A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Fecundação e tipos de placenta em animais domésticos

Pré-visualização | Página 1 de 1

ç
 
Passos: 
1. ovulação de oócitos primários 
2. após 3 dias surge o oócito secundário, o qual estará apto para ser 
fertilizado em até 4 dias 
3. a fertilização ocorre nas trompas uterinas distais e resulta na formação do 
zigoto 
4. divisão do zigoto resulta na mórula 
5. a mórula chega no corpo do útero 9 dias após a ovulação (geralmente no 
diestro, a cérvix já está fechada e o útero pronto para receber) 
6. formação do blastocisto 
7. formação das membranas fetais, a partir da camada externa de células 
do blastocisto e o embrião a partir da camada interna 
8. por volta do dia 16, a zona pelúcida é perdida, permitindo o 
desenvolvimento do embrião em tamanho 
9. o embrião cresce e se movimenta livremente nos cornos uterinos 
10. ocorre a nidação - implantação do embrião com os anexos fetais no 
endométrio, 21 dias após a ovulação e desenvolvimento da placenta 
11. no dia 35 ocorre a constrição, as vesículas embrionárias ficam próximas 
e com o crescimento do embrião, elas deixam de existir 
12. a organogênese ocorre a partir do 35 dia, o embrião se torna feto e 
começa a crescer 
 
 
 
Anexos fetais: 
• Saco vitelínico: fornece nutriente nos primeiros momentos - até a 
formação do cordão, que ocorre na nidação 
• Âmnio: dentro dos anexos - fornece ambiente líquido que protege o 
embrião e permite o desenvolvimento e movimentação do mesmo. 
Formado por saliva, secreção nasal, fetal e urina (até a formação do 
alantóide). Tem consistência mucosa, cor esbranquiçada e é o segundo 
anexo que rompe no parto 
• Alantóide: urina embrionária - maior bolsa que faz proteção ao embrião. 
Tem cor amarelo escura e é aquosa - primeiro líquido que extravasa 
• Córion: mais externo, recebe as excretas
 
Funções dos líquidos fetais: 
• Protege o feto contra traumatismo, desidratação e variação de 
temperatura 
• Permitir o crescimento do feto e seus movimentos sem prejudicar o útero 
• Promover dilatação da cérvix, vagina e vulva durante o parto (com ação 
do estradiol) 
• Aumentar a lubrificação da vagina após o rompimento das bolsas, 
facilitando a passagem do feto 
• Inibir o crescimento bacteriano por sua ação mecânica de limpeza 
• Prevenir aderências 
⭆quando ocorre a absorção dos líquidos por parte do feto, ocorre anasarca; 
quando ocorre a perda dos líquidos, ocorre a mumificação⭅ 
 
Placenta: 
União do alantocórion com o revestimento do útero; seu desenvolvimento ocorre 
a partir do 21 dia após a fecundação, com a nidação 
• Placentação: justaposição das vilosidades do córion fetal com as criptas 
da mucosa uterina 
• Função: respiração, nutrição, filtração, secreção interna (progesterona), 
imunoproteção 
 
1. Tipo: 
• Semi-placenta ou incompleta: não há expulsão ou deslocamento do tecido 
materno na hora do parto, os anexos fetais estão fortemente aderidos na 
parede uterina 
o adeciduados - equídeos, suínos e ruminantes 
• Completa ou verdadeira: a placenta sai com o feto e leva parte do útero 
que estava aderida, causando hemorragia - tem maior intimidade entre os 
tecidos materno e fetal 
o deciduados - primatas, roedores e quirópteros 
2. Forma: 
• Difusa: inúmeros folículos espalhados pela superfície uterina de igual 
número de vilos no córion; todo o córion e endométrio participam da 
placentação 
o equinos, suínos, hipopótamo, camelídeos e cetáceos 
 
• Cotiledonar: as vilosidades coriônicas ficam agrupadas em cotilédones - 
a cada cotilédone tem uma carúncula no útero correspondente; a junção 
carúncula e cotilédone forma o placentônio. As carúnculas das vacas são 
convexas e das cabras e ovelhas são côncavas 
o ruminantes 
 
• Zonária: as vilosidades ficam em forma de anel ou cinta que envolvem o 
feto transversalmente. Nas bordas da placenta forma o hematoma 
(quando ocorre invasão do trofoblasto no endotélio) - em cadelas o 
hematoma é verde 
o carnívoros, foca, elefanta, lontra 
 
• Discoidal: tem forma de disco, aderida ao útero em algumas regiões 
o primata, roedor, quirópteros e lagomorfos 
 
 
3. Histologia: 
Barreiras placentárias: endotélio capilar materno, tecido conjuntivo da mucosa 
uterina, epitélio da mucosa uterina; epitélio do córion, tecido conjuntivo do córion 
e endotélio do capilar fetal 
• Epiteliocorial: o epitélio do córion tem contato com o epitélio uterino - 
possui as 6 barreiras 
o égua, porca, marsupiais e cetáceos 
• Sindesmocorial: o epitélio do córion tem contato com o tecido conjuntivo 
uterino - possui 5 barreiras 
o ruminantes 
• Endoteliocorial: o epitélio do córion fica em contato com os capilares 
maternos; na margem da zona placentária os vasos sanguíneos rompem 
e o sangue fica na periferia, causando o hematoma marginal - possui 4 
barreiras 
o carnívoros 
• Hemocorial: o epitélio do córion entra em contato direto com o sangue 
materno - possui 3 barreiras 
o primatas, roedores e quirópteros