A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
doença hemorroidária - hemorroidas

Pré-visualização | Página 2 de 3

rápido, relativamente indolor e barato que pode ser 
realizado em um paciente não preparado 
− A COLONOSCOPIA não é usada para diagnostico inicial de doença hemorroidária, mas pode ser pedida em: 
• Paciente >50 anos ou Sangramentos atípicos 
• Suspeita de diverticulose ou de neoplasia - CCR 
• Alteração de habito intestinal 
• História de pólipos intestinais 
• Pacientes com sintomas sugestivos de malignidade, como sintomas constitucionais, anemia ou alteração 
na frequência, calibre ou consistência das fezes 
• Anemia 
 
 
6 
 
TRATAMENTO 
TRATAMENTO CLÍNICO 
− Irritação ou prurido - A irritação ou prurido de hemorroidas internas ou externas (sem sangramento ou trombose) 
pode ser tratada com uma variedade de cremes analgésicos, supositórios de hidrocortisona e banhos de assento 
quentes. Esses tratamentos, principalmente a hidrocortisona, não devem ser utilizados por mais de uma semana, 
pois podem ocorrer efeitos colaterais, como dermatite de contato com cremes analgésicos ou atrofia da mucosa 
com cremes esteroides. Se não houver melhora após uma semana, outros cremes não esteroides podem ser 
tentados. 
− A abordagem de TRATAMENTO INICIAL para a maioria dos pacientes com hemorroidas sintomáticas de início 
recente é CONSERVADORA, consistindo em modificação da dieta/estilo de vida e medicamentos tópicos ou orais 
para aliviar os sintomas. O tratamento conservador é bem-sucedido para a maioria dos pacientes e pode ser 
continuado pelo tempo que o paciente desejar. 
• Modificação da dieta e estilo de vida – dieta laxativa - ingerir 20 a 30 g de fibra insolúvel por dia e beber 
bastante água (1,5 a 2 litros por dia). Ambos são necessários para produzir fezes regulares e macias, o que 
reduz o esforço na defecação. Pode levar seis semanas para perceber completamente o efeito benéfico da 
fibra. 
• Medicamentos para alívio sintomático - incluem analgésicos orais ou locais para tratar a dor, agentes 
tópicos para reduzir o inchaço local ou tratar a dermatite de contato, terapias para reduzir o espasmo 
esfincteriano e agentes venoativos (flebotônicos) para aumentar o tônus venoso dos tecidos hemorroidários 
• Agentes venoativos - os flebotônicos são usados principalmente na Europa e na Ásia para tratar 
hemorroidas com inflamação aguda e sangramento. São uma classe heterogênea de drogas que consiste 
em extratos de plantas e compostos sintéticos. Eles melhoram o tônus venoso, a permeabilidade 
microvascular, a atividade linfática e o fluxo nutritivo microcirculatóros e podem reduzir o sangramento 
associado às hemorroidas 
• Analgésicos e esteroides tópicos - pomadas tópicas contendo anestésicos, esteroides, emolientes e 
antissépticos são frequentemente auto prescritas pelos pacientes para alívio sintomático rápido. No entanto, 
há uma falta de fortes evidências científicas que apoiam o uso de pomadas tópicas. 
✓ Pomadas tópicas que incluem analgésicos, como hidrocortisona mista / lidocaína, são eficazes para 
aliviar a dor aguda associada a hemorroidas. No entanto, pomadas tópicas não devem ser usadas por 
mais de uma semana para evitar efeitos adversos, como dermatite de contato 
 
− Hemorroidas externas – O tratamento de hemorroidas hemorrágicas é inicialmente conservador como com 
modificações na dieta ou cremes externos. Para hemorroidas externas, a única alternativa é a cirurgia, pois as 
hemorroidas externas não são passíveis de bandas elásticas, mas só é indicado em casos mais graves. 
• Na hemorroida externa sintomática ou trombosada, com menos de 3 dias de sintomas se faz cirurgia. Com 
mais de 3 dias, é tratamento conservador. 
− Hemorroidas internas com sangramento persistente podem ser tratadas usando procedimentos no consultório 
(por exemplo, ligação com elástico) 
• Para hemorroidas de grau III, pode-se primeiro tentar a ligadura do elástico, que geralmente é bem-sucedida 
após uma ou duas aplicações. Se a ligação do elástico não for eficaz, a cirurgia é recomendada. 
• Para hemorroidas de grau IV, a cirurgia é o melhor tratamento. 
− Hemorroidas trombosadas – geralmente esta associada a dor e a reabsorção do coágulo ocorre 
espontaneamente dentro de alguns dias, diminuindo a dor. Por isso o tratamento de hemorroidas trombosadas 
geralmente é conversador. 
• As exceções incluem aquelas com dor intensa e hemorroidas externas trombosadas e o raro caso de 
trombose concomitante de hemorroidas externas e internas (às vezes observadas após o parto) 
• A trombose das hemorroidas internas de grau III e IV geralmente persiste após as terapias conservadoras 
descritas acima e pode exigir tratamento definitivo. 
 
 
 
7 
 
− Agentes antiespasmódicos - Vários tipos de agentes 
(doadores de óxido nítrico) podem ser úteis para reduzir o 
espasmo do esfíncter anal, como pomada tópica de 
nitroglicerina a 0,5% pode fornecer analgesia temporária, 
reduzindo o espasmo interno do esfíncter anal. Esta dose pode 
estar associada a efeitos colaterais, como dor de cabeça. Uma 
dose mais baixa de nitroglicerina tem sido usada em pacientes 
com fissuras anais. 
− Banhos de assento - Os banhos de assento são um 
tratamento tópico intuitivo para crises agudas de hemorroidas, 
para reduzir a inflamação e o edema e relaxar os músculos do 
esfíncter. Pacientes com doença hemorroida significativa 
tendem a apresentar tônus esfincteriano elevado. Estudos 
manométricos confirmaram que a aplicação de calor úmido na 
área perianal pode diminuir as pressões do esfíncter interno e 
do canal anal 
• Os banhos de assento podem aliviar a irritação e o 
prurido, bem como o espasmo dos músculos do 
esfíncter anal 
• Eles devem ser usados com água morna, e não fria, 
duas a três vezes por dia 
TRATAMENTO NO CONSULTÓRIO 
− Geralmente são oferecidos a pacientes com hemorroidas 
internas sintomáticas refratárias a tratamentos médicos 
conservadores 
− O objetivo comum dessas terapias é causar descamação do 
excesso de tecido hemorroida; cicatrização e cicatrização 
fixam o tecido residual no anel muscular anorretal subjacente. 
− Para pacientes com hemorroidas internas sintomáticas grau I, 
II ou III, refratárias ao tratamento conservador, recomendamos 
um procedimento no consultório, em vez de hemorroidectomia 
cirúrgica, como intervenção inicial. 
− Pacientes com hemorroidas internas de qualquer grau e 
problemas anorretais adicionais, hemorroidas externas ou 
hemorroidas internas / externas mistas devem prosseguir 
diretamente para a cirurgia, pois essas condições não são 
passíveis de tratamentos no consultório 
ESCOLHA DA TÉCNICA BASEADA NO 
CONSULTÓRIO 
− Ligadura com elástico 
• Para pacientes saudáveis com hemorroidas internas de 
grau I, II ou III, recomendamos a ligação do elástico 
• É mais eficaz e requer menos sessões de tratamento 
− Escleroterapia 
• Para pacientes em uso de drogas anticoagulantes ou 
antiagregantes plaquetários, imunocomprometidos ou 
com hipertensão portal, sugerimos escleroterapia 
• A ligação do elástico é contraindicada devido ao alto 
risco de sangramento tardio 
− Coagulação por infravermelho de hemorroidas internas 
− Excisão de hemorroidas externas trombosadas 
• Hemorroidas externas com trombose aguda podem ser 
tratadas por excisão no consultório se o paciente apresentar nos primeiros três dias de sintomas. Os 
sintomas geralmente começam a diminuir após três dias e geralmente se dissipam em 7 a 10 dias. 
• Hemorroidas externas trombosadas extensas ou com sangramento podem exigir excisão cirúrgica na sala 
de cirurgia. 
− As hemorroidas internas de grau IV requerem tratamento cirúrgico definitivo. Os procedimentos baseados no 
consultório são ineficazes e não devem ser tentados 
 
 
 
8 
 
TRATAMENTO CIRÚRGICO 
− A excisão cirúrgica de hemorroidas continua sendo uma abordagem muito eficaz para o tratamento de hemorroidas 
sintomáticas, mas é reservada para pacientes selecionados 
− INDICAÇÃO da cirurgia: 
• Pacientes com hemorroidas de grau III ou IV, e aqueles com doença externa grave 
• Paciente com comorbidades