A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
PERIODONTIA

Pré-visualização | Página 1 de 2

Periodontia
Anatomia e Histologia do Periodonto 
Periodonto de proteção:
Gengiva marginal livre
· Borda da gengiva ao redor dos dentes em forma de colar
· Forma a parede do tecido mole do sulco gengival e pode ser separada da superfície dental com uma solda periodontal
· Forma o sulco gengival e papila interdental 
Sulco Gengival
· Forma de V e mal permite a entrada de uma sonda periodontal
· 2 a 3mm
· O sulco gengival é formado quando o dente erupciona na cavidade oral; 
Gengiva Inserida
· É em direção à coroa
· Localizada apicalmente em sentido a junção mucogengival
· Limitada pela ranhura gengival
Gengiva Interdental
· Determinada pela relação de contato entre os dentes
· Preenche as ameias interdentais
· Constituída de gengiva marginal e gengiva inserida
Epitélio do Sulco
· Pouca presença de cristas e papilas do tecido conjuntivo
· Fica voltado para o dente e não entra em contato com a superfície
· Pavimentoso, estratificado e queratinizado
Epitélio Juncional
· Promove contato com a superfície do dente;
· Não possui presença de cristas e papilas
· Abaixo do sulco, até onde começam as fibras inseridas
· Escamoso, estratificado e não queratinizado
Fluido gengival
· Líquido que flui pelo sulco gengival
Fibras gengivais
· Fibras colágenas
· Fibras elásticas
· Fibras oxitalânicas
· Fibras reticulares
Periodonto de sustentação
· Ligamento periodontal
· Cemento radicular
· Osso alveolar
Ligamento periodontal
· É o tecido conjuntivo frouxo que circunda a raiz do dente, une o cemento radicular à lâmina dura do osso alveolar
· Tem forma de uma ampulheta;
· Mais estreito no nível médio do terço médio da raiz;
· Tecido conjuntivo não mineralizado.
Função: Permite mobilidade dentária.Permite que forças mastigatórias sejam distribuídas durante a mastigação. Fixar o dente ao osso;
Cemento Radicular
· Tecido mineralizado 
· das coroas dos dentes.
· Contém fibras colágenas na matriz orgânica;
· Não tem vasos sanguíneos ou linfáticos (avascular);
· Não tem inervação;
· Não sofre remodelação e reabsorção
Função: Inserir as fibras do ligamento periodontal na raiz.
Osso Alveolar
· Porção da maxila e da mandíbula que formam e suportam os alvéolos dentários
· Em conjunto com o cemento radicular e o ligamento periodontal, constitui o aparelho de inserção dos dentes
· A principal função do aparelho de inserção é distribuir e absorver as forças geradas pela mastigação.
Instrumentos Periodontais
Possuem finalidades específicas
· Soldar bolsas periodontais
· Remove cálculo
· Alisa superfície radicular
· Remoção de tecido de granulação
· Remove e remodela tecido ósseo
Características gerais
Todos os instrumentos tem 3 partes básicas:
· Cabo
· Haste
· Ponta ativa
Sonda periodontal
· Medir a profundidade da bolsa e determina sua forma e detecta cálculo
· Instrumento tronco-cônico calibrado em milímetros.
· Fina com haste angular para permitir introdução fácil 
· Sonda periodontal de Nabers: Formato específico para áreas de bifurcações.
Exploradores
· Detecta cálculos, cáries, irregularidades, que possa estar na superfície.
Instrumentos para RAR 
· Remoção de biofilme e depósitos calcificados na coroa e na raiz do dente.
· Foice, enxada, lima e cinzéis
Enxada
· Raspagem supragengival e subgengival
· Remoção de cálculos salientes e em blocos
· lâmina com angulação de 90 a 100 graus
· Ponta com bisel de 45 graus
· Ângulo de corte reto
· Não apresenta boa adaptação
· Sensibilidade tátil diminuída
Foice
· Raspagem supragengival
· Remoção de grande massa de cálculo
· 2 ângulos de corte
· Reta/curva
· Não se adapta a concavidade radicular
· Não promove aplainamento radicular
· Promove distensão tecidual
Limas
· Raspagem sub e supragengival
· Fratura grande massas de cálculo
· Angulação da lâmina varia de 90 a 105 graus
· Formato: oval, redondo, retangular
· Laceração tecidual
· Fratura o cálculo mas não remove
· Sensibilidade táctil diminuída
· Falta de adaptabilidade
Curetas
· São utilizadas para eliminação de pequeno e grandes acúmulos de cálculo e aplainamento radicular
Curetas universais X Específicas
Universais: Pontas ativas que podem ser inseridas na maioria das áreas de dentição.
· Raspagem supra-gengival/ ligeiramente subgengival
· Dois ângulos de corte
· Lâmina de 90 graus
· Lâmina curva em único plano
Curetas MCCALL
· 13 - 14: Dentes anteriores
· 17- 18: Dentes posteriores
Curetas de Gracey
· Desenhada para uso específico
· Raspagem sub e supra
· Um único Ângulo de corte
· Não promove injúrias no tecido
· Remove qualquer vestígio de cálculo ou superfície radicular
· 1-2-3-4: Dentes anteriores
· 5-6: Anteriores e prés
· 7-8-9-10: F.Lisas de dentes posteriores
· 11-12:F.Mesiais de dentes posteriores
· 13-14: F. distais de dentes posteriores
Curetas especiais
· After-five: Extremidade mais longa (+3mm)
· Mini-five: Cureta com lâmina 50% menor
Instrumentos para limpeza e polimento
· Taças de borracha
· Tiras de lixa
· Pastas profiláticas
· Pedras montadas
· Jatos abrasivos
 
Raspagem Supragengival: Até 1 mm dentro da gengiva desde que não perfure o epitélio juncional
· Visibilidade direta
· Cálculo menos retentivo e menos calcificado
· Liberdade de movimento de raspagem
Raspagem subgengival:
· Cálculo mais calcificado e retentivo sendo mais difícil remoção
· Direção de movimento de raspagem são limitados pelo tecido
· Não há visibilidade direta
Etiopatogenia das doenças periodontais
· A patogênese da doença periodontal é determinada pela interação entre o desafio microbiano e a resposta do hospedeiro. Essa interação determina características da doença.
Gengivite: É uma inflamação restrita ao periodonto de proteção na maioria das vezes por agressão microbiana gerando uma resposta imunoinflamatória.
· Destruição reversível
· Restrita ao tecido mole
Periodontite: É uma inflamação crônica que pode levar a destruição dos tecidos de suporte, através de uma resposta imunoinflamatória.
· Destruição irreversível
· Perda de inserção (Destruição tecidual + reabsorção óssea)
Evolução da doença periodontal
· Progressão da doença periodontal e inicialmente restrita ao tecido gengival não há perda óssea com o passar do tempo com o acúmulo de biofilme e em conjunto da inflamação dá a reabsorção óssea
Biofilme
· Uma comunidade microbiana relativamente indefinida associada à superfície do dente ou qualquer outro material.
· Biofilme protege efetivamente as bactérias dos agentes antimicrobiano
E
Fatores etiológicos
· Fatores determinante: É imperativo para que a doença ocorra
· Fatores predisponentes: Interferem direta ou indiretamente na retenção da placa
· Fatores modificadores: Agem modificando o curso da doença podendo piorar ou proteger e podem ser locais ou ambientes sistêmicos
Início da progressão da doença
Acúmulo de biofilme: Gengivite
Acúmulo de biofilme: Gengivite e biofilme
Lesão inicial ( Corresponde ao tecido gengival saudável) Placa 24 horas.
· Dilatação de arteríolas capilares e vênulas no local
· Aumento da pressão hidrostática
· Presença da proteína plasmática
· Se o biofilme não for removido de 2 a 4 dias já teremos lesão precoce
Lesão precoce ( Gengivite precoce que é evidente clinicamente) Placa de 1 semana
· Os vasos sanguíneos permanecem dilatados
· Maior predomínio de PMN e linfócitos
· Quantidade muito pequena de plasmócitos
· Degeneração de fibroblastos - Apoptose.
Clinicamente: Gengivite clinicamente estável
Lesão estabelecida ( Corresponde a gengivite estabelecida crônica) Após 10 a 20 dias
· Intensificação do estado inflamatório
· Os plasmócitos começam a predominar nesse tipo de lesão
· Continua há ocorrer a perda de colágeno
· Epitélio juncional não vai estar mais firmemente aderido ao epitélio
Clinicamente: Gengivite clinicamente estável
Lesão avançada ( Marca a transição da gengivite para periodontite) Características da periodontite
· Expansão do epitélio em direção apical
· Maior aprofundamento da bolsa
· Destruição do osso alveolar, danos às fibras, migração apical do epitélio juncional.
Fatores locais:
· Tabagismo
· Medicamentos (anticonvulsivantes)
Condições