de grande relevância. As variáveis que serão analisadas em uma pesquisa, de uma forma geral, contribuem para uma boa delimitação do desenho de pesquisa e auxiliam no momento de seleção dos métodos. Nas aulas da disciplina, foram apresentados três tipos deferentes de variáveis que existem em um trabalho científico, principalmente quando se está realizando um estudo comparativo.
Fonte: Rota de aprendizagem da aula 5. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 5: Diferentes Variáveis nos Estudos Comparativos da APE
Tendo como base os conteúdos discutidos na disciplina de Análise de Política Externa, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, quais são esses três tipos de variáveis referidas no texto acima:
Nota: 10.0
	
	A
	Variáveis polissêmicas, individuais e duais.
	
	B
	Variáveis internacionais, domésticas e transnacionais.
	
	C
	Variáveis econômicas, sociais e políticas.
	
	D
	Variáveis ideacionais, culturais e ideológicas.
	
	E
	Variáveis independentes, dependentes e intervenientes.
Você acertou!
No quinto tópico da aula cinco de Análise de Política Externa foram apresentados os três tipos de variáveis referidas pelos autores Adriole, Wilkenfeld e Hopple, em seu artigo do ano de 1975. Os autores dividem as variáveis entre independentes, intervenientes e dependentes.
 
Referência: Rota de aprendizagem da aula 5. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 5: Diferentes Variáveis nos Estudos Comparativos da APE
Questão 3/10 - Análise de Política Externa
Leia o trecho a seguir:
“Todas essas alterações internas chinesas também causaram dúvidas em relação a ideologia do país. Precisou-se encontrar uma forma adequada de identificar o modelo econômico chinês, compreendendo que, ainda que tenha aberto suas portas à economia mundial, o governo ainda assim mantinha seu controle sobre as empresas que fariam parte de seu país, entre diversos outros aspectos ligados a essa nova dinâmica. Assim, a China, ainda que passando a ser mais ativa no processo internacional, não poderia ser comparada com outros países que também faziam parte desse processo”.
Fonte: Rota de aprendizagem da aula 6. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 1: Política Externa Chinesa após a Reforma Econômica de 1978.
Tendo como base os conteúdos discutidos na disciplina de Análise de Política Externa, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, qual é o termo utilizado para se referir à postura chinesa na economia a partir das reformas: 
Nota: 10.0
	
	A
	Autoritarismo Chinês.
	
	B
	Modo de Produção Asiático.
	
	C
	Estrutura Econômica Sino-Asiática.
	
	D
	Socialismo Sino-Contemporâneo.
	
	E
	Pragmatismo Chinês.
Você acertou!
O termo utilizado para abordar o novo modelo econômico chinês e a sua nova postura na economia internacional é o pragmatismo econômico (Xuetong, 2018, p. 7). Nesse momento de pragmatismo econômico chinês, novas forças internas passaram a executar seus interesses. Como visto nas aulas anteriores, não se pode perceber a criação de políticas públicas – essas incluindo também políticas externas – como sendo somente um fruto do raciocínio governamental. A influência de diferentes grupos de pressão, stakeholders, entre outros atores, também deve ser adicionada a essa análise.
 
Referência: Rota de aprendizagem da aula 6. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 1: Política Externa Chinesa após a Reforma Econômica de 1978.
Questão 4/10 - Análise de Política Externa
Leia o texto a seguir:
“No processo de desmantelamento do socialismo real, as personalidades políticas e os movimentos na União Soviética e do Leste Europeu em favor da restauração do capitalismo foram classificados no Ocidente, pela mídia e meios acadêmicos, como reformistas, a exemplo do governo de Boris Ieltsin, na Rússia. E os opositores, ou seja, os que queriam a permanência do socialismo real, eram chamados

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.