A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
5 - Exame Neurologico- Coordenaçao, sinais meningeos e mov. anormais

Pré-visualização | Página 1 de 1

Cássia Mendes Ataide - UFMS 
Coordenaçao, sinais meníngeos e movimentos anormais 
COORDENAÇÃO 
PRINCIPAIS TESTES - basicamente analisa-se o cerebelo 
(para a movimentação fina e coordenação fina de um 
movimento, as vias e funções cerebelares precisam 
estar íntegras) 
Teste dedo-nariz (ou índex-nariz): pedir para o paciente 
relar no seu nariz e tocar no dedo do observador → 
ambos os lados 
− Dismetria: erra o alvo ou decompõe o movimento 
(começa a corrigir ou pausar ao se aproximar do 
alvo) 
− Fazer a sensibilização do teste: pedir para o 
paciente fechar os olhos 
Movimentos repetidos e alternados (diadococinesia): 
passar alguns movimentos para o paciente, como tocar 
com o polegar os demais dedos (ir e voltar), alternar 
dorso e palma da mão na coxa, entre outros 
− Disdiadococinesia: quando pelo menos em 1 lado o 
movimento não é realizado corretamente 
Teste calcanhar-joelho: com o paciente em decúbito, 
pedir para relar seu calcanhar no joelho da perna oposta 
e deslizar o mesmo da crista da tíbia até o maléolo 
medial 
* Certificar-se se realmente é o calcanhar que está 
tocando 
Teste do tronco: sem o paciente usar as mãos (pode 
coloca-las nos ombros), ele deve sair da posição deitada 
para sentada → verificar se o mesmo pende para algum 
lado ou se há estabilidade 
− Ataxia truncal (falta de estabilidade do tronco) 
Teste do rechaço: manobra de oposição de força → em 
determinado momento, tirar a resistência 
− Espera-se que o paciente pare o movimento 
− Em pessoas com importante alteração da função 
cerebelar, o movimento não cessará → ausência do 
rechaço 
− Verifica se há uma boa coordenação entre os 
músculos agonistas e antagonistas ou se o paciente 
não consegue frear o movimento 
Além dos testes, a função cerebelar pode ser observada 
em outros momentos do exame neurológico, como no 
caminhar do paciente (ex. marcha ebriosa/atáxica), na 
fala (escadida/”do bêbado”), no tônus (hipotonia), nos 
reflexos (movimento pendular mais persistente, ligado 
à hipotonia), tremores 
SINAIS MENÍNGEOS 
Paciente em ambiente calmo e em decúbito dorsal 
Rigidez de nuca: fazer movimentos de forma tranquila e 
leve 
− Segure a cabeça do paciente e faça movimento 
laterais 
− Coloque sua mão na parte posterior da cabeça 
(região occipital) e distraia o paciente, conte até 3 
e, antes de chegar no 3, faça o movimento de flexão 
do pescoço → fazer de surpresa para evitar a rigidez 
reflexa natural 
Sinal de Kernig: com o paciente em decúbito, flexionar 
sua perna sobre a coxa e a coxa sobre o quadril e então 
fazer extensão da perna 
− Dor bilateral na altura da região lombar é indicativo 
de irritação meníngea 
Sinal de Brudzinski: ao fazer o movimento de nuca, 
como defesa, o paciente flete os joelhos 
 
Ex: paciente chega no PS com confusão mental e 
histórico de febre e vômitos 
Sangramentos intraparenquimatosos ou hemorragias 
subaracnóideas podem causar rigidez meníngea 
MOVIMENTOS ANORMAIS DO SISTEMA MOTOR 
Cássia Mendes Ataide - UFMS 
São encontrados e devem ser procurados ao longo do 
exame neurológico 
Acatisia: sensação de inquietação 
− Geralmente ocorre após uso de neurolépticos → ex. 
comum no PS: metocopramida (Plasil) 
Atetose: movimentos despropositados e lentos, 
sinuosos, as vezes mais em contorção 
− Termo em desuso 
Coreia clássica: movimentos rápidos, despropositados e 
persistentes 
− Algumas doenças importantes cursam com a coreia: 
coreia de Sydenham (reumática) limitada e 
consequente a uma endocardite bacteriana; coreia 
de Huntington (genética degenerativa) 
Discinesia tardia: movimentos repetitivos involuntários 
− Causas: secundária a fármacos (neurolépticos), 
doença de Parkinson (consequência do tratamento 
de base → levodopa/benserazida, carbidopa) 
− Maior parte dos pacientes que usam levodopa por 
longo tempo, apresentam a partir do 5° ano 
Distonia: contração dos movimentos agonistas e 
antagonistas, gerando alteração postural relevante 
− Aumento exacerbado do tônus 
− Pode gerar dor e comprometer a qualidade de vida 
Hemibalismo: movimentos rápidos despropositados e 
temporários (maior parte das vezes) 
− Diferentemente da coreia, apenas uma parte do 
corpo tem movimento 
− Geralmente AVCs nos núcleos da base 
− Ex: levantar brusco do braço 
Espasmos mioclônicos (mioclonias): movimentos 
rápidos e fugazes, com contrações rápidas 
− Positivos 
− Negativos: tônus perdido 
Tremor: repetições de movimentos 
− Parkinson: em repouso do tipo contar dinheiro 
− Essencial: oscilações ocorrem no repouso e na 
intenção do movimento 
− Postural: pode ocorrer junto do essencial 
Tiques (Síndrome de Gilles de la Tourette): movimento 
parcialmente controlado, geralmente acompanhado de 
vocalização ou brunido (barulho nasal)