A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Atividades Complementares Presenciais 4 módulo II

Pré-visualização | Página 1 de 2

ESCOLA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
SENAC RIO GRANDE DO SUL
 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
ESTUDANTE: BRUNA INÁCIO BRITO
COMPONENTE: ATIVIDADES COMPLEMENTARES PRESENCIAIS II
PROFESSOR: GABRIELA ZORTÉA DUARTE
ATIVIDADE Nº: 4
POLO: SENAC RS
LOCAL E DATA: SÃO LEOPOLDO, 10 DE MARÇO DE 2021 
Atividade avaliativa 04
Saúde e Segurança do Trabalho
Introdução
A proposta do presente trabalho visa apresentar uma atividade, elaborando um
registro ficha com informações relevantes à função, servindo de base para a
construção e o desenvolvimento de um plano de ação, onde serão desenvolvidas
boas práticas que tem em vista a conscientização dos colaboradores de uma
determinada atividade quanto a importância do uso de EPIs e EPCs. Em seguida
apresentando um mapa de riscos do local onde a atividade é desenvolvida.
Por fim, respondendo questões sobre a relação qualidade/produtividade com a
segurança do trabalho e quais as consequências do acidente de trabalho para o
empregado e o empregador.
Desenvolvimento:
1. Atividade:
REBARBAÇÃO DE PEÇAS METÁLICAS. 
2. Descrição da atividade:
Segundo DAVANZO (2013), o processo de rebarbação se dá pelo acabamento de
uma peça após moldagem, fusão e vazamento, para que a mesma atinja a geometria
desejada.
Exemplo de definição de rebarba.
Fonte: (NETTO; BUZZATTO; REBELLO, 2011).
O processo de rebarbação pode ser realizado de diversas maneiras, sendo
através do uso de agentes abrasivos, com lixas, com máquinas lixadeiras, ou
empregando todas as técnicas em conjunto, retirando sobras indesejadas em peças
produzidas. Sendo um processo importante no cumprimento de exigências técnicas
da peça a ser produzida. 
Em sua maioria, a rebarbação é um processo manual, com grande exigência
física do trabalhador, onde o mesmo também é exposto à poeira de sílica oriunda do
jateamento de peças, fazendo com que o trabalhador se exponha a riscos
considerados graves.
Os riscos da atividade são variados pelas exposição a cavacos de ferro,
poeiras, fagulhas, granalhas de aço, queda e tombamento de peças, etc. (DAVANZO,
2013). 
Abaixo um fluxograma de um processo de fundição e a etapa de rebarbação
dentro do processo produtivo.
Fonte: (DAVANZO, 2013).
Abaixo o processo rebarbação, bem como as ferramentas utilizadas no processo.
Fonte: (DAVANZO,2013).
3. Ficha/Registro:
Área de atuação: Metalúrgica 
Cargo: Rebarbador
Função: Remover rebarbas de superfícies metálicas
Data da admissão: 01/04/2010
Turno de Trabalho: 3º TURNO 
Atividades desempenhadas: Retirar as rebarbas de peças metálicas 
fundidas, utilizando máquina esmerilhadora e
ferramentas de corte e polimento, para 
igualar e dar acabamento às suas 
superfícies. Examina a peça fundida, 
verificando seu formato, resistência e a 
existência de rebarbas, para escolher a 
ferramenta adequada à operação.
Riscos Ergonômicos: Postura inadequada, jornadas longas de 
trabalho, monotonia, esforço físico em 
excesso 
Equipamentos de proteção 
que faz uso:
Macacão, avental, botina de borracha, 
capacete, protetor auricular, luvas de 
proteção, óculos de proteção, respirador tipo 
P1
Equipamentos de proteção de 
deveriam ser utilizados:
 Macacão, avental, botina de borracha, 
capacete, protetor auricular, luvas de 
proteção, óculos de proteção, respirador tipo 
P1
Intervenção/ações que devem
ser desenvolvidas para
minimizar os acidentes:
Proteção coletiva (filtros de manga, ciclone e
ponte rolante) e individual descrito no item
anterior, indicadores de saúde do
trabalhador (exames auditivos, respiratórios
e clínicos), treinamentos.
Observações: Além dos riscos ergonômicos existem outros 
riscos ligados a função, sendo:
Físicos
Químicos
Biológicos
Acidentes
4. Plano de Ação (mínimo 4 ações): 
Objetivo (o que fazer): Implementar boas práticas
Justificativa: para despertar a conscientização dos colaboradores sobre condições 
de trabalho (segurança no trabalho, saúde, meio ambiente e qualidade).
ITEM ATIVIDADE 
(como)
RESPONSÁVEL
 (quem)
PRAZO
ESTIMADO
(quando)
CUSTO
(quanto)
LOCAL (onde)
1
Diálogo Diário de
Segurança
Técnicos em
SST e
Qualidade
120 dias
R$
3.129,00
Em todos os
setores no
início de cada
expediente (5
a 15min)
2 Treinamento com
ênfase na
atividade (NR-17)
Técnico em
SST
30 dias
R$
4185,00
Centro de
comunicação
e treinamento
Objetivo (o que fazer): Implementar modos de conscientizar os colaboradores
da importância do uso de Equipamentos de Proteção Individual e
Equipamentos de Proteção Coletiva
Justificativa: para garantir de fato a saúde segurança de todos os colaboradores e 
fazer com que os mesmos entendam que os EPIs e EPCs são de extrema 
importância pata a organização.
ITEM ATIVIDADE 
(como)
RESPONSÁVEL
 (quem)
PRAZO
ESTIMADO
(quando)
CUSTO
(quanto)
LOCAL (onde)
1
Treinamento
NR-06
Técnico em
SST
30 dias
R$
3.543,00
Centro de
comunicação
e treinamento
2
Comunicação
sobre o emprego
e importância dos
Equipamentos de
proteção coletiva
Técnico em
SST e
qualidade
30 dias
R$
1.789,00
Centro de
comunicação
e
treinamento,
murais, e-
pela organização
para redução dos
riscos 
(NR-04 E NR-09)
mails
3
Campanhas
educativas para o
uso de EPIs
(teatro, materiais,
cartilhas).
https://
www.cenicas.com.br/teatro-
treinamento
Técnicos em
SST,
Qualidade 45 dias
R$
4320,00
Centro de
comunicação
e
treinamentos,
murais
5. Mapa de Riscos 
MAPA DE RISCO Legenda 
Empresa: Bruder Metal Ltda. Pavilhão 3 Físico
Setor: Rebarbação Nº de colaboradores expostos 47
 
 
Químico
Biológico
Ergonômico
Acidentes
Grau de risco
Medida preventiva Gestão
EPIs EPCs
2020/2021
 Organização
 Utilização de protetor auricular
 Utilização de respirador
 Pausa para descanso
 Utilização de luvas
 Utilização de botinas de proteção
 Capacete
 Óculos incolor
 Filtro manga
 Ciclone
 Sinalizadores
 Piso antiderrapante Revisão 02
Fonte: adaptado de (MASTELLA, 2013).
Qual a relação Qualidade/Produtividade com a Segurança do Trabalho?
Grande
Pequeno
Médio
Existe uma relação muito forte se tratando de produzir com qualidade e a
segurança no trabalho, o trabalhador ele é patrimônio da empresa, logo se a SST não
for efetiva dentro de uma organização o trabalhador não conseguirá executar sua
função de maneira eficaz e logo o mesmo colaborador não é visto como patrimônio,
bem da empresa. Como futura técnica em qualidade defendo a ideia de que o
trabalhador necessita ser prioridade dentro de uma organização, se o mesmo não
está bem, ou até mesmo correndo riscos, a empresa também não vai bem perante
seus stakeholders (governo, sociedade, clientes, fornecedores, entre outros).
Basta pensarmos em como seria a história de uma empresa com graves
acidentes no trabalho, com colaboradores contaminados por químicos, por amputação
de membros, problemas de coluna, problemas psicológicos, etc, Enfim, seria um
desastre, essa empresa não conseguiria se manter competitiva no mercado, somaria
enormes indenizações trabalhistas e por fim fecharia suas portas. 
Complemento que a segurança no trabalho é uma importante estratégia de
produtividade e qualidade, sem ela ninguém ganha, todos perdemos.
Quais as consequências de um acidente de trabalho para empregado e para o
empregador?
O trabalhador sem sombra de dúvidas é o que adquire as piores
consequências quando o assunto é acidente de trabalho, é ele que precisa passar por
procedimentos médicos que muitas das vezes acaba sendo desgastante tanto
fisicamente quanto psicologicamente. Quando seu afastamento necessita ser maior
que 15 dias o mesmo deve passar por perícias, para comprovar sua incapacidade de
trabalhar e muitas