A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Retratamento endodôntico

Pré-visualização | Página 1 de 1

Clínica IV 
Condições clínicas: (como o paciente chega ao consultório) 
Sintomatologia 
Condição periodontal 
Restauração coronária 
Qualidade da obturação 
Presença de lesão periapical 
 
Definição do retratamento 
Consiste na realização de um novo tratamento, seja porque o tratamento anterior fracassou ou, 
simplesmente, porque se deseja fazer um tratamento mais correto ou adequado, principalmente nos 
casos em que surgiu a necessidade dos elementos dentários serviram de suporte a trabalhos protéticos. 
 
Critérios clínicos de sucesso 
- Acompanhamento por pelo menos 1 ano ou mais (quando existe lesão prévia, para ver se existe a 
regressão da lesão) 
- Ausência de sintomatologia, edema ou outros sintomas 
- Ausência de fístula 
- Manutenção da função 
- Evidência radiográfica de normalidade do espaço do ligamento periodontal 
 
* O sucesso é comprometido em um retratamento, de acordo com a literatura, mais do que no 
tratamento inicial. 
 
Etiologia do fracasso endodôntico 
- Fatores microbianos 
- Fatores não microbianos 
Fatores microbianos 
Infecções intrarradiculares secundária/resistentes 
Procedimentos de desinfecção > seleção > microrganismos resistentes 
(maioria enterococcus fecalis, gran negativos e anaeróbios facultativos, que é uma microbiota que 
sobreviveu ao preparo químico mecânico, a medicação intracanal e a obturação, conseguindo 
sobreviver em um ambiente desfavorável, após o retratamento) – questão de prova!! 
* A microbiota de canais radiculares com insucesso é caracterizado por monoinfecções com número 
limitado de microrganismos com predominância de anaeróbios facultativos. 
 
Infecção extrarradicular 
São originadas usualmente de uma infecção intrarradicular que se estendeu para os tecidos 
perirradiculares. 
Para remover esse biofilme perirradicular é necessário uma cirurgia parendodontica. 
 
Fatores não microbianos 
- Imprecisão no diagnóstico 
- Dificuldades anatômicas (ex: canal em C, raíz supranumerária) 
- Iatrogenias 
 
Quando considerar o retratamento endodôntico? 
Critérios que indicam o retratamento de canais radiculares 
1. Sinais: 
- Presença de fístula 
2. Sintomas: 
- Dor espontânea 
- Dor à palpação 
- Sensibilidade ao toque 
3. Radiográficos 
- Observar se o tratamento está adequado, se existem falhas, se há lesão periapical, fraturas, algum canal 
não obturado) 
4. Tratamento restaurador 
- Se é necessário trocar a restauração/coroa. Se o tratamento endodôntico ficou exposto ao meio oral. 
 
Situações clínicas – tomada de decisão 
** Endodontia inadequada 
Sem sinais e sintomas 
Com lesão periapical 
Restauração inadequada ou ausente (tratamento endodôntico exposto por 6 meses) 
RETRATAMENTO 
Obs: Quando o canal fica exposto por mais de 7 dias, não há garantia que esteja descontaminado, por isso 
deve-se realizar o retratamento. 
** Endodontia inadequada 
Sem sinais e sintomas 
Restauração adequada 
Com lesão periapical 
RETRATATAMENTO 
 
** Endodontia inadequada 
Sem sinais e sintomas 
Sem lesão radiográfica 
Presença de lâmina dura 
NÃO FAZ RETRATAMENTO 
 
** Adequado CT 
Adequada obturação 
Sem lesão periapical 
NÃO FAZ RETRATAMENTO 
 
 Adequada obturação 
 Com lesão periapical 
 Com sinais e sintomas 
 Prótese + pino adequados (investimento recente do paciente) 
 
Retratar ou não? 
1. Tempo do tratamento endodôntico 
2. Boa anamnese e exame clínico – indicar cirurgia parendodôntica 
 
Contraindicações do retratamento 
Recuperação funcional comprometida: 
- Impossibilidade de reabilitação coronária 
- Comprometimento periodontal (muita perca de inserção óssea) 
 
Passos para retratamento 
1. Acesso aos canais radiculares 
2. Remoção do material obturador 
3. Reinstrumentação e obturação 
 
1. Remoção de restaurações complexas com ou sem núcleos metálicos 
- Desgaste: brocas transmetal e esféricas (basicamente a remoção é feita através das brocas) 
- Ultrassom 
- Tração 
- Combinação dos 3 acima 
 
2. Remoção do material obturador 
Através das técnicas: 
Manual (que não é mais utilizada atualmente) 
Manual/mecânica 
Mecânica (motores endodônticos) 
 
Técnica manual – mecânica (mais utilizada na clínica da faculdade) 
- São utilizadas limas tipo Kerr (parte ativa quadrangular, e é mais cortante) limas tipo Hedstroem (parte 
ativa triangular, que ajuda a refinar as paredes após remover o material) 
- Terço apical: remoção da guta-percha manualmente 
- Gattes: trabalham só na porção reta do canal (terço cervical e médio) 
- Terço apical é exclusivamente com limas manuais 
 
Solventes 
Clorofórmio 
Xilol 
Eucaliptol (usado na clínica) 
Óleo de laranja 
Outros 
** Evitar no terço apical, para que não extravase 
 
3. Reinstrumentação e obturação 
Novo limite longitudinal e transversal de ampliação 
- O antigo instrumento memória é o novo DA 
 
4. Obturação 
Qual o momento da obturação em um retratamento? 
- Dente assintomático 
- Canal devidamente instrumentado 
- Remoção de todo material obturador antigo 
- Canal seco 
 
5. Selamento coronário 
Recontaminação microbiana em 19 a 60 dias (no entanto, recomenda-se que todo dente que ficou com uma 
cavidade aberta a partir de 7 dias expondo o tratamento endodôntico já deve ser retratado) 
 
 
Restauração provisória 
 
- Não protegem o remanescente dental das forças oclusais 
- Não possuem resistência ao desgaste nem à fratura 
- Pouca habilidade em prevenir microinfiltração coronária 
 
O sucesso do retratamento endodôntico depende 
- Respeito aos princípios biológicos 
- Seguir princípios de uma técnica de modelagem 
- Escolher uma boa substância química auxiliar 
- Obturação endodôntica 
- Restauração do acesso coronário