A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
RELATÓRIO DE EXTENSÃO PRONTO

Pré-visualização | Página 3 de 6

Este projeto contextualiza o tema apontando a importância das brincadeiras e atividades lúdicas na educação infantil, destacando o desenvolvimento nos aspectos cognitivos, neurológicos, psicológicos e culturais.
 Toda a pesquisa foi baseada em livros da Faculdade Internacional Uninter (pedagogia do movimento universo lúdico e psicomotricidade), artigos do google acadêmicos, vídeos do youtube e experiência profissional e vivências como mãe de três filhos decidir escrever esse projeto e contar a história do lúdico e quanto é importante as atividades lúdicas na infância.
 O ato de brincar é tão antigo quanto o próprio homem, pois sempre manifestou uma tendência lúdica, isto é, um impulso para o jogo. Alguns dizem que o jogo não se limita apenas à humanidade pois acreditava que já era praticado por alguns animais. 
Desde 1300 a 1700 considerada na Era Medieval, as crianças eram vistas como um adulto em miniatura e assim então realizavam as mesmas tarefas que de um adulto, não existia infância e tão pouco brincadeiras e muito menos ensinamentos referentes a educação, somente afazeres domésticos para meninas, assim como para as mulheres, e afazeres braçais para meninos, assim como para os homens. Entretanto essa visão mudou quando pensadores como Platão (347 a.c ) e FROEBEL(1896-1934) registraram seus pensamentos em que as crianças precisavam de educação e cuidados, pois não estavam maduros o suficientes para somente adquirirem tais afazeres domésticos e se privarem apenas disso, contudo a partir dai iniciou estudos que provaram o quão poderiam as crianças serem educadas e desde que idade pode adquirir conhecimento, pois nessa época Platão já ensinava matemática para algumas crianças na metodologia lúdica através dos jogos educativos que ele mesmo criava.
 Somente no final do século XVIII que as crianças foram separadas dos adultos e assim colocadas para ser ensinada a educação e assim iniciou um cuidado mais atencioso e um olhar mais sentimental pela infância. Na modernidade o âmbito escolar favoreceu a convivência das crianças com relação à educação e convívio social com os demais individuo da mesma idade ou faixa etária, até em nossos dias atuais. Segundo Chateau (1954, p.14)
“A infância é, portanto, a aprendizagem necessária à idade adulta. Estudar na infância somente o crescimento, o desenvolvimento das funções, sem considerar o brinquedo, seria negligenciar esse impulso irresistível pelo qual a criança modela sua própria estátua.”
 No Brasil em 1875 especificamente no estado de São Paulo teve o primeiro jardim de infância, entretanto somente a burguesia tinha acesso a esse espaço escolar
 Em 1988 a Constituição da República Federativa do Brasil determinou que creches e pré-escolas tornassem parte do sistema educacional (FLORES, 2011), “ tal mudança favoreceu o crescimento da criança como um individuo pensante e critico”.
 O Lúdico praticado na educação infantil contribui para formação do sujeito, e seu objetivo é compreender e respeitar que a infância é única e importante para o futuro crescimento dos indivíduos na sociedade, e para contribuir com professores e pais, e não "abandonar" o conceito de "apenas para crianças”. 
 É nas brincadeiras e jogos que as crianças desenvolvem sua personalidade e pensamento critica, cabe ao professor mediador propor essas vivências em práticas até mesmo relatando sua própria experiência, pois no seu tempo as brincadeiras era diferentes do que as da atualidade, até porque estamos vivenciando algo inovador de tecnologia ensinando as crianças a distância para seus pais possam orientar seus filhos, através do celular ,computador e tablete.
 Os filósofos estudiosos da educação defendiam o método lúdico como um dos melhores atividades para o ensino aprendizagem. Claparede (1946) afirma que o jogo é um facilitador para o aprendizado natural da criança e consequentemente no seu desenvolvimento físico e mental[...] Jacquim (1963) enfatiza que o jogo é irresistível para a criança diz que no ato de brincar a criança descobre a sua personalidade através desses estímulos. Para CRATTY (1975) a atividade lúdica melhora as habilidades motoras e consequentemente os jogos auxilia o domínio de conceitos (...). Piaget (1962 e 1976) diz que a atividade lúdicas desde bebês são indispensáveis para o desempenho psicológico da criança(...)Vygotsky (1989) diz que o brinquedo é um objeto fundamental para o desenvolvimento da criança/estudante. 
 O objetivo do uso desse método na prática dos jogos, nas brincadeiras varia conforme a necessidade de avaliação do professor mediador, pois cabe a esse profissional transferir essa aquisição do conhecimento nas atividades que ele desenvolva proporcionando o brincar prazeroso, atrativo e criativo. É por esse motivo que torna tão importante que o professor mediador e os pais estimule a criança para a realização das atividades cotidianas para acompanhar as mudanças na sociedade e com isso as crianças possa imaginar um pouco de sua realidade em sua volta. É no ato de brincar e jogar que na realização dos mesmos, a criança desenvolve pensamentos e sensações desafiadoras, induzindo a descobrir, questionar, agir, pensar numa solução, competir, e interagir com os demais colegas, brincando, jogando e movimentando que as crianças aprendem, interage umas com as outras, expressam seus sentimentos discutem e trocam experiência, adquirindo conhecimento e separando a relação espacial a vida cotidiana.
 É na infância que iniciamos a nossa descoberta de desenvolvimento humano, o ato de brincar, jogar, descobrir a natureza, as curiosidades sobre as coisas, que determina “o quê” o ser humano na fase adulta se tornará, um simples brinca de amarelinha, por exemplo, a criança desenvolve a coordenação motora, explora vários objetos da natureza para jogar nos quadradinhos, aprende os números, aprende a esperar na fila, para que o colega jogue, a dialogar com os colegas explorando o espaço escolar ou meio em que se encontra, por exemplo um simples brincar de amarelinha, a criança/estudante desenvolve a coordenação motora, explora vários objetos da natureza para jogar nos quadradinhos rabiscado no chão para marcar que não se pode pisar naquele lugar, aprende os números, aprende a esperar o colega jogar para chegar a sua vez, a dialogar com os demais do grupo, então tudo isso são áreas do conhecimento que estão sendo desenvolvida nas brincadeiras o tornando um norteador para o desenvolvimento, com isso explorando todo o espaço escolar.
 Brincar é coisa séria, um ser humano na fase adulta que tem habilidade motoras, sentidos saudáveis: psicológico, cognitiva e noções espaciais ,relaciona e interage com o meio frequentemente, é fruto de uma infância exploradora e de imaginação criativa com sucesso.
 O melhor método que se pode praticar na educação infantil com certeza é o momento dos cantinhos: canto do médico, canto de cozinhar, canto da casinha, cantinho da leitura, o faz de conta, entre outros. O professor mediador o os pais responsáveis deve sempre manter os brinquedos, os jogos, ao alcance das crianças para que ela manuseie a hora que ela quiser, pois elas tem o direto a liberdade de brincar. Em casa os pais com pouco espaço deixem seus filhos explorarem a imaginação em cada canto da sua casa, seja no espaço da sala, no quarto, no quintal de sua casa algumas horinhas livres é essencial para criar e imaginar momentos prazerosos com as pessoas a sua volta.
Os familiares devem evitar proporcionar brinquedos estruturados, pois não tem na cabecinha das crianças, mais que uma única finalidade pela qual foi criado, já a sucata ou brinquedo reciclável tem várias utilidade, com a imaginação vai para o espaço num foguete de caixa de papelão por exemplo, ou até numa casa linda ou uma garagem de carros, ser dono do seu próprio negócio igualzinho o papai tudo isso faz parte do “faz de conta “ e que a imaginação é sua criação.
 Uma criança que brinca é um ser que usufrui de seus direitos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.