A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Endócrino

Pré-visualização | Página 1 de 2

Fisiologia do Sistema Endócrino 
 1 
FISIOLOGIA 
FUNÇÕES: 
Reprodução, crescimento, desenvolvimento e manter 
a homeostasia. 
Hormônios são moléculas sintetizadas por 
células específicas, secretadas no meio interno, 
que atuam sobre células alvos e potentes a 
baixas concentrações. 
CLASSIFICAÇÃO: 
I. Primários: são os órgãos que sua função 
principal é a produção de hormônios 
a. Hipófise, pineal, tireóide, paratireóide, 
adrenal 
II. Secundários: tem função exócrina e endócrina 
a. Pâncreas, testículos e ovários 
III. Terciários: função hormonal não é a principal 
a. Rim 
 
HIPÓFISE 
• Abaixo do hipotálamo 
• Caudal ao quiasma óptico (ex: se houver uma 
neoplasia pode ocorrer cegueira) 
• Divida em: 
• Adeno-hipófise 
• Neuro-hipófise 
• Sistema porta-hipofisário: a produção do 
hipotálamo cai direto na hipófise 
 
ADENO-HIPÓFISE 
• Responsável pelos hormônios tróficos- se 
estiver em excesso geralmente aumenta a 
glândula e se estiver em falta causa uma 
redução 
• ACTH- age na adrenal, estimula a 
produção do cortisol 
• TSH- age na tireoide, estimula a produção 
de T3 e T4 
• LH- age no folículo ovariano e participa da 
espermatogênese 
• FSH- age no folículo ovariano 
• GH- hormônio do crescimento 
• PRL- age na glândula mamária 
NEURO-HIPÓFISE 
• Ocitocina 
• ADH- hormônio antidiurético 
HIPERADRENOCORTICISMO (HAC) 
• 80% neoplasias hipofisárias 
• 85% microadenomas 
• 15% macroadenomas 
• Pode ocorrer cegueira e sinais neurológicos por 
efeito de massa (Macroadenomas) 
• Microadenoma- apenas aumento do ACTH 
 
DEFICIÊNCIA DE GH 
• Nanismo: deficiência de GH 
 
• Gigantismo: excesso de GH (jovem)-ocorre mais 
em humanos 
• Acromegalia (gatos, humanos): excesso de GH 
ligado a neoplasias hipofisárias em adultos. 
 
Fisiologia do Sistema Endócrino 
 2 
FISIOLOGIA 
 
TIREÓIDE 
• Nos animais ela não é conectada, são separadas 
• Localizada caudal a laringe 
• Tecido com colóide (reservatório), vasos 
sanguíneos e folículo tireoidiano. 
 
Eixo hipotálamo-hipófise-tireoide 
Hipotálamo 
 
Hipófise 
 
Tireoide 
 
*O iodo é importante para conversão do 
hormônio tireoidiano e esse iodo vem da DIETA 
 
HORMÔNIOS TIREOIDIANOS 
I. Atividade metabólica de todos os tecidos 
II. Estimulam o consumo de o2 
III. Regulam o metabolismo de carboidratos e 
lipidios 
IV. Efeitos no sistema nervoso e cardiovascular 
*deficiência do h. tireoidiano pode causar hipotermia, 
anemia, bradicardia... 
**em excesso pode causar uma taquicardia, animal 
agitado, metabolismo aumentado 
 
Hipotireoidismo- cães 
Hipertireoidismo- gatos 
 
HIPOTIREOIDISMO 
Doença sistêmica que resulta do decréscimo da 
produção de T4 e T3 pela glândula 
Pode ocorrer uma tireoidite linfocítica e atrofia 
idiopática 
 
• Ocorre mais em cães 
• Cães de meia-idade 
• Raças predispostas: Golden, Labrador, Cocker, 
Beagle, Dobermann 
SINAIS CLÍNICOS: 
• Letargia (80%) 
• Ganho de peso 
• Hipotermia (10%) 
• Bradicardia 
• Cara triste- Facies trágica 
• Manifestações dermatológicas: alopecia 
simétrica bilateral (25%), prurido (raro), 
malassezia, infecção secundária, cauda de rato, 
hiperpigmentação, mixedema. 
• Neurológicas: degeneração axonal, 
desmielização, acúmulo de líquido 
mixedematoso, hiperlipidemia, paralisia do 
nervo facial. 
*paciente que dorme enquanto a consulta por FALTA 
DE ENERGIA. 
ALTERAÇÕES LABORATORIAIS: 
• Anemia normocítica normocrômica 
• Aumento do colesterol (75%) 
• Aumento do triglicérides 
 
HIPERTIREOIDISMO 
Doença endócrina mais comum nos gatos 
Resultante da produção e excreção excessiva de T4 e 
T3 pela glândula 
• Comum em gatos 
• Gatos idosos 
• Etiopatogenia: neoplasia benigna de tireoide 
(98%) 
SINAIS CLÍNICOS: 
• Perda de peso (98%) 
• Polifagia (80%) 
• Taquicardia 
• PU/PD 
T3 T4 
TSH 
TRH 
Feedback 
negativo 
Feedback 
negativo 
Fisiologia do Sistema Endócrino 
 3 
FISIOLOGIA 
• Hiperatividade/ inquietação 
• Diarreia 
ALTERAÇÕES LABORATORIAIS: 
• Eritrocitose 
• Aumento de ALT e FA 
 
PARATIREOIDE 
• Paratormônio (PTH) 
• Atua para aumentar cálcio no sangue 
• Ossos e rins (reabsorção) 
• Aumentar a absorção de vitamina D no intestino 
 
PÂNCREAS 
• 1 corpo e 2 lobos (direito e esquerdo) 
• Artérias Pancreaticoduodenais e veia porta 
 
 
Função exócrina: digestiva 
Função endócrina: hormonal- ilhotas de Langerhans 
 
 
INSULINA 
• Tem efeito hipoglicemiante 
• Fígado: glicose glicose 
• Promove a entrada de ácidos graxos no tecido 
adiposo e impede a sua degradação 
• Promove síntese de proteínas e impede a sua 
degradação 
*leva a glicose para dentro da célula 
 
 
 
O tecido adiposo e muscular são insulino-
sensíveis, ou seja, são dependentes da insulina. 
A insulina se liga no receptor de insulina da 
célula e vai desencadear reações enzimáticas e 
metabólicas que farão que o GLUT-4 saia do 
citoplasma e atinja a membrana da célula 
abrindo um caminho para que a glicose entre. 
Na resistência insulínica ocorre esse sistema, 
mas o GLUT-4 não consegue se deslocar 
deixando a glicose no meio externo da célula. 
 
GLUCAGON 
• Efeito hiperglicemiante 
 
Hormônios hiperglicemiantes: 
1. Glucagon 
2. Cortisol 
3. Adrenalina 
4. GH 
CONTROLE DA GLICEMIA 
I. Cortisol, GH, Adrenalina e Glucagon 
• Menor captação de glicose 
• Inibição da síntese de glicogênio 
• Gliconeogênese e glicogenólise 
• Proteólise e lipólise 
 
DIABETES MELLITUS 
• Endocrinopatia representada por hiperglicemia 
devido à: 
• Disfunção ou perda de células B 
• Redução da sensibilidade a insulina nos 
tecidos 
 
Diabetes mellitus tem relação com glicose 
Diabetes insipidus tem relação com ADH 
 
 
CÃES: 
• Meia idade- idosos 
• 10-15 anos 
• DM juvenil: até 1 ano de idade é incomum 
• Samoieda, Setter inglês, Poodle, Schnauzer, Pug, 
Yorkshire 
• Fêmeas tem maior ocorrência que machos 
 
GATOS: 
• Gatos birmaneses 
• Machos tem maior ocorrência que fêmeas 
• Idade: > 7 anos 
• Obesidade (menor tempo de vida, castração ou 
domiciliado) 
 
 
Cães Gatos 
Tipo I 
Genético, autoimune, 
pancreatite, HAC 
Meia idade a idosos 
Tipo II 
Obesidade, resistência 
insulínica (HAC, 
Fisiologia do Sistema Endócrino 
 4 
FISIOLOGIA 
Geralmente insulino-
dependentes 
acromegalia, 
hipertireoidismo) 
Gatos obesos e idosos 
Remissão 50 a 70% 
 
SINTOMAS: 
• PF, PP, PU, PD 
• Catarata em cães 
• Neuropatia (gatos) 
• Anorexia, vômitos, letargia (CAD) 
 
GLÂNDULA ADRENAL 
• Altamente vascularizada 
• Ramos da aorta, aa renais, lombares 
• Frenicoabdomiais, veia cava caudal 
• AO lado do rim 
• Acesso cirúrgico mais difícil do lado direito 
 
*Trilostano bloqueia a enzima 3-beta-hidroxi-
esteróide para manter um cortisol normal 
**A adrenal é dividida em camadas 
 
I. Zona glomerulosa: a mais externa, 
compreendendo 15% do córtex, sendo 
responsável pela secreção de 
mineralocorticoides, notadamente a 
aldosterona 
II. Zona fasciculada: região média, que 
representa 80% do volume cortical, responsável 
pela secreção de glicocorticoides, cujo principal 
representante é o cortisol 
III. Zona reticulada: mais interna, que 
compreende os 5% restantes do córtex e que 
secreta diversos hormônios sexuais. 
 
Doença hipersecretora de cortisol: 
hiperadrenocorticismo 
Doença hipersecretora de aldosterona: 
hiperaldoteronismo 
Doença hipersecretora de catecolaminas: 
feocromacitoma 
 
 
CORTISOL 
• Metabolismo de carboidratos, gorduras e 
proteínas 
• Gliconeogênese 
• Redução na taxa de utilização de glicose nos 
tecidos 
• Importante para lipólise: quando aumenta 
demais aumenta o triglicérides 
 
TEM EFEITOS ANTI-INFLAMATÓRIOS: 
• Reduz migração de glóbulos brancos para área 
inflamada 
• Supressão do sistema imunitário 
• Diminui linfócitos e eosinófilos 
• Diminui ac 
• Diminui cicatrização 
• Aumenta as células vermelhas do sangue 
 
*Geralmente são pacientes hipertenso quando o 
cortisol está em excesso. 
 
USADO