A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Resumo Valvopatias

Pré-visualização | Página 1 de 1

CONCEITOS GERAIS 
As estenoses são sobrecarga de pressão, devido falha de abertura. •
As insuficiências são sobrecarga de volume, devido falha de fechamento. •
Pacientes com insuficiência possuem poucos sintomas porque o coração se adapta •
melhor. 
 
ANATOMIA VALVA MITRAL 
Dos músculos Papilar saem as tendineas que se prendem na borda dos folhetos mitrais. •
Durante sístole a valva fecha e diastole abre. •
 
INSUFICIÊNCIA MITRAL 
Na sístole, há uma incompetência do fechamento da valvula. •
Sobrecarga de volume. •
Causas orgânicas (anatômicas): •
Doença Reumática ◦
Endocardite Infecciosa ◦
Deformidade do Anel -IC ◦
Degeneração Mixomatosa (mutação genética que produz colágeno inadequado) ◦
Doenças do Colágeno ◦
Trauma ◦
Causas funcionais: •
Doença Arterial Coronariana - IAM ◦
Cardiomiopatia Hipertrófica ◦
Cardiomiopatia Dilatada ◦
Dilatação Atrial Esquerda ◦
Fisiopatologia: •
Sobrecarga de volume ao AE na sístole. ◦
Sobrecarga de volume ao VE na diástole. ◦
No início há aumento do débito cardíaco (fração de ejeção) por uma adaptação do ◦
músculo. Porém, com o tempo, o coração aumenta de tamanho, há perda do 
mecanismo compensatório e do débito cardíaco. Surgem sintomas congestivos 
pulmonar - maior sintoma. 
Quadro clinico: •
Ictus Cordias desviado. ◦
B3 ◦
Exames Complementares •
Ecodopplercardiograma ◦
Cateterismo para tirar dúvidas ◦
Tratamento: cirúrgico, tratamento da IC, plástica/troca valvar. •
 
SOPRO SISTOLICO COENCIDE COM O PULSO. 
 
ESTENOSE MITRAL 
Redução da area valvar levando a formação de um gradiente de pressão entre o AE e VE. •
Mais comum no sexo feminino - 2/3 dos casos. •
Causas: •
Doença Reumática ◦
Congênita ◦
Calcificação do anel ◦
Endocardite Infecciosa ◦
Mixoma Atrial ◦
Trombo Atrial ◦
Fisiopatologia: •
Doença reumática causa hipertensão. ◦
Há uma fusão comissuras, espessamento de cúspides e calcificação. ◦
Redução da area de evacuação do sangue. ◦
Aumento da pressão no AE. ◦
Aumento da pressão na circulação pulmonar. ◦
Quadro clinico: •
Quadro crônico. ◦
Sintomas de IC. ◦
Palpitações ao esforço, fibrilação atrial. ◦
Efeito de massa, rouquidão e disfagia - Síndrome de Ortner. ◦
Fenômenos Tromboembólicos - episódios de embolia arterial - AVC tromboembolico. ◦
Sinais físicos (deitado em decúbito lateral esquerdo) •
Turgência Jugular ◦
Levantamento sistolico ◦
Soprologia - sopro diastólic ◦
Hepatomegalia ◦
Exames Complementares: •
ECG ◦
Ecodoppler ◦
Complicações: •
Fibrilação Atrial ◦
Fenômenos Tromboembólicos ◦
Endocardite Infecciosa ◦
Tratamento: •
Profilaxia da FR e EI ◦
CF II - acompanhamento anual ◦
CF III e IV - investigar causas secundárias de descompensação, com tratamento ◦
intervencionista ou cirúrgico. 
 
ANATOMIA VALVA AORTICA 
3 folhetos em formato meia lua •
Coronariano Direito ◦
Coronariano Esquerdo ◦
Folheto Posterior ◦
 
ESTENOSE AÓRTICA 
 
INSUFICIÊNCIA AORTICA 
Incapacidade ou falha na coaptação dos folhetos, provocando refluxo de sangue da aorta •
para o VE durante a diastole. 
Sobrecarga de volume, assim como na insuficiência mitral. •
Causa insuficiência mitral e cardiomegalia. •
Na IAO aguda há descompensamento brusco. •
Quadro Clínico: pressões divergentes, fadiga, tontura, dispneia aos esforços, ortopneia. •
Exame físico (os sinais): •
Sinal de Hill ◦
Pulso de Corrigan: elevação ampla e colapso abrupto. ◦
Pulso Bisferens: dois picos sistólicos. ◦
Sinal de Musset: paciente com IC mexe a cabeça conforme o batimento cardíaco. ◦
Sinal de Müller: pulsação da uvula junto com os batimentos cardíacos. ◦
Sinal de Quincke: ◦
Sinal de Traube: ruído sistolico e diastólica audíveis na artéria femural. ◦
Sinal de Duroziez: sopro na artéria femural. ◦
Ausculta: •
B2 hipofonética ◦
B3 em disfunção ventricular. ◦
Sopro protodiastólico aspirativo. ◦
Quanto maior a duração do sopro, maior a gravidade. ◦
Mais audível quando paciente está sentado e voltado pra frente. ◦
Exames Complementares: •
Ecocardiograma - padrão ouro. ◦
Cateterismo: ◦
RNM Cardíaca- indicado quando há duvida quanto ao grau de fibrose. ◦
Tratamento: •
Vasodilatadores, IECA, BRA. ◦
Cirúrgico: IAo agudagrave com sintomas limitantes e ou disfunção sistólica do VE - ◦
FEJ <50%. 
Implantes de Valva Aórtica Transcateter (TAVI) ‣