A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Psicologia- Emoções

Pré-visualização | Página 8 de 9

as pesquisas sobre a mentalização. Para além disso, sugerem que esta estrutura suportam a ideia de que os próprios indivíduos monitorizam os seus próprios estados mentais. 
Com estes resultados, não é surpreendente que estudos de emoções com o envolvimento do córtex medial pré-frontal normalmente requerem que os participantes julguem as suas próprias emoções para julgarem as emoções dos outros ou para regularem emoções que foram evocadas por um determinado estímulo experimental. 
Importantes mensageiros químicos:
A junção e o processamento da informação no sistema nervoso depende de mensageiros químicos que são lançados por uma determinada célula e que afetam as funções de outra célula. Dependendo da parte do corpo em que estes mensageiros são lançados, vão ter diferentes nomes:
· Hormonas: lançadas na corrente sanguínea, agem de forma difusa e distante (ex. cortisol e adrenalina);
· Neurotransmissores: lançados por neurónios e transmitem informação a outro neurónio;
· Gliotransmissores: lançados por células da glia e transmitem a informação a outra célula da glia.
Oxitocina:
Este mensageiro químico é produzido por neurónios no hipotálamo.
 A Oxitocina é uma hormona usada para ajudar a iniciar ou continuar o trabalho de parto e para controlar o sangramento após o parto. Também é usada para ajudar a secreção de leite na amamentação.
Este neurotransmissor, por vezes chamado de hormona do amor, tem sido implicada principalmente na promoção do tipo de "sentimentos amigáveis" ou amor que sustenta a formação de laços sociais.
Monoaminas:
As monoaminas são outro grupo de mensageiros químicos com uma relevância particular nas emoções.
· Catecolaminas
Um tipo de catecolamina é a dopamina. As suas funções são diversas, incluindo estarem envolvidas em aspetos motores, cognitivos e emocionais. Nos aspetos motores, a dopamina tem um papel na iniciação, coordenação e inibição de movimentos, estando, assim, relacionada em distúrbios do movimento, como o Parkinson. Nos aspetos cognitivos, foi descoberto que a dopamina suporta a capacidade de selecionar informação para a atenção e de manter esta informação na memória de trabalho. Por fim, no contexto das emoções, a dopamina tem sido implicada na apreciação de estímulos ou recompensas positivas, ou em abordagens relacionadas com tendências motivacionais.
Nem toda a dopamina corporal serve para transmissão neural, mas sim para os processos de síntese de noradrenalina (norepinefrina) e adrenalina (epinefrina).
Como hormonas, a noradrenalina e a adrenalina são importantes para prepararem o corpo e órgãos para a ação, e esta preparação é iniciada através do sistema simpático medular adrenal. Como neurotransmissores, têm também um efeito ativador e estão envolvidos na mobilização simpática. 
Adicionalmente, no entanto, elas têm um impacto na cognição e na emoção. Investigação em atenção e aprendizagem demostraram isso: no contexto da atenção, a noradrenalina aumentou as respostas cerebrais aos estímulos sensoriais; no contexto da aprendizagem, a noradrenalina tem um papel na formação de memórias de longo prazo, facilitando o armazenamento de informação emocional. Transtornos emocionais, como a ansiedade e depressão, estão ligados a anormalidades no funcionamento da noradrenalina.
· Triptaminas
Uma outra classe de monoaminas são as Triptaminas, como a serotonina. A serotonina é produzida principalmente pelos neurónios do tronco cerebral localizados nos núcleos de rafe.
A serotonina está envolvida na regulação do apetite, sono, vigília e emoções. No contexto das emoções, investigação clínica encontrou uma relação entre a transmissão serotonérgica e a depressão. Especificamente, medicação que diminui a re-captação da serotonina no neurónio pré-sináptico e, assim, aumentar o potencial de ligação da serotonina no neurónio pós-sináptico, faz com que haja melhoras no humor negativo.
Opióides:
Os opióides são produzidos por uma série de células, como as células imunitárias.
Os opióides são normalmente conhecidos pelos seus efeitos analgésicos no corpo. São libertados quando os organismos experienciam eventos que causam ferimentos, dor ou stress. Ao se ligarem aos seus recetores, eles reduzem o impacto negativo destes eventos e permitem com que os organismos se mantenham ativos, mesmo em circunstâncias adversas. Para além das suas propriedades analgésicas, os opióides também têm outras funções no corpo, algumas funções estão ligadas à respiração, digestão e atividade do sistema imunitário.
No cérebro, a sinalização de opióides produz mudanças nas emoções. Nesse sentido, beta-endorfinas e a sua ativação de recetores mu-opioides têm sido altamente investigadas. Os resultados indicam um papel na apreciação de recompensas, especialmente as sociais. Neste sentido, a aplicação de endorfinas exógenas como o ópio ou a morfina são tipicamente experienciadas como sendo prazerosas e diminuir sentimentos de angústia. 
Aula prática: Como elicitar emoções?
Restrições laboratoriais:
Problemas éticos:
· Órgãos profissionais definem padrões de ética nas pesquisas (ex. APA);
· Padrões existentes cujo objetivo é minimizar o desconforto para participantes humanos e não-humanos.
Problemas práticos:
· Reduzir confusões;
· Repetições de condição;
· Viabilidade de criar uma emoção (ex. tristeza);
· Expectativas do participante.
Métodos populares:
· Estímulos condicionados e incondicionados;
Estímulos incondicionados têm significado emocional e natural, podem ser partilhadas entre espécies (ex. comida, dor) ou diferir (ex. expressões não verbais, separação dos pais) e diferir entre indivíduos da mesma espécie (ex. idade, sexo).
Nos estímulos condicionados, muitos estímulos comportamentalmente relevantes no ambiente das espécies muda e não pode ser codificada no genoma. Assim, os indivíduos têm de ter a capacidade de aprender acerca destes estímulos e armazenar o seu significado emocional. Este processo depende de condicionamento clássico.
No condicionamento clássico, os estímulos utilizados incluem normalmente dinheiro, sons de telefone, animais ou comida. A vantagem relativamente aos estímulos incondicionados é de que estes são mais facilmente controlados. No entanto, as desvantagens face aos estímulos incondicionados incluem o facto de estes serem baseados na memória ou de não serem muito claros quanto ao facto de terem im efeito ou emoção específica.
O que é utilizado para a pesquisa humana?
· Imagens (ex. IAPS, KDEF);
· Filmes (dimensões chave: intensidade, complexidade, demandas cognitivas, resolução temporal, validade ecológica, recursos atencionais);
· Músicas e sons (felizes e tristes);
· Métodos sócio-psicológicos (ex. deceção, interação diádica).
· Memórias autobiográficas;
A memória autobiográfica consiste em memórias de acontecimentos passados relacionadas com o próprio, onde considerações relativas ao self, objetivos de vida, significados pessoais e emoções se entrecruzam, e ao fazê-lo permitem aos indivíduos construir histórias e narrativas de vida.
· Atos comportamentais;
· Modulação cerebral.
Elicitação das emoções no contexto das teorias atuais da emoção:
Diferentes métodos permitem perceções diferentes sobre as emoções. Pesquisa no contexto dimensional tem de ter uma abordagem cuidadosa para que não ser enviesada por emoções do indivíduo. Pesquisa no contexto categorial tem de ter uma abordagem cuidadosa para contrastar emoções de valências/arousal comparáveis.
Em suma, a pesquisa das emoções é restrita pelo modo de como são elicitadas as emoções em laboratório. Dentro destas restrições, existem diferentes métodos, como os estímulos condicionados e incondicionados, técnicas de memória, atos motores e modulação cerebral. É necessário ter também em atenção da escolha dos métodos e da sua compatibilidade com a abordagem teórica adotada.
Emoções no laboratório:
· Correlatos comportamentais das emoções;
São feitos julgamentos afetivos, com o uso de escalas de Lickert ou de self-assessment manikin, julgamentos emocionais e questionários (positive and negative affect schredule).