A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
DIREITO ADMINISTRATIVO REVISÃO

Pré-visualização | Página 4 de 9

NOMEAÇÃO – PODER ORIGINÁRIO - é a forma de entrada no serviço público que 
pode acontecer de modo efetivo, comissionado ou por contrato. 
O servidor efetivo é nomeado após a sua aprovação e classificação dentro do 
número de vagas no concurso público. Depois, precisa cumprir e ser aprovado 
no estágio probatório para ter estabilidade no cargo. 
Agora, em relação à nomeação comissionada, não é preciso ter a aprovação em 
concurso público, pois se trata de cargo de confiança, em que há a livre designação 
e exoneração. 
https://concursos.adv.br/aprovado-numero-vagas-direito-a-nomeacao/
https://concursos.adv.br/aprovado-numero-vagas-direito-a-nomeacao/
https://concursos.adv.br/estagio-probatorio/
https://concursos.adv.br/regime-estatutario/
https://concursos.adv.br/diferenca-exoneracao-e-demissao/
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
Nos cargos contratados, existe um processo simplificado de contratação, às vezes, é 
feito apenas com análise de currículo. No entanto, o prazo do contrato tem um prazo 
certo para acabar. Exemplos: profissionais da saúde, professores e recenseadores 
do IBGE. 
PROMOÇAO – PODER DERIVADO - As promoções no serviço público estão 
ligadas a mudança de cargo ou função dos servidores. É comum acontecer em 
cargos de menor complexidade para assumir novas funções. 
Em geral, essas promoções ocorrem em razão do tempo de serviço, por mérito ou 
para assumir função de confiança. No entanto, no órgão ou empresa pública, precisa 
ter previsão do plano de carreira e salários. 
APROVEITAMENTO – PODER DERIVADO - servidor público foi colocado em 
disponibilidade – com remuneração conforme o tempo de serviço – acharam o 
que fazer para o sujeito = aproveitamento. Retorna a atividade do servidor que 
estava em disponibilidade. 
Às vezes, pode acontecer de algum cargo ser extinto (exemplo: datilógrafo), mesmo 
assim, o servidor não pode ser demitido. Nesse caso, pode ser reaproveitado para 
um novo cargo. 
Essa mudança pode acontecer para outro órgão público, com outras atribuições, 
mas mantendo a remuneração do cargo de origem. 
Um dos principais requisitos para que aconteça essa mudança de cargos, é que o 
servidor já tenha adquirido a estabilidade no serviço público. 
Art. 30 Lei 8112. O retorno à atividade de servidor em disponibilidade far-se-á 
mediante aproveitamento obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos 
compatíveis com o anteriormente ocupado. 
Art. 31. O órgão Central do Sistema de Pessoal Civil determinará o imediato 
aproveitamento de servidor em disponibilidade em vaga que vier a ocorrer nos 
órgãos ou entidades da Administração Pública Federal. 
Parágrafo único. Na hipótese prevista no § 3o do art. 37, o servidor posto em 
disponibilidade poderá ser mantido sob responsabilidade do órgão central do 
Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC, até o seu adequado 
aproveitamento em outro órgão ou entidade. (Parágrafo incluído pela Lei 
nº 9.527, de 10.12.97) 
https://concursos.adv.br/diferencas-emprego-cargo-funcao/
https://concursos.adv.br/regime-estatutario/
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9527.htm#art1
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9527.htm#art1
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
Art. 32. Será tornado sem efeito o aproveitamento e cassada a disponibilidade se o 
servidor não entrar em exercício no prazo legal, salvo doença comprovada por junta 
médica oficial. 
READAPTAÇÃO – PODER DERIVADO - antes de aposentar por invalidez é 
necessário readaptar. Nãosendo possível a readaptação aí sim se verifica a 
possibilidade da aposentadoria por invalidez. 
Reversão 
1ª hipótese – aposentadoria por invalidez - não ocorreu a possibilidade de 
readaptação e ocorreu a aposentadoria por invalidez – contudo cessaram os 
motivos da invalidez – existindo a possibilidade da volta ao serviço 
2ª hipótese – aposentadoria voluntária - possibilidade de o aposentado voltar 
ao trabalho – ele pode pedir para voltar – prazo de 05 anos para provimento da 
desaponsentadoria tem que ser do interesse da administração pública – ocorre 
a volta através da reversão. 
A readaptação é feita quando o servidor público adquire alguma doença, ou sofre 
um acidente, que o deixa incapacitado de maneira física ou mental para exercer o 
seu cargo de origem. 
No entanto, se o servidor recuperar a sua capacidade de trabalho, mas tiver 
limitações para o exercício do mesmo cargo, ele deve ser readaptado para exercer 
as novas atividades de acordo com a sua condição. 
Para isso, o servidor precisa passar por uma análise da junta médica, incluindo 
profissionais de diferentes áreas. Assim, será feita uma avaliação e emitido um 
laudo sobre a incapacidade do servidor. 
Art. 24 Lei 8112. Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições 
e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua 
capacidade física ou mental verificada em inspeção médica. 
§ 1o Se julgado incapaz para o serviço público, o readaptando será aposentado. 
§ 2o A readaptação será efetivada em cargo de atribuições afins, respeitada a 
habilitação exigida, nível de escolaridade e equivalência de vencimentos e, na 
hipótese de inexistência de cargo vago, o servidor exercerá suas atribuições como 
excedente, até a ocorrência de vaga. (Redação dada pela Lei nº 9.527, de 
10.12.97) 
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9527.htm#art1
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9527.htm#art1
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
REVERSÃO – PODER DERIVADO 
O servidor público pode trabalhar até os 70 anos, depois disso, é aposentado de 
forma compulsória. 
Porém, o servidor que atingir os requisitos e pedir a aposentadoria de maneira 
voluntária (antes dos 70 anos), se quiser, pode optar pelo retorno ao trabalho. 
Esse pedido de retorno deve ser feito em até 5 anos após a liberação da 
aposentadoria. Além de ter 70 anos ou menos de idade. Ainda, precisa ter interesse 
e vaga no órgão público para atender ao pedido do servidor. 
Também, pode acontecer a reversão da aposentadoria por invalidez, quando houver 
uma revisão do benefício e for identificado pela junta médica que não existe mais a 
incapacidade. 
Art. 25. Reversão é o retorno à atividade de servidor aposentado: 
 (Redação dada pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001) 
I - por invalidez, quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da 
aposentadoria; ou (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 
4.9.2001) 
II - no interesse da administração, desde que: (Incluído pela Medida 
Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001) 
a) tenha solicitado a reversão; (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, 
de 4.9.2001) 
b) a aposentadoria tenha sido voluntária; (Incluído pela Medida Provisória 
nº 2.225-45, de 4.9.2001) 
c) estável quando na atividade; (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-
45, de 4.9.2001) 
d) a aposentadoria tenha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação; 
 (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001) 
e) haja cargo vago. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 
4.9.2001) 
§ 1o A reversão far-se-á no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua 
transformação. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 
4.9.2001) 
https://concursos.adv.br/aposentadoria-servidor-publico/
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/MPV/2225-45.htm#art2