A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
apol 6 - HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANTIGA

Pré-visualização | Página 1 de 2

Questão 1/10 - História da Filosofia Antiga 
Leia o texto a seguir: 
“Para Anaximandro, a terra [...] se encontra no meio do cosmo [...] ele expõe que se a terra não cai é porque, 
estando a distância igual de todos os pontos da circunferência celeste, ela não tem mais razão de ir à direita 
e à esquerda, nem para cima e para baixo. Temos, pois, já uma concepção esférica do universo”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: VERNANT, Jean-Pierre. Mito e Pensamento entre os gregos: estudos de psicologia histórica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. p. 247-248. 
O texto acima se refere ao pensamento de um dos filósofos pré-socráticos: Anaximandro. De acordo com o 
livro-base Introdução à Filosofia Antiga, o primeiro período da filosofia grega pode ser chamado de 
cosmológico, pois: 
Nota: 10.0 
 
A oferece explicações racionais para os fenômenos da natureza ou do universo. 
Você acertou! 
“A palavra cosmologia é composta de duas outras: cosmos, que significa mundo ordenado e organizado, e logia, que vem da 
palavra logos, que significa pensamento racional, discurso racional, conhecimento. Assim, a Filosofia nasce como 
conhecimento racional da ordem do mundo ou da Natureza, donde, cosmologia”. (p. 67) 
 
B dedica-se às discussões sobre a organização das poleis (cidades-estado). 
 
C estuda principalmente as questões ligadas ao homem e às virtudes morais. 
 
D procura explicações sobrenaturais para os mais diversos eventos da natureza. 
 
E desenvolveu-se no período de expansão da cultura grega pelo mundo conhecido. 
 
Questão 2/10 - História da Filosofia Antiga 
Leia o texto a seguir: 
“51 – Eles não compreendem como, separando-se, podem harmonizar-se; harmonia de forças contrárias, 
como o arco e a lira. 
126 – O frio torna-se quente, o quente frio, o úmido seco e o seco úmido”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: HERÁCLITO. Fragmento 51 e 126. In: BORNHEIM, G. (Org.). Os filósofos pré-socráticos. São Paulo: Editora Cultrix, 1998. p. 39 e 43. 
Os fragmentos acima pertencem a Heráclito de Éfeso. De acordo com o livro-base Introdução à Filosofia 
Antiga, eles indicam a noção de que universo é constituído por: 
Nota: 10.0 
 
A um princípio, arkhé, associado à água e à umidade. 
 
B um conflito entre contrários que produz, no entanto, uma harmonia. 
Você acertou! 
A guerra, portanto, é considerada a grande geradora de todas as coisas existentes no cosmos e que, segundo nos descrevem 
Reale e Antiseri (2003), é também associada a um devir universal que se revela como harmonia dos contrários, como 
princípio, como arkhé, como Deus ou o divino. (p. 98-101) 
 
C uma guerra entre os diversos elementos em que triunfou o ar. 
 
D uma harmonia essencial estabelecida pelas divindades olímpicas. 
 
E um movimento conflituoso e destrutivo que tende para o nada. 
 
Questão 3/10 - História da Filosofia Antiga 
Leia o texto a seguir: 
“Pitágoras de Samos, que se tornou figura legendária já na própria Antiguidade, realizou uma modificação 
fundamental na religiosidade órfica”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: SOUZA, J. C. de. Os pré-socráticos. In: __________. Os pré-socráticos: fragmentos, doxografia e comentários. São Paulo: Abril Cultural, 1978. p. XXII. 
Conforme o livro-base Introdução à Filosofia Antiga, responda à questão: qual foi a transformação que 
Pitágoras introduziu no orfismo? 
Nota: 10.0 
 
A As práticas rituais deveriam estar voltadas para o culto do deus Dionísio. 
 
B A crença no ilimitado, o ápeiron, como fundamento de uma religiosidade racional. 
 
C A via de salvação não se encontrava mais no culto a Dionísio, mas na matemática. 
Você acertou! 
“Pitágoras realizou algumas modificações na religião órfica, sobretudo no tocante à questão acerca do que chamava de ‘via de 
salvação‘. Enquanto, no orfismo, essa via se concretizava pelo culto a Dionísio, para Pitágoras ela se tornava efetiva pela 
matemática”. (p. 104). 
 
D A ruptura com o culto a diversas divindades e a introdução do monoteísmo. 
 
E A noção de purificação religiosa não estava mais ligada à água, mas ao fogo. 
 
Questão 4/10 - História da Filosofia Antiga 
Leia o texto a seguir: 
“A tragédia nasce, observa com razão Walter Nestle, quando se começa a olhar o mito com olhos de cidadão. 
Mas não é apenas o universo do mito que, sob esse olhar, perde sua consistência e se dissolve. No mesmo 
instante o mundo da cidade é submetido ao questionamento e, através do debate, é contestado em seus 
valores fundamentais”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: VERNANT, J.-P. Tensões e Ambiguidades na Tragédia Grega. In: VERNANT, J.-P.; VIDAL-NAQUET, P. Mito e tragédia na Grécia Antiga I e II. São 
Paulo: Perspectiva, 1999. p. 10. 
O texto acima se refere ao período de efervescência cultural grega durante o século V a.C., que compreende, 
entre outras coisas, a tensão entre dois conjuntos de valores diversos. De acordo com o livro-base 
Introdução à Filosofia Antiga, responda à questão: qual é o papel exercido pelos sofistas neste momento 
histórico? 
Nota: 10.0 
 
A Eles são os principais responsáveis pela manutenção da cultura e da tradição míticas. 
 
B Eles representam a ruptura com os valores aristocráticos e a ascensão dos ideais democráticos. 
Você acertou! 
“Os sofistas desempenharam um papel importante para a juventude grega. Com os sofistas, a areté (virtude) aristocrática – na 
qual o bom era o forte – cede espaço a uma virtude do cidadão, que garante o direito de todos os homens livres de participar 
dos debates políticos. Os sofistas elaboram também uma nova forma de paideia (educação), capaz de superar os ideais 
aristocráticos, na qual a retórica desempenharia um papel central na formação do povo grego”. (p. 127) 
 
C Eles criticam a organização democrática e promovem o ideal do sábio desligado da sociedade. 
 
D Eles lideram o processo de ruptura com o discurso mítico, dedicando-se ao estudo da phýsis. 
 
E Eles defendem a transformação da cultura em virtude do contato com os povos orientais durante o helenismo. 
 
Questão 5/10 - História da Filosofia Antiga 
Leia o texto a seguir: 
“Aristóteles estabelece o sistema do saber, […] de todas as ciências ligada a um princípio comum: unidade, 
necessidade, finalidade, ordem hierárquica imutável que vai do Primeiro Motor imóvel à esfera dos corpos 
celestes, ao mundo sublunar, onde o acaso interfere, a toda variedade de espécies que habitam este 
planeta, diferentes e contínuas, até a matéria indeterminada e passiva”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: STIRN, François. Compreender Aristóteles. Petrópolis: Vozes, 2006. p. 46. 
De acordo com o livro-base Introdução à Filosofia Antiga, a principal preocupação dos filósofos do período 
sistemático era: 
Nota: 10.0 
 
A encontrar explicações científicas e rigorosas para os fenômenos da natureza. 
 
B sistematizar as ciências dos povos com os quais os gregos tiveram contato. 
 
C descobrir o princípio (arkhé) mais adequado para a organização política. 
 
D investigar a natureza e a aplicação das virtudes morais na vida cotidiana. 
 
E organizar teoricamente os diferentes tipos de saber e seus respectivos objetos. 
Você acertou! 
O período sistemático tem início no final do século IV a.C. e vai até o final do século III a.C., quando os filósofos buscam 
organizar e sistematizar tudo o que foi produzido nos períodos anteriores. A principal preocupação dos filósofos nesse 
período é mostrar que tudo se transforma em objeto de estudo da Filosofia. (p. 71) 
 
Questão 6/10 - História da Filosofia Antiga 
Leia o texto a seguir: 
“Perguntaram-lhe [Diógenes de Sinope] o que ganhava com a filosofia, e a resposta foi: ‘No mínimo, estar 
preparado para enfrentar todas as vicissitudes da sorte’. Interrogado sobre sua pátria, respondeu: ‘Sou